Campeonato Brasileiro
[23/10 e 24/10] .::. Atlético-PR x Fluminense / Botafogo x Vitória / Vasco x Flamengo .::.

sexta-feira, 27 de fevereiro de 2009

ROTINA

Créu velocidade 3 (semifinal da Taça Guanabara 08 e 09 e final da Taça Rio 08)
Foto: Lancenet


Torcedores do Glorioso,

Alguém aí duvidava da classificação do Botafogo para a final da Taça Guanabara? Na fase de classificação poderia até ser, mas depois, na semifinal, quando enfrentamos nosso freguês não havia como deixar de carimbar a passagem para o Maraca no dia do aniversário da cidade maravilhosa. E o flusão, coitado, não adiantou "roubar" os ídolos dos rivais, mostrou, mais uma vez, que futebol é camisa e não qualidade. Fahel fez o quarto dele na temporada (Diguinho fez três, em três anos de Botafogo) e deu números finais, 1 a 0 Fogão.

Antes de a bola rolar para a semifinal no maior do mundo, o Mesquita bateu a Cabofriense por 2 a 1 e classificou-se a final do Torneio Moisés Mathias de Andrade, onde encara o Americano de Campos, ou seja, só deu alvinegro no primeiro turno do campeonato. Botafogo e Resende fazem a final da Taça Guanabara e Mesquita e Americano medem forças em busca do Mathias de Andrade, se não tivessem garfado o Vasco então...

A bola rolou e em campo havia um Botafogo de esquema enigmático, sim, no papel era um 3-6-1, mas no campo um 3-5-2 perfeito em todos os setores, Maicosuel chegava ao ataque fazendo dupla com REInaldo. A superioridade do Botafogo em cima da crença tricolor no esquema defensivo do fogão fez a partida tomar as cores alvinegras. O tricolor teve a primeira chance, com Thiago Neves que tremeu frente a Renan e mandou a redonda para fora.

O fogo não demorou a responder, jogada linda no ataque e Reinaldo arrematou para defesa bonita de FH. As equipes voltaram a diminuir o ritmo de jogo minutos depois e os lances no ataque já não saiam mais. A partir dos 20 minutos que o setor de criação voltou a funcionar e o Flu quase marcou novamente em uma cabeçada de Conca. Aos 41, Reinaldo tomou a bola da defesa, invadiu a área e bateu, Fernando Henrique jogou para escanteio. Depois de duas cobranças, Maicosuel jogou na cabeça de Fahel que balançou a rede. 1 a 0.

No segundo tempo o Botafogo diminuir o ritmo e deixou o Fluminense chegar. Time pequeno é assim, tem que esperar o grande dar espaço para poder, enfim, atacar. E o Flu tentou de todas as formas, pelas laterais, pelo meio, chutes de longa distância, pediu ajuda aos céus cantando "João de Deus", mas nada de conseguir marcar e no final recebeu um sonoro "Créu" que eles tanto gostam.

Só fico pensando agora a felicidade do Diguinho, vem jogando mal, não classificou para a final, pode perder a vaga de titular e ainda vê a torcida do fogão feliz com sua saída já que Fahel supriu com sobras sua ausência.

Domingo o Maracanã vai ser colorido com as cores que ele mais gosta, o preto e o branco. Muito cuidado com o Resende, nada de cantar vitória antes do tempo como certos times fizeram e acabaram proporcionando um vexame histórico.

QUEM LEVA A MELHOR PELA TAÇA GB?

Jogadores comemoram o gol da vitória diante do Fluminense
Foto: O Globo


O Botafogo conseguiu a classificação para a final da Taça Guanabara ao vencer o Fluminense por 1 a 0, gol de Fahel, aos 42 minutos do primeiro tempo. A tática utilizada por Ney Franco funcionou. O treinador teve a preocupação de neutralizar as ações dos meias Conca e Thiago Neves e conseguiu. Jogando no 3-6-1 até mesmo porque o atacante Victor Simões não se recuperou de contusão, o Alvinegro dominou o jogo no primeiro tempo, com boa troca de passes e tendo no centroavante Reinaldo um brigador entre os zagueiros tricolores.

No segundo tempo, o time das Laranjeiras não conseguiu converter a pressão em gol e teve que aceitar novamente a gozação dos torcedores rivais que há seis partidas não sabem o que é perder. Dentre esses jogos, três foram válidos pela fase decisiva do Campeonato Carioca (Taça GB e Taça Rio).

A maré de azar com o técnico Cuca parece ser coisa do passado e ter sumido de General Severiano tornando o caminho livre para o Glorioso conquistar a Taça GB. No próximo domingo, o Botafogo encara o Resende, e o caleirão do Maracanã deve ferver. O Bota vai colocar Fogo!

Victor Simões ainda tenta se recuperar de estiramento na coxa, mas deve desfalcar a equipe.

Pelo lado do Resende, a preparação continua a todo vapor no estádio da Portuguesa da Ilha do Governador. Bruno Meneghel é a principal aposta do técnico Carlos Roy. De acordo com o treinador a equipe que derrotou o Flamengo na semifinal deverá entrar em campo na decisão. O tetracampeão Viola será uma das opções no banco de reservas ao lado de Hiroshi que marcou o segundo gol no jogo do último sábado.

A única mudança é a entrada do zagueiro Márcio Costa na vaga do suspenso Leandro.

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2009

FLU-BARRA: ACREDITE QUEM QUISER!

Vista panorâmica do Vasco-Barra
Foto: Site Oficial do Vasco


O Flamengo utilizou o espaço do Fla-Barra no período de 1996 até 2000, quando foi despejado por falta de pagamento do aluguel do local. Na época, problemas como os jogadores sendo barrados na entrada do CT e todo o material de fisioterapia retido pela Justiça até que o Mengo quitasse suas dívidas era o cenário visto.

O Vasco, presidido por Eurico Miranda desdenhava do Fla-Barra dizendo "''Por que eu ia querer o Fla-Barra? Estou construindo o maior centro de treinamento da América Latina.'' O Vasco tinha um acordo com o Bank of America e fazia planos de construir um complexo esportivo na Rodovia Washington Luís - num manguezal desbravado até hoje.

Mas, enfim, o Vasco com sua ambição e o desejo de humilhar o Flamengo começou a se movimentar e conseguiu fechar acordo para utilizar o Centro de Treinamento da Avenida das Américas, tendo uma das primeiras medidas a troca do nome para Vasco-Barra.

Entretanto, em 2009, com uma crise financeira profunda e problemas em sua nova administração, o clube deve cerca de 29 meses de aluguel e está prestes a ser despejado assim como o Flamengo pelo mesmo motivo.

O Vasco tinha feito um acordo de pagar 80 mil reais mensais, no caso, 60 mil equivalentes ao mês e o restante a parcela atrasada. Outro problema que aflinge o clube com relação ao Vasco-Barra é o IPTU do local, que segundo o assessor jurídico do time cruzmaltino em entrevista ao Jornal dos Sports passou de 40 mil para 550 mil reais por ano.

Portanto, é melhor o Vasco sanar todos os problemas, pois o técnico Dorival Júnior vem seguindo a risca o que disse no começo do ano que utilizaria com ênfase o CT para a temporada.

Segundo fontes, há quem já garanta que a patrocinadora do Fluminense, a Unimed, já teria um acordo com o proprietário do local para que o time das Laranjeiras possa também treinar na Zona Oeste. Além do possível "Flu-Barra'', o Tricolor tem o CT de Xerém e a sede oficial do clube para exercer seus treinamentos.

Outro clube que utilizou o CT da Avenida das Américas foi o Bangu, porém por um período curto de dois meses, antes que o Alvirubro fosse eliminado da Série C do Campeonato Brasileiro.


domingo, 22 de fevereiro de 2009

PREPARATIVOS DO BOTAFOGO

Dupla de ataque pode ficar de fora
Foto: Thiago Lavinas / Globoesporte.com

Torcedores do Glorioso,

Quarta-feira teremos um duelo importante contra o Fluminense, no Maracanã, as 22hs. Para muitos esse jogo é considerado a final antecipada da Taça Guanbara, já que o Resende não deve apresentar problemas para ser derrotado, apesar de ter vencido, com autoridade, a equipe do Flamengo, mas vencer dois grandes em menos de cinco dias é algo ilusório que nem os próprios jogadores do time do interior acreditam.

Para essa partida contra o Fluminense, o Botafogo pode ter dois desfalques sérios, os atacantes Victor Simões e Reinaldo que estão treinando em separado do grupo. Ao que tudo indica, Ney Franco deve optar por jogadores mais defensivos, mesmo com o time precisando da vitória, Batista e Lucas Silva são os preferidos para suprir a ausência dos homens de frente do alvinegro.

Com o final de semana livre, mas sem carnaval e cabeça focada na semifinal, o treinador escalou uma equipe mista para fazer uma movimentação contra o Boavisa, resultado final, 5 a 0 para o time de Bacaxá. O placar é expressivo e assustador, mas isso não deve e não pode abalar os ânimos do elenco para o próximo compromisso. Lembrando, aos supresticiosos, que o Botafogo perdeu, dias antes de sagrar-se campeão carioca de 2006, de 2 a 1 para o Angra dos Reis, portanto resultado de coletivo não é para ser levado a sério.

O que é para ser levado a sério é a denúncia do TJD contra o Glorioso, o clube pode ser suspenso com a perda de um a dez mandos de campo e ainda pode ter Maicosuel punido com 120 a 540 dias de suspenção. Isso tudo por apenas uma partida, contra o Friburguense. Segundo o TJD Maicosuel agrediu o atleta adversário no momento da expulsão e abriu denúncia contra o camisa 10 do fogão. Os mandos de campo são por uma garrafa que, segundo o árbitro, foi atirada contra o bandeirinha.

Pensando por alto podem até ser punições justas, mas para isso devem punir Fernando Henrique, que agrediu o atleta do Americano e sequer foi expulso e punir também Kléber Leite, dirigente do Flamengo que alcunhou o árbitro de "débil mental completo". Aí sim faremos uma justiça.

Em tempo, espero uma boa partida do Botafogo diante do Fluminense e que possamos novamente sair com o triunfo diante do tricolor. Depois é só torcer para o TJD não voltar atrás em sua própria decisão em punir o Vasco e assim retornar as semifinais da Taça Guanabara favorecendo as equipes que já foram eliminadas.

Saudações Alvinegras.

DO FUNDO DO BAÚ: VASCO DA GAMA 2 X 3 SÃO PAULO: (1984)

No dia 29 de Janeiro 1984,num Domingo,Vasco da Gama e São Paulo jogaram pelo Campeonato Brasileiro no Maracanã e os vascaínos perderam por 3 tentos a 2 no jogo de estréia de Artuzinho pelo Vasco da Gama.
Neste ano o Campeão Brasileiro foi o Fluminense em final contra o Vasco da Gama.

Artilheiro do Campeonato
Roberto Dinamite: 16 gols

O Jogo

VASCO Da GAMA (RJ) 2 x 3 SÃO PAULO (SP)
Data: 29/01/1984
Campeonato Brasileiro
Local : Estádio Do Maracanã / Rio De Janeiro
Arbitro : Gílson Ramos Cordeiro
Público : 45.287
Gols : Roberto Dinamite 44/1º, Oscar 02/2º, Agnaldo 03, Agnaldo 21 e Roberto Dinamite 40/2º
VASCO DA GAMA: Acácio, Edevaldo, Daniel Gonzales, Nenê, Aírton, Pires, Arthurzinho, Geovani, Jussiê, Roberto Dinamite e Oliveira (Marcelo) / Técnico : Edu Antunes Coimbra
SÃO PAULO: Waldir Perez, Paulo Roberto, Oscar, Dário Pereyra, Nelsinho, Zé Mário, Humberto, Renato, Márcio Araújo, Marcão (Agnaldo) e Zé Sérgio Técnico : Mário Travaglini

O Craque: Artuzinho
Arthur dos Santos Lima, o Arturzinho, ex-meia de grandes equipes nas décadas de 80 e 90, hoje é treinador profissional.
O "Rei Artur", como era chamado nos tempos de Bangu, foi um jogador extremamente habilidoso e que costumava surpreender
os adversários nas cobranças de escanteio. Várias vezes, Arturzinho marcou gols olímpicos. E não importava qual o lado. Arturzinho, mesmo sendo destro, batia com a mesma eficiência escanteios pelo lado direito, o que não é comum.
O pequeno Arturzinho, com seus 1,62m de altura e 60kg, viveu a melhor fase de sua carreira jogando no Operário de Campo Grande (MS) e em equipes cariocas.
O meia foi um dos maiores ídolos da história do futebol do Mato Grosso do Sul. No Rio, ele passou pelo Fluminense e brilhou, principalmente, com as camisas do Bangu e do Vasco da Gama,
onde foi vice-campeão brasileiro de 1984.

Ainda em 84, Arturzinho foi contratado pelo Corinthians. Chegou ao Parque São Jorge com enorme responsabilidade: substituir Sócrates, na época negociado com a Fiorentina, da Itália. Apesar de não ter sido o mesmo jogador dos tempos de Bangu e Vasco da Gama, Arturzinho chegou a cair nos braços da Fiel torcida depois de uma partida contra o Palmeiras. Na ocasião, Arturzinho, de cabeça, marcou um dos gols da vitória alvinegra sobre o arqui-rival. Ele jogou 57 partidas pelo Corinthians e marcou doze gols, sendo um deles olímpico, contra o XV de Jaú, no Morumbi, pelo Paulistão de 1984.
No final dos anos 80 e começo dos anos 90, o meia voltou a chamar a atenção por suas boas exibições com a camisa do Vitória da Bahia, onde encerrou sua carreira de jogador de futebol.

Jogando pelo Vasco da Gama atuou em 28 jogos e marcou 16 gols.

Ficha do Craque
Artur dos Santos Lima
Data de nascimento: 13/05/1956 no Rio de Janeiro
Posição: Meia

Clubes
1976-1978: Fluminense-RJ
1978-1980: Operário-MS
1981: Internacional-RS
1982: Bangu-RJ
1983-1984: Vasco da Gama-RJ
1985: Corinthians-SP
1985-1988: Bangu-RJ
03/1992-06/1993: Vitória-BA
1996: Olariá-RJ

Títulos por equipe
Copa Rio de Janeiro: 1987, 1991
Campeonato Baiano: 1992

Fontes:
http://voudekombi.blogspot.com
http://www.supervasco.com
http://br.sambafoot.com

INACEITÁVEL!

SÁBADO COM CLIMA DE QUARTA-FEIRA DE CINZAS NO MARACANÃ PARA O MENGÃO

Cuca com cara de decepção em nova final / Foto: O Globo

Torcedores do Mais Querido do Brasil!

É inadmissível a derrota para o Resende em pleno sábado de Carnaval ou em qualquer circunstância. Valendo vaga para as semifinais da Taça Guanabara o Flamengo apresentou o mesmo futebol medíocre durante o Campeonato Carioca mas com um agravame: sem aquele espírito do que é ser Flamengo, sem a vontade de uma equipe campeã, que defende o título. Portanto, o Mengo foi humilhado pelo time do interior do Estado e perdeu por 3 a 1.

Desde o início do Cariocão, o Flamengo não apresenta um padrão de jogo e mesmo com o retorno do lateral esquerdo Juan, o Rubro-Negro jogou mal e foi dominado pelo Resende. Cuca é sim, um cara sem sorte e que apareceu com substituições equivocadas durante o jogo, sem contar a arbitragem que teve parcela para a derrota do time da Gávea ao expulsar Airton e Fábio Luciano injustamente e marcar um pênalti duvidoso para o adversário.

O único que poderia assustar o Flamengo era o atacante Bruno Meneghel e foi justamente ele que sacramentou nossa eliminação.

Já está parecendo redundância, porém o Flamengo a cada ano precisa provar que é um time que passa por vexame para equipes no cenário futebolístico envergonhando a Nação. Seja contra o Santo André, Atlético-MG, América do México, Bonsucesso e agora o Resende.

O técnico Cuca teve uma semana para preparar a equipe e o que a torcida viu foi um bando em campo. Desorganizado, desarticulado, com um buraco enorme na faixa esquerda do gramado, o Resende se aproveitava do espaço para assustar o Flamengo. Com pouco mais de 15 minutos, Bruno Meneghel brincava em perder gols cara a cara com o goleiro Bruno, que contava com a má pontaria do atacante.

Mas, aos 24 minutos, Léo bagunçou a zaga rubro-negra, invadiu a área e foi derrubado por Airton. O artilheiro do campeonato, Bruno Meneghel cobrou mal, a bola bateu na trave, nas costas do goleiro Bruno e entrou. 1 a 0.

A partir daí, começa o despreparo do comandante Cuca ficar evidente. Descontrolado na área técnica, ele sacou o meio-campo Zé Roberto (habilidoso, versátil, que vinha apresentando disposição) para a entrada do pentacampeão Kléberson. Esse vive pelo mundial disputado. Entrou e não jogou absolutamente nada. Chutes bisonhos ao longo do jogo e só. O Grêmio faria um favor enorme em comprá-lo e levá-lo para o Olímpico.

Aos 44 minutos, perdemos o pilar de sustentação. Após falta cobrada LEGALMENTE por três vezes com a BOLA PARADA como manda a regra, o árbitro Felipe Gomes da Silva mandou repetir a cobrança. Pra quem não podia perder sequer um minuto com o placar desfavorável, Fábio Luciano reclamou da atitude do homem do apito e acabou sendo expulso. O time cercou o árbitro e Obina ainda levou cartão amarelo. Ali, o Flamengo apresentava o destempero emocional.

No segundo tempo, o Mais Querido voltou com mais atitude e conseguiu vários escanteios consecutivos. Entretanto, o Fla abria espaços e o Resende poderia ter matado o jogo em diversas oportunidades, mas o time era fraco tecnicamente e não sabia aproveitar as chances surgidas.

Aos 9 minutos, o Resende teve um jogador expulso. O Flamengo partiu para o tudo ou nada. Marcelinho Paraíba arriscava os chutes de fora da área, mas o goleiro alvinegro Cléber começava a aparecer no jogo.

Aos 30 minutos, Hiroshi que tinha entrado a pouco tempo arriscou o chute e acertou o ângulo do goleiro Bruno. 2 a 0.

A torcida não perdoou e começou a vaiar o Resende, ou melhor, o Flamengo que se portava como um Resende.

Com a mesma jogada desde janeiro, em mais uma bola na área, Josiel escorou o cruzamento rasteiro e marcou. 2 a 1.

A esperança retornava já que o árbitro havia dado cinco minutos de acréscimo, mas era melhor ter terminado com menos sofrimento, pois Bruno Meneghel em um contra-ataque velocíssimo estufou as redes do goleiro Bruno nos acréscimos e acabou com o sonho do Flamengo.

Chega de pedir desculpas por derrota. Jogar no Flamengo é sinônimo de entrar com espírito de guerreiro e campeão. Chega de vergonha a cada ano. Chega de reclamação.

A diretoria deve primeiro pensar em pagar os salários atrasados dos seus funcionários para depois querer colocar culpa apenas na arbitragem. Cuca no Flamengo não significa que seremos os chorões 2009. BASTA!


FICHA TÉCNICA:
FLAMENGO 1 X 3 RESENDE

Estádio: Maracanã, Rio de Janeiro (RJ)
Data/hora: 21/02/2009 - 16h (de Brasília)
Renda/Público: R$ 454.380,00 / 27.761 pagantes

Árbitro: Felipe Gomes da Silva (RJ)
Auxiliares: Eduardo Souza Couto (RJ) e Rodrigo Pereira (RJ)

Cartões amarelos: Aírton, Juan, Obina (FLA), Leandro, Bruno Leite, Márcio Gomes, Marquinhos (RES)
Cartões vermelhos: Aírton (FLA), 27'/1ºT; Fábio Luciano (FLA), 45'/1ºT; Leandro (RES), 8'/2ºT

FLAMENGO: Bruno (8.0), Aírton (3.0), Fábio Luciano (5.0) e Thiago Sales (3.5); Leonardo Moura (4.5) (Maxi - 3.0), Willians (5.0), Ibson (5.0), Marcelinho Paraíba (5.0) e Juan (5.0); Zé Roberto (5.0) (Kleberson - 3.0) e Obina (4.5) (Josiel - 6.0). Técnico: Cuca (4.0).

RESENDE: Cléber, Leandro, Breno e Naílton; Bruno Leite, Márcio Gomes (Hiroshi), Fred (Fábio Azevedo), Léo e Marquinhos; Bruno Meneghel e Fabiano (Beto). Técnico: Roy.


sábado, 21 de fevereiro de 2009

CARNAVAL COMEÇA HOJE E TERMINA NA FINAL!

Josiel ficará como opção no banco de reservas
Foto: Cezar Loureiro / O Globo


Torcedores do Mais Querido do Brasil

Amigos blogueiros, peço desculpas por não postar freqüentemente fatos e a “opinião do torcedor com o toque jornalístico” sobre o Flamengo, mas o tempo agora está curtíssimo.

Porém, o Carnaval começa hoje para o Mengão. O Rubro-Negro está nas semifinais da Taça Guanabara diante de um adversário que não aparenta ser problema para chegarmos à final pela terceira vez consecutiva.

O Resende conseguiu a classificação por méritos e principalmente pelo auxílio do Vasco que após todo um imbróglio envolvendo o caso Jeferson, desistiu do beneficio do TRT e ficou de fora.

O time comandado pelo técnico Roy vem em uma crescente e descartou o provável classificado, o Americano, na última rodada. Até mesmo o Duque de Caxias, que subiu para a Segunda Divisão do Campeonato Brasileiro e está no Grupo A, foi batido pela equipe alvinegra.

Bruno Meneghel é o artilheiro do Resende e do Campeonato Carioca. O jogador já teve uma passagem apagada pelo time de São Januário, mas conseguiu encontrar seu espaço no clube do interior do Estado. Olho nele, pois é o único que pode assustar!

Todavia, o Flamengo, atual bicampeão da competição, com a melhor campanha em 2009, sem nenhuma derrota, não pode e nem deve perder o pique e ficar de fora da finalíssima. Essa será a grande chance de mostrar ao torcedor e ao técnico Cuca que o time pode sim, vencer e jogar bonito. Até agora o time da Gávea vem fazendo o trabalho de casa, mas conquistando a vitória com muito esforço.

O Ministério da Saúde já adverte: Assistir os jogos do Flamengo causa problemas no coração. A equipe rubro-negra está deixando para marcar os gols nos minutos finais da partida. Foi assim em praticamente todos os jogos. Esperamos que dessa vez seja diferente.

Sem Ronaldo Angelim que foi operado com um problema na coxa, Cuca já decidiu que colocará em campo o zagueiro Thiago Salles ao lado de Fábio Luciano. Acredito que seja a melhor opção. Até mesmo porque o jogador atua por aquele lado do campo e tem mais entrosamento com o capitão do time ao contrário de Douglas que chegou no inicio do ano ao clube.

Obina foi mantido no ataque ao lado de Zé Roberto. A torcida pedia a entrada de Josiel, mas como disse anteriormente não sei se seria o melhor momento para promover o ex-atacante do Paraná a titularidade. Tudo bem que ele está entrando e ajudando o Flamengo a conquistar os pontos, mas com o Obina não era assim? Quem sabe o Anjo Negro enfim desencanta hoje? Obina vem ajudando muito o time trabalhando como pivô, para que os jogadores de trás cheguem e ajudem o ataque.

Cuca poderia ser um pouco mais agressivo e colocar em campo um meio-campo mais criativo e ofensivo formado por Toró, Ibson, Jonatas e Marcelinho Paraíba.

A grande novidade é o retorno do lateral-esquerdo Juan. O jogador que ficou afastado por cinco partidas por causa de uma contusão volta a ser uma das melhores opções para chegarmos a grande decisão. Juan na partida de estréia além de marcar o gol da vitória sobre o Friburguense foi o melhor jogador em campo. Espera-se muito dele essa tarde.

Que São Judas Tadeu nos ajude para termos um bom Carnaval e esperarmos quem será nosso adversário (Botafogo ou Fluminense) na final. Quem quer ser campeão não escolhe adversário, mas bem que poderia ser o Alvinegro para tirarmos a conclusão se é Cuca que é azarado como eles mesmo falavam ou é o Botafogo que não tem sorte e competência diante do Flamengo.


quinta-feira, 19 de fevereiro de 2009

ERA DISSO QUE VOCÊS TINHAM TANTO MEDO?

Amigos vascaínos,

Sem dó nem piedade, o Vasco mostrou sua força e sapecou 4x1 sobre o Flamengo-PI, se classificando antecipadamente para a segunda fase da Copa do Brasil. Agora o Cruzmaltino espera o vencedor do confronto nordestino entre Ceará e Central-PE. Os golaços da vitória foram marcados por Jéferson, Élton (2) e Paulo Sérgio.

Desde o início o time mostrou estar entalado com o roubo do TJD carioca. A blitz começava no ataque, sem dar chances para os Mulambos piauienses respirarem. Aos 3 minutos, o goleiro Robson salvou após boa finalização de Élton. Alguns minutos depois abrimos o placar. Jéferson recebeu na intermediária e acertou um chutaço no ângulo do goleiro. GOLAÇOOOO nº 1!!!! Vascão 1x0. Na comemoração do gol, o camisa 10 correu em diração ao banco e disse: "Ninguém vai nos derrubar"


A pressão continuava. Aos 22, Elton chutou e a bola passou perto da meta. Depois foi a vez de Pimpão desperdiçar. Nesse meio tempo, ainda houve um pênalti claríssimo não marcado sobre nosso camisa 11. Aos 25, Pimpão e Paulo Sérgio tabelaram. Nosso lateral deu belo passe para Élton, que com toda tranquilidade, humilhou o goleiro antes de empurrar para a rede. GOLAÇOOOOO nº 2!!! Vascão 2x0!

O time mostrava muita vontade de vencer e não dava chance ao adversário. Aos 33, Pimpão desperdiçou cabeçada, após ótima jogada de Carlos Alberto. Minutos depois, até Amaral se arriscou, soltando uma bomba de fora da área. O goleiro pôs para escanteio. Aos 38, Jéferson perdeu chance clara, cabeceando rente à trave, após cruzamento de Pimpão. Infinitamente superior, o Vasco foi castigado no único lance de perigo do adversário. Joniel fez boa jogada e chutou sem chances para Tiago. 2x1!

Na segunda etapa, o Fla-PI acreditou no resultado e dificultou mais. Ainda assim as melhores chances eram do Vasco. Aos 4, Ramon pegou uma sobra e chutou por cima do gol. Carlos Alberto se irritava com a marcação e já com amarelo, foi substituído por Alex Teixeira. Minutos depois o Vasco ampliou. Paulo Sérgio cobrou falta no ângulo e o goleiro só olhou. GOLAÇOOOOO nº 3!!! Vascão 3x1.

O gol voltou a empolgar o time. Um minuto depois, Pimpão acertou a trave de Róbson. Aos 32, Paulo Sérgio obrigou o goleiro a fazer uma boa defesa. Se aproveitando do desespero adversário, o Vasco matou o jogo e a classificação. Aos 43, Élton recebeu na esquerda, chamou o zagueiro de otário, pedalou pra lá e pra cé e finalizou com categoria no cantinho. GOLAÇOOOOO nº 4!!! Vascão 4x1!

Uma goleada maiúscula, recheada de golaços. Independente da fraqueza do adversário, mostramos que somos fortes e vamos continuar brigando pelos títulos, independente das manobras no Tapetão. Sei que vai vir gente e falar: 'Bom, em cima do Flamengo-PI é fácil'. Em cima do Nacional-PB também era pra ser fácil, mas teve gente que precisou da ajuda do juiz pra ganhar.

Sds vascaínas a todos!

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009

NO CIRCO DO CARIOCA, NOS SOBROU O PAPEL DO PALHAÇO.

Amigos vascaínos,


Passava das 20:30 quando virei a esquina da Rua do Acre, sede do TJD-RJ. Um senhor me avisou: "filho, perdemos. Já foi dado o quinto voto: 5x0. Sai de lá porque vai dar confusão". Insisti e fui para a porta do prédio onde se localiza o Tribunal. Dezenas de vascaínos gritavam palavras de protesto, inconformados com a decisão da Injustiça. Fiquei ali vendo o movimento de fotógrafos e cinegrafistas. Um por um, saiam os homens que julgaram o destino do Vasco.

Os mais velhos, que hoje reconheci pelas fotos como sendo os julgadores, saiam sorridentes com suas pastas. O que será que havia ali dentro? Algumas pessoas que assistiram o julgamento se dirigiram até o grupo de torcedores, tentando explicar o inexplicável: como um jogador absolutamente regular causou a perda de seis pontos e a consequente eliminação vascaína.

Em todo o caso, houve apenas uma irregularidade e ela não foi cometida pelo Vasco. Ao receber o fax do TRT-DF, a FERJ não deveria ter alterado a situação do jogador no BIRA, assim como a CBF não alterou no BID.
Quem autorizou essa mudança na situação de Jéferson?

Por qual razão, somente em 06/02, treze dias após o jogo, um promotor (e não nenhum Clube interessado) 'denunciou' o Vasco? Por que esse mesmo promotor disse que era difícil o Vasco perder a causa? Por que o presidente da Federação disse na véspera do jogo que não haveria irregularidade na liminar e agora vem com discurso que avisou o Vasco para não escalar o jogador? Por que deixaram para julgar apenas após a penúltima rodada, não permitindo que o time trabalhasse com a hipótese dos (-6)?

Vale lembrar que faltaram apenas dois pontos para que o Vasco se classificasse mesmo tendo os pontos tomados.

Hoje, dou graças a Deus por ter marcado minhas férias para março. Assim, estarei bem longe de toda essa vergonha que é o Estadual. Meu desejo é que o Vasco colocasse o time sub-15 pra jogar. Que boicotássemos esse torneio imbecil e comandado por calhordas que circulam pelos corredores da FFERJ. Agora, até de eliminação nos ameaçam. Na boa. Que se dane. Seria melhor que não teríamos que perder nosso tempo e nosso dinheiro assistindo nosso time jogar bem dentro de campo e ser garfado fora dele.

Apóio e concordo que o Clube tenha que ir até a última instância atrás dos seus direitos. Que se vá ao STJD e se for preciso até a FIFA. Porém, pra mim esse campeonato acabou. Não importa o que aconteça, não escreverei mais e não irei mais aos jogos do Estadual deste ano. No máximo, algumas linhas sobre o resultado e ponto final. Me ocuparei com textos sobre política, história e etc.

Que hoje façamos uma boa estréia na Copa do Brasil, competição muito importante para o Vasco. Continuarei torcendo para que a justiça seja feita, seja com o campeonato sendo paralisado ou sei lá como. Pra mim porém, o Estadual acabou ontem, com o Vasco sofrendo uma goleada de 7x1. A goleada mais injusta e ilegal de nossa história.

Muita gente se pergunta: se fosse com o Eurico isso teria acontecido? Na minha opinião, não, até porque o caso nem chegaria a ser julgado. Mas isso não tira a culpa do ex-presidente no caso. Só fica a dúvida se ele foi sujeito ativo ou passivo. Eurico continua circulando pelos corredores da FERJ. Assim, muito se especula que ele tenha sido um dos que ajudou a fazer a denúncia e a condenar o Vasco. Não posso afirmar por não ter como provar, mas não duvido desta hipótese.

Por outro lado, de modo passivo, ele certamente atrapalhou o Vasco. Eurico Miranda sempre foi e continua sendo uma das maiores forças políticas do futebol brasileiro. Há mais de 30 anos no meio esportivo e jurídico, conhece cada ponto dos regulamentos e cada um dos procedimentos adotados pelos julgadores. Assim, poderia ajudar o Vasco na causa. Não foi o que fez. Na mesma hora, ele estava em reunião da Oposição, onde certamente foi comemorado o fracasso e a eliminação do Vasco. O episódio com certeza será utilizado politicamente por seu grupo, quando ao invés de se omitir, ele poderia ter ajudado e muito o Vasco a não ser roubado.

Até quando seremos vítimas da briga pelo poder. Até quando os egos e os cargos serão mais importantes que o Vasco. Até quando veremos os lados políticos brigando contra o progresso do Vasco, confundindo o sucesso do rival político com o sucesso do nosso amor maior. Vimos durante anos o MUV sabotando a administração Eurico Miranda e hoje o grupo do ex-presidente parece querer fazer o mesmo. Onde a ganância desses homens vai levar o Vasco? Viraremos um América?
O recurso no STJD só será julgado após o Carnaval. Assim, já terão sido realizadas as duas semifinais e ficará tudo por isso mesmo. Por outro lado, a hipótese do Vasco ser eliminado do Estadual por ter ido a Justiça do Trabalho só pode ter saído da cabeça de um retardado.

Se o Brasiliense ganhou a causa contra Jéferson na Justiça do Trabalho, tentando obrigar o atleta a voltar ao antigo emprego, onde o Vasco deveria recorrer? Na justiça esportiva? Tem gente que estuda, estuda e continua sendo idiota.

Muito se falou em 'o Vasco ganha no Tapetão', mas quero deixar bem claro que não queremos nada de ninguém. Queremos o que é nosso. O que nos foi tomado pela Injustiça. Qualquer um que leia uma só vez o processo, observa que se trata do roubo mais discarado da história da Justiça Desportiva brasileira.

Não sei se venceríamos a Taça GB. Poderíamos perder a semi para o Botafogo ou a final para Fla ou Flu. Não sou vidente. Porém, sei que temos um bom time e todas as condições para conquistarmos a competição de que fomos eliminados. Esse será eternamente um campeonato manchado pela eliminação de um dos favoritos, de quem foi tirado o direito de competir em igualdade com os rivais.

Sds vascaínas a todos!

segunda-feira, 16 de fevereiro de 2009

ELIMINADO!? HÃ?

Thiago Neves em coletiva nas Laranjeiras


Caros amigos tricolores,

Futebol é algo engraçado, talvez uma das das poucas coisas no mundo que não tenha uma lógica definida, isso todos estão cansados de ouvir. E mais uma vez isso ficou comprovado com a classificação do Fluminense depois da goleada imposta ao Tigres por 4 a 0 (1 tigre, 2 tigres, 3 tigres e 4 tigres...tsc tsc).

Depois do empate contra o Vasco, o Tricolor das Laranjeiras saiu do estádio aos gritos de eliminado da torcida que esse ano só verá jogos do Brasileiro nas terça, sextas e sábados e que até agora está agradecendo aos céus por não terem perdido o clássico. Eu fiquei pensando e achei que o maior tricolor do Brasil ainda tinha chances e os matemáticos fizeram sua parte, calculando em 6%. Continuei achando que era difícil, mas apostava ainda no "milagre". Vencemos o Americano e as chances aumentaram até chegaram a 100% depois da goleada de ontem.

Não importa em qual posição iremos nos classificar, porque acho que o Vasco irá recuperar os pontos amanhã (não concordo com a atitude da perda dos pontos, e se pararmos para pensar o Vasco teria perdido 9 pontos e não 6, já que fora derrotado por 2 a 0) e bem ou mal, jogando bem ou não, os grandes venceram no campo e devem disputar as semifinais da Taça Guanabra. E em clássicos, essa questão de favoritos fica para escanteio, porque já presenciamos em várias ocasiões o time "menos" favorito vencer.

Ah, para falarmos um pouco do duelo de ontem frente ao Tigres, René Simões corrigiu um erro que já vem alimentando desde o início da temporada: retirou o atacante Roger do jogo ainda no primeiro tempo e colocou o quase dispensado Everton Santos, que marcou os dois primeiros gols (os outros foram de Maicon e Thiago Neves) e mostrou, pelo menos no jogo de ontem, muito mais disposição do que o atual camisa 9 tricolor.

O engraçado é que o Roger disse que não constará no contrato do Fred (que deverá chegar nessa semana, para por fim a essa novela!!!) que ele deverá ser titular.

Agora Roger: se você fala isso, deveria no mínimo mostrar em campo o porque do Fred não se tornar o titular do Flu quando estrear. Aos poucos René Simões vai remontando a equipe, retirando do time peças que não vinham bem (caso do Jaílton e do Wellington Monteiro) e talvez agora até mesmo barre o Roger. Se o Fred chegar, acho que o ataque deve ser ele e o Leandro Amaral. Por enquanto, acho que o Simões deveria dar uma chance ao Everton Santos, o escalando ao lado do Maicon, ou então, testar o Tartá mais a frente.

Tricolores, quarta-feira o desafio é contra o Nacional-PB e uma vitória por mais de dois gols de diferença garante a classificação. E segundo o camisa 0 tricolor, Thiago Neves, o Fluminense vai atrás desta vitória. E concordo com ele: o time deve pensar sempre em vencer, independente do adversário!!!!

Abraços

Thiago Zorro

NO FINZINHO!

Joseil comemora gol de empata com Léo Moura
Foto: Globoesporte.com

Torcedores do Mais Querido do Brasil!

Esperamos vocês na final! Não foi dessa vez que o Flamengo jogou bem no Campeonato Carioca. O time comandado pelo técnico Cuca continua devendo uma boa apresentação a torcida rubro-negra. O empate com o Botafogo por 1 a 1 deve ser comemorado, pois com todas as adversidades, principalmente com a fase negra do atacante Obina que perdeu mais um pênalti na competição, o resultado foi importante pois deixou o Flamengo na primeira posição do Grupo B, com 17 pontos e enfrenta um adversário "fraco" nas semifinais daTça Guanabara que é o Resende.

O atacante Josiel foi o salvador da pátria rubro-negra e caiu nas graças da torcida, mas ainda é cedo para apontá-lo como titular inquestionável. Continuo apoiando o Anjo Negro, ele sempre se dedicou ao entrar em campo com a camisa do Flamengo e demonstrou ser predestinado nos momentos propícios, mas nem sempre a fase é boa para um jogador.

A zaga do time da Gávea foi uma mãe para o Botafogo. Com a contusão do zagiueiro Ronaldo Angelim; Willians, o jovem Thiago Salles e o experiente Fábio Luciano começaram batendo cabeça. Tanto é que aos 16 minutos, após troca de passes na intermediária do Flamengo, Batista chutou rasteiro, Bruno pulou atrasado e abriu o marcador. 1 a 0.

Ao contrário dos outros jogos em que o Mengão abusava das jogadas aéreas, o time do Flamengo arriscava os chutes de longa distância principalmente com o meio-campo Jonatas.

Na segunda etapa, o Flamengo voltou ligado e aos seis minutos, Obina perdeu a chance de empatar em cobrança de pênalti, quando Renan defendeu. O Flamengo buscou resgatar a liderança do grupo, partiu pra cima, mas quem assustava era o Botafogo nos contra-ataques.

Quando Obina saiu para a entrada de Josiel, a história começou a ser reescrita. Na primeira chance o atacante quase empatou, mas no minuto final, aos 48, Josiel após rebote do goleiro Renan estufou as redes do Alvinegro.

Como de costume após o apito afinal, os jogadores do Botafogo partiram para cima do árbitro reivindicando o gol validado a favor do Flamengo. Chororô 2009? Será?


FICHA TÉCNICA
BOTAFOGO 1 x 1 FLAMENGO


Local: Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ)
Data: 15 de fevereiro de 2009 (Domingo)
Horário: 16h (de Brasília)
Árbitro: José Alexandre Barbosa Lima (RJ)
Assistentes: Wagner de Almeida Santos (RJ) e Raimundo Araújo dos Santos (RJ)
Renda: R$ 491.452,50
Público: 31.761 pagantes

Cartões amarelos: Diego, Alessandro, Wellington Júnior, Fahel e Leandro Guerreiro (Botafogo) e Leonardo Moura, Thiago Sales e Josiel (Flamengo)

BOTAFOGO: Renan, Fahel, Wellington e Leandro Guerreiro; Alessandro, Batista, Túlio Souza (Jougle), Lucas Silva e Thiaguinho (Alex); Diego (Wellington Júnior) e Reinaldo
Técnico: Ney Franco

FLAMENGO: Bruno, Willians, Fábio Luciano e Thiago Sales; Leonardo Moura, Toró (Fierro), Ibson, Jônatas e Egídio (Éverton Silva); Zé Roberto e Obina (Josiel)
Técnico: Cuca

EM CAMPO FIZEMOS NOSSA PARTE

Amigos vascaínos,

Mostrando um bom futebol durante toda a partida, o Vasco venceu com facilidade o Madureira por 3x0 no Estádio Olímpico João Havelange e garantiu DENTRO DE CAMPO a liderança do Grupo A da Taça Guanabara. Com 14 pontos e a defesa menos vazada da competição, o cruzmaltino mostrou sua força e teve desempenho destacado neste primeiro turno. Agora é esperar a decisão do TJD-RJ no recurso da perda de seis pontos. O julgamento será na terça-feira. Caso a justiça seja feita e a vaga seja devolvida ao Vasco, enfrentaremos o Botafogo na semifinal.

Superior tecnicamente, o Vasco começou atacando. Apear do forte calor, nossos laterais corriam muito e se apresentavam bastante para o jogo. O Madureira pouco incomodava, mas o Vasco falhava nas conclusões, não conseguindo assim transformar o domínio em superioridade no placar. Como vem se tornando habitual, Pimpão falhou na hora das conclusões.

No meio da primeira etapa, em uma das boas subidas de Paulo Sérgio, nosso camisa 2 cruzou e a bola foi no braço do lateral Daniel. Pênalti bem marcado pela arbitragem. Carlos Alberto cobrou com categoria, sem chances para Renan. Vasco 1x0. Com a desvantagem no marcados, o Tricolor Suburbano precisou atacar. Em bela cobrança de falta. Claudemir obrigou Tiago a grande defesa. Perto do fim do primeiro tempo, Jeferson chutou de fora da área, obrigando Renan a defesa milagrosa.

No segundo tempo, quem começou melhor foi o Madureira. Aos dois, o bom e velho Abedi mandou bomba na trave. Pouco depois, Junior Amorim tocou para fora com o gol vazio. Insatisfeito, Dorival Jr. mexeu no time. Saiu Alex Teixeira e entrou Elton. Assim, nosso treinador acabou com a solidão de Pimpão no ataque e com a bola parando mais lá na frente, resolveu o problema do time lá atrás. Não demorou para a entrada de nosso camisa 9 dar resultado.

Pimpão desceu em velocidade pela direita e cruzou rasteiro. Elton só escorou para o camisa 10 Jeferson, pivô da crise da perda dos seis pontos, marcar seu primeiro gol com a camisa do Vasco. 2x0! Foi o suficiente para espantar qualquer hipótese de zebra.

O trabalho foi facilitado pela expulsão de Bruno, após cometer falta em Mateus e receber o segundo amarelo. Após uma furada bisonha de Elton, que consertou o erro cruzando para a área, Pimpão cabeceou livre e desperdiçou chance clara. A torcida não perdoou e vaiou o Ursinho. Aos 41, Amaral (podem acreditar), apareceu bem na linha de fundo e rolou para Elton marcar o terceiro do time e o primeiro dele no Vasco.

3x0, vitória e classificação assegurada. Ao menos dentro de campo. Agora é esperar que nosso jurídico misture a força de Nilton, a segurança de Tiago e a habilidade de Carlos Alberto e nos deixe no lugar que nos pertence de direito.
.
Sds vascaínas a todos!

domingo, 15 de fevereiro de 2009

UM GOSTINHO DE DERROTA

Thiaguinho tenta a marcação
Foto: Lancenet

Torcedores do Glorioso,

Poderia ser melhor. O Botafogo foi até a casa do adversário para encarar o Flamengo cheio de modificações. A esperança do Glorioso era sair vitorioso para dar um grande passo e classificar-se em primeiro do grupo, de quebra, levaria o mengo ao primeiro insucesso da Taça Guanabara. O time até que se comportou bem, destaque positivo para Renan que pegou pênalti e fez uma de suas melhores partidas, no fim das contas, um gol de Josiel, no final, decretou o empate. O gol do Bota foi de Batista.

As equipes se estudaram até um pouco além dos dez minutos, quando ambos descobriram a chave para furar a defesa, nesse quesito o fogão levou a melhor porque marcou primeiro. A jogada começou com Alessandro que deu um belo passe de três dedos, após isso, Reinaldo tabelou com Batista que deu um chutaço no canto direito de Bruno, sem chances: Glorioso 1 a 0.

Até o exato momento, Cuca, treinador do Fla, estava conseguindo uma façanha: Perder três clássicos entre Botafogo e Flamengo jogando por times diferentes. E o velho Cuca parece estar o mesmo desde os tempos de fogão com suas estranhas e mirabolantes substituições fora o esquema tático surreal. Enquanto o Fla batia cabeça na zaga o Bota deixava de matar o jogo: Aos 25, Alessandro descolou bom cruzamento e Diego, sozinho na marca do pênalti, cabeceou nas mãos de Bruno.

As chances perdidas no clássico continuaram, só que desta vez para as duas partes. Aos 30 minutos Obina não dominou um cruzamento de Egídio e trombou com Renan sendo vaiado pela galera presente. Com inveja do Fla, o Botafogo também perdeu seu gol feito com Túlio Souza que botou a redonda para descançar lá nas cadeiras azuis. No final ainda deu tempo do goleiro Renan se destacar em dois chutes de Jonatas.

Na volta para o segundo tempo o Botafogo diminuiu o ritmo, em compensação o Fla veio com muita velocidade e arrumou um pênalti aos 5 minutos. Alessandro, infantilmente, empurrou o lateral Egídio. Caso o Flamengo marcasse, o jogo iria ficar tenso porque a possibilidade de virada seria maior. Obina foi pra bola e Renan catou no canto esquerdo, defesaça do goleiro - que se adiantou um pouco, é verdade - impedindo o empate.

A torcida do Botafogo agradeceu ao "artilheiro" do mengo com os gritos de "Ohhh, Obina é um M...". Mesmo perdendo o pênalti e em desvantagem no placar, o Flamengo seguia melhor no jogo, o tradicional recuo do Botafogo se fez presente. Inexplicavelmente Ney Franco colocou Jougle em campo, num clássico, está querendo queimar o garoto, a única coisa positiva que ele fez foi acalmar Reinaldo e Triguinho quando esses quase trocaram socos em uma falta próxima a área.

No lado do Fla Cuca tirou Obina e colocou Josiel, o Flamengo estava afim do empate. Para isso teria que passar por Renan, inspiradíssimo o goleiro evitou um gol contra de Leandro Guerreiro e logo depois salvou com um soco o chute de Jonatas. Já passavam dos 30 minutos quando o Botafogo decretou que não atacava mais, a essa altura até as alterações de Ney Franco eram para posicionamento defensivo. Renan seguia salvando o Botafogo lá atrás, mas já nos acréscimos, aos 47, não deu mais.

Lançamento para a área, a zaga do Bota não coseguiu cortar e a bola sobrou limpinha para Zé Roberto, o ex-botafoguense bateu firme na bola e Renan fez mais uma defesa linda, porém Josiel estava no lance, e desmarcado, para escorar e empatar tudo. Com o resultado o Botafogo permaneceu em segundo e deve encarar o Fluminense, mas ainda espera o julgamento que pode devolver os pontos ao Vasco e assim o adversário mudaria passando a ser o cruzmaltino.

FICHA TÉCNICA:



sábado, 14 de fevereiro de 2009

FRED VEM AÍ!

Fred é o novo reforço do Fluminense


Caros amigos tricolores,

Duas boas notícias para a torcida. Primeiro, a vitória por 2 a 1, fora de casa, contra o Americano, adversário direto na luta por uma das vagas nas semifinais da Taça Guanabara. Nesta partida contra o time da cidade de Campos, o Fluminense contou com algumas boas atuações, caso do zagueiro Cássio e do meia Thiago Neves, que enquanto teve pernas foi o melhor do time. O zagueiro não sentiu o peso de assumir a camisa 3, que era usada até o fim da temporada passado por Thiago Silva e deu conta do recado. Já o camisa 10 mostrou muita categoria na cobrança de falta do primeiro gol.

Mas é preciso deixar um recado para o goleiro Fernando Henrique: depois de algumas temporadas em que era visto com muita desconfiança pelos torcedores, o goleiro realizou um ótimo ano de 2008, porém, ninguém sabe o motivo, cometeu um pênalti absurdo, e quase pôs tudo a perder. Tudo bem que depois foi para a área e sofreu pênalti que resultou no gol da vitória, marcado pelo argentino Conca.

Entretanto, com esta sofrida vitória, continuamos vivos, e temos que vencer o Tigres e depois ver no que vai dar a confusão envolvendo o Vasco.

Já a segunda e mais aguardada notícia é a chegada do atacante Fred. Depois muitas idas e vindas, desencontros, declarações polêmicas, o ex-jogador do América-MG, Cruzeiro e Lyon, que atuou pela Seleção Brasileira na Copa de 2006 (marcando 1 gol), acertou contrato com o Fluminense e a intenção da diretoria é apresentá-lo aos torcedores neste domingo, pela manhã, no Salão Nobre das Laranjeiras, e a tarde em São Januário, na partida contra o Tigres. A estreia de Fred pode acontecer na quarta-feira, pela Copa do Brasil, contra o Nacional-PB.

sexta-feira, 13 de fevereiro de 2009

ELIMINADO, MAS AINDA COM ESPERANÇAS

Amigos vascaínos,


Na tarde desta quinta-feira o Vasco foi punido pelo TJD-RJ com a perda de seis pontos e uma multa de R$ 5 mil. A condenação, por quatro votos a um, foi em virtude da suposta escalação irregular de Jeferson, ainda na primeira rodada contra o Americano. Dessa forma, o time, que estava na liderança, cai seis posições e com apenas 5 pontos, não tem mais chances matemáticas de classificação às semifinais da Taça Guanabara. O recurso da sentença será julgado na terça-feira, evitando assim que a competição fique paralisada.


Toda a história começou quando o Brasiliense obteve uma decisão no Tribunal do Trabalho do Distrito Federal obrigando Jeferson a voltar ao time candango, interrompendo assim o contrato com o Vasco. No sábado, dia 24, data da estréia, o Clube conseguiu uma liminar que permitia a escalação do jogador. Assim, apesar do jogador não constar no BIRA da FERJ (na data Jeferson constava no BID da CBF), ele atuou durante toda a partida, que terminou com a derrota do Vasco por 2x0. O Clube então foi denunciado e acabou punido. Vale lembrar que na sexta-feira, o presidente da Federação, Sr. Rubens Lopes declarou que se Jeferson obtivesse a liminar poderia jogar normalmente. Além disso, o procurador-geral do TJD, André Valentim, afirmou que o atleta atuou de forma legal.

O caso deixa claro algumas coisas: claramente houve má-intenção da federação e o nosso jurídico é absolutamente despreparado. Os dois fatores caminham juntos e culminaram nesse triste desfecho do processo.

A perda dos pontos pelo Vasco deixa ainda mais claro que o campeonato está armado. Não bastassem as manobras dos árbitros em campo, agora o tribunal se intrometeu na disputa. Assim, o único beneficiado foi o Fluminense, apontado como favorito pela imprensa, mas que faz campanha vergonhosa na competição. Agora, o timinho das Laranjeiras depende apenas de si para obter a classificação e quem sabe fazer a sonhada final da federação: Fla x Flu. Além disso, recentemente nossa diretoria criticou a presença de Eurico Miranda nos corredores da federação, o que causou irritação a Rubens Lopes. Se não bastasse, ainda permitiram a entrada de um representante do Fluminense no julgamento, sendo que a Unimed em nada participava do processo. O próprio Americano, envolvido na partida polêmica, em momento algum se pronunciou quanto ao tema.

Vale lembrar que o Vasco PERDEU o jogo, o que desqualifica a hipótese do Clube ter tentado tirar vantagem. Além disso, o jogador constava como atleta do Vasco na CBF, órgão máximo do futebol brasileiro. O mais correto seria a aplicação de uma multa ao Clube, porém não interferindo nos pontos conquistados dentro de campo, todos de forma lícita e inquestionável.

De todo modo, não podemos negar o pecado do nosso jurídico. Se havia algum risco na escalação de Jeferson, não havia um porquê de escalá-lo. Alguém que se propõe a trabalhar no jurídico de um Clube deveria saber os problemas que uma escalação incorreta poderia trazer. Caso se tratasse de um craque não valeria correr o risco, imagine tratando-se do Jeferson...

A defesa do caso também foi muito mal formulada. Não é preciso ser um craque do direito para saber que usar o pretexto 'como o torcedor leigo irá entender?' nunca iria colar em um tribunal. O que parece é que depois da declaração de Rubens Lopes e do procurador André Valentim, nosso advogado acomodou e achou que íamos vencer facilmente. Caímos do cavalo, porém certamente ele não será descontado nos R$ 55 mil mensais que recebe do Clube.

Terça será julgado o recurso. Minha opinião: prevalecerá o bom-senso e o Vasco não perderá os pontos. Porém, que o caso sirva de lição para nossa diretoria.

Alheio a tudo isso, o grupo segue trabalhando para a partida de domingo contra o Madureira. O duelo, marcado para as 16 horas, será realizado no Engenhão. O Vasco contará com força total, tendo o retorno de Titi e Alex Teixeira. Nossa situação quanto a classificação segue confortável (sem levar em conta os pontos perdidos no tapetão).

Uma vitória nos dá o primeiro lugar sem depender de outros resultados. Um empate nos classifica, mas precisamos torcer contra o Americano para garantirmos a liderança. Até mesmo em caso de derrota o Vasco pode garantir a vaga, mas ai seria uma combinação de resultados bem mais complicada.

Enquanto somos obrigados a ir ao estádio do Botafogo visitar o Madureira, o Fluminense vai ao nosso por não ter estádio pra jogar. Não duvidem se São Januário ficar totalmente destruído após o jogo. Coisas de uma federação despreparada e de uma diretoria incompetente em negar ceder nosso maior patrimônio às bichas loucas.

E por falar na diretoria, as declarações do Coelho ainda seguem rendendo. Ontem ele soltou mais algumas bombas, todas respondidas por Dinamite e Mandarino. Veja aqui, aqui e aqui, trechos da entrevista de ambos.
Sobre as declarações, concordo com as opiniões de Dinamite e Mandarino. Sobre a troca de acusações, elas em nada somam ao Vasco e por não estar dentro do Clube, prefiro não comentar.
Apesar de que entre o Pinóquio e o Coelho, eu acredito no bom e velho boneco de madeira.

Sds vascaínas a todos!

FOGÃO DETONA

Maicosuel festeja com Reinaldo

Torcedores do Glorioso,

O Friburguense tem pago caro e com juros o fato de ter feito o Botafogo de freguês no final da década de 90. Nos últimos quatro jogos, o fogão venceu todos -de goleada-, além de fazer 19 gols e sofrer apenas 2. Ontem não foi diferente, apesar do gramado pesado e curto do Eduardo Guinle, a equipe de Ney Franco se comportou bem e aproveitou a fragilidade da defesa para fazer 5 a 1 com atuação marcante de Maicosuel.

A vitória era importante para o Botafogo seguir firme na disputa da Taça Guanabara, caso conseguisse um triunfo, o Glorioso permaneceria com chances de se classificar em primeiro e assim pegaria, teoricamente, o time mais fraco na semifinal, além disso tomaria um gás a mais para derrotar o Flamengo, no próximo domingo.

A goleada começou a ser construída aos 13 minutos. Maicosuel cobrou escanteio e Fahel se antecipou a zaga para marcar de cabeça. A dupla voltaria a dar alegria para a torcida minutos mais tarde. Com a vantagem no placar, o Bota atrasou todos os seus setores e passou a jogar mais recuado, mesmo assim, a impressão de que o Alvinegro faria o segundo era constante. Porém nada no futebol é certo, e por isso ele é apaixonante. Aos 21, Sérgio Gomes cruzou, Wellington não foi na jogada e Hércules cabeceou com precisão para empatar. 1 a 1.

O jogo começou a ficar indefinido novamente e ambos os times tinham dificuldades para chegar ao ataque. Somente aos 43 minutos o Bota conseguiu marcar mais uma vez, Maicosuel invadiu a área e foi derrubado pelo goleiro Adriano que machucou-se no lance. O próprio camisa 10 bateu, com paradinha polêmica e fez o segundo sem qualquer reação do goleiro que estava mais preocupado com sua contusão. Logo depois ele deu lugar ao reserva Bruno.

A equipe não aliviou o Frisão e achou o terceiro gol ainda no primeiro tempo. Novamente ele, Maicosuel, cobrou escanteio e Fahel marcou outro de cabeça, em falha de Bruno. O resultado de dois gols de diferença estava dando mais tranquilidade para o Botafogo poder trabalhar na segunda etapa e quando Fahel dava uma entrevista falando sobre seus gols, foi arrancado do campo por um segurança do Botafogo sob a alegação de uma chamada do médico do clube, já que Fahel cortou a cabeça no lance do gol. É melhor Maurício Assumpção controlar isso, o torcedor precisa saber o que os jogadores estão achando da partida e o jornalista é o porta-voz disso, merecem ser respeitados.

Na volta para o segundo tempo, o Botafogo não deu nem tempo para torcedor mais atrasadinho ver o quarto gol do time. Maicosuel recebeu um passe e entrou na área driblando os zagueiros, ao perceber a saída de Bruno ele deu um toque por cobertura e marcou o gol mais bonito do jogo. Botafogo 4 a 1. Nesse momento a certeza da vitória por goleada estava garantida, ainda mais quando aos 12 minutos Reinaldo fez o quinto. Maicosuel entrou na área driblando pela esquerda e rolou para trás, o camisa 7 do Botafogo chegou batendo firme na bola e contou com outra falha de Bruno para fazer o quinto.

Com muita animação a torcida alvinegra começou a provocar o Flamengo, próximo adversário, e a pedir que o time buscasse mais um gol. Porém Ney Franco começou a poupar os jogadores para o clássico. Sacou Reinaldo, Léo Silva e Thiaguinho colocando a campo Diego, Batista e Alex, respectivamente. Isso fez com que o ritmo de jogo caísse bruscamente. O treinador optou por não tirar Maicosuel que fazia boa partida. Porém o camisa 10 se estranhou com o lateral do Friburguense e o árbitro mostrou o vermelho para os dois. Pouco depois Crispin, também do Frisão foi expulso, mas o Botafogo não aproveitou a superioridade e venceu mesmo por 5 a 1.
FICHA TÉCNINA: Globoesporte.com

















quinta-feira, 12 de fevereiro de 2009

SE JOGÁSSEMOS A NOITE TODA SERIA 0 A 0

Amigos vascaínos,

Apesar de dominar a partida durante os 90 minutos, o Vasco não passou de um empate em 0x0 em casa contra a Cabofriense. Mesmo criando infinitas chances de gol, o time cruzmaltino foi traído pela trave, pela falta de pontaria e pela grande atuação do goleiro Flávio. Com o resultado, chegamos aos 11 pontos, continuando na liderança do Grupo A. Para obtermos a classificação continuamos dependendo apenas de nossas forças, mas para continuarmos na liderança do grupo, precisamos torcer contra o Americano, que enfrenta o Fluminense hoje.

A Cabofriense havia prometido uma postura ofensiva, mas em campo, aconteceu exatamente o contrário. Provando que a melhor defesa é o ataque, o Vasco sufocou o adversário em seu campo de defesa. O time de Cabo Frio só ameaçava em jogadas de bola parada e raramente saia de seu campo. As chances de gol desperdiçadas foram tantas que seria difícil listar todas. Uma blitz como poucas vezes vista. O adversário teve em todo o jogo, apenas uma chance de gol no finalzinho do segundo tempo.

Aos 14 do 2º tempo, Felipe Dias recebeu o segundo amarelo e foi expulso. Aos 28, Marcio deu carrinho por trás em Nilton e foi expulso direto. Com dois a mais, o Vasco foi pressão total. Após as expulsões, Dorival Jr. sacou Vilson e Amaral para entrada de Enrico e Benitez. Antes, no intervalo, havia tirado o apático Pimpão para entrada de Faioli, que pouco fez, além de perder gols. Jogamos por mais de 20 minutos com dois jogadores a mais e apenas Fernando na defesa.

Um resumo da partida: o Vasco jogou para vencer por 4 ou 5 gols de diferença, porém finalizou como quem não precisava ganhar. Foi o jogo com maior domínio de uma única equipe que vi em toda a minha vida. Porém, isso pouco importa se a bola não entra no gol. A sensação que deu após o jogo é de que se houvesse mais três horas de jogo, o gol não aconteceria. Assim: o time merece uma nota 7 pela atuação.

Dizer que Nilton jogou bem é chover no molhado. Ontem porém, beirou o absurdo. Parecia um adulto jogando em meio a crianças. A superioridade física e técnica do nosso camisa 6 em relação aos companheiros e adversários era de espantar. Perfeito nos desarmes e nos passes, dominou o meio-campo, mais parecendo um veterano. Ainda causou a expulsão de um adversário, após sofrer um carrinho por trás. Seu domínio e proteção de bola são fantásticos. Não sei como o Corinthians liberou, mas já que o fizeram, muito obrigado. Fiquem com Cristian, Fabinho e etc.

Tiago e os zagueiros foram meros espectadores do jogo. Nossos laterais fortam grandes armas na criação e na finalização. A Ramon faltou um pouco mais de capricho e a Paulo Sérgio, sorte em suas duas bolas na trave.

No meio, Amaral foi bem nos desarmes e não inventou na criação. Saiu para que o time fosse mais ofensivo. Jeferson mais uma vez esteve apagado e já começa a ter sua titularidade contestada. Carlos Alberto buscou jogo o tempo todo. Evitou as faltas e dessa vez não recebeu amarelo. Por outro lado, com seu talento, sofreu muitas faltas e fez com que os adversários recebessem muitos cartões. Enrico e Benitez entraram para o abafa e apareceram pouco com destaque para o primeiro. O paraguaio prendeu muito a bola e irritou a torcida.

No ataque, o maior dos problemas. Elton procurou jogo, finalizou, mas ainda não parece ser 'O Cara'. Pimpão fez sua pior partida no Vasco e irritou a todos. Displicente e errando muito, saiu no intervalo. Seu substituto Faioli, correu e se esforçou, mas também perdeu muitos gols. Essa parece mesmo ser a posição mais problemática da equipe.

No fim, algumas vaias e aplausos. Na verdade o time não merecia uma coisa nem outra. Empatar contra a Cabofriense em casa, jogando com dois a mais durante um tempo, foi uma decepção. Porém, ninguém pode negar que todo o time tentou e buscou o gol do primeiro ao último minuto.
Agora é hora de treinar bastante para domingo. Os resultados de hoje poderão clarificar mais nossa situação no grupo. Que contra o Madureira, tiremos o atraso dos dois últimos jogos e balancemos a rede adversária.

Sds vascaínas a todos!


EMPATE INSATISFATÓRIO!

Cuca mexe na equipe e Flamengo apenas empata com o Boavista
Foto: Ivo Gonzalez - O Globo


Torcedores do Mais Querido do Brasil!

O Flamengo perdeu os 100% de aproveitamento na Taça Guanabara. No confronto com o Boavista, o time da Gávea empatou por 2 a 2, no Maracanã. Josiel e Fábio Luciano marcaram para o Rubro-Negro e Santiago e Roberto Santos marcaram para o time de Bacaxá.

O técnico Cuca pôs a campo uma equipe mista com o intuito de observar os demais jogadores que não vem tendo oportunidade no time e pelo visto não terão outra chance tão cedo. De uma forma geral, o elenco não vem apresentando um bom futebol, mas ontem, a equipe ficou devendo e muito.

O Flamengo até começou jogando bem, com boas trocas de passes, o meio-campo Jonatas distribuindo as jogadas pelo meio-campo e o lateral Everton Silva demonstrando velocidade e habilidade junto, chegava fácil na linha de fundo para o cruzamento em busca de Josiel e em chutes cruzados na entrada da área.

Kléberson demonstrou revolta durante a semana, declarando insatisfação com o banco de reservas e ameaçando sair do Mais Querido, mas com a atuação ontem a noite...

Creio que não, mas o pentacampeão mundial com a Seleção Brasileira até agora vem vestindo o Manto Sagrado pelo que fez em 2002, na Copa, e não pelo que joga atualmente. É triste ver o Kléberson atuando. Está muito mal. Diferente daquele jogador que era um ponto de referencia para o Felipão. Nem atuando em sua posição de origem diante do Boavista, o camisa 15 conseguiu desempenhar um bom papel.

O jovem Everton demonstrou que não pode atuar como lateral-esquerdo. Constantemente, o time de Bacaxá se aproveitava dos espaços deixado pelo atleta no setor. Quando ele partia para o ataque, não havia cobertura na ponta esquerda. Egidio que entrou no segundo tempo pouco acrescentou.

Douglas esteve muito nervoso em sua estréia, mas pode ajudar o Flamengo ao longo da temporada. O mais preocupante é o exagero nas jogadas aéreas. Até que vem dando certo, mas o Flamengo precisa colocar a bola no chão e conseguir chegar ao gol sem essa única artimanha.

Aos 24 minutos, o Flamengo abriu o placar em uma falha do zagueiro Santiago, que Josiel não titubeou e abriu o placar. 1 a 0.

O Boavista não se intimidou com o gol e por pouco não empatou aos 38. Em uma bobeada de Toró, o atacante Roberto Santos se aproveitou e a bola saiu raspando a trave direita de Bruno.

Aos 42, em contra-ataque rápido do time do Boavista não teve jeito, a zaga do Flamengo estava desarmada, e após chute cruzado de Tony, que Bruno defendeu parcialmente depois de Toró desviar, Roberto Santos de carrinho colocou no fundo do gol. 1 a 1.

No intervalo, o treinador Cuca começou a mexer na equipe e substituir errado. Tirou o melhor jogador em campo, Jonatas para a entrada de Airton e o zagueiro Douglas saiu para a entrada de Egidio. Com isso, Everton foi para o meio-campo. Mas quem voltou com tudo foi o Boavista.

Aos três minutos, em falha de Fábio Luciano, Santiago se antecipou e cabeceou em jogada ensaiada do time de Bacaxá e empatou a partida. 2 a 1.

Minutos depois, em falta inexistente, o Boavista quase ampliou. Bruno Moreno soltou a bomba e a bola carimbou o travessão.

O Flamengo voltou a pressionar com as bolas paradas. E em uma delas, aos 13 minutos, Fábio Luciano empatou. O time rubro-negro tentou pressionar, mas o time esbarrava na zaga alviverde. Kléberson teve a chance de desempatar, mas o goleiro do Boavista começou a se destacar nos minutos finais e deixou o placar no empate em 2 a 2.

Na última rodada da Taça Guanabara, o Flamengo faz o clássico contra o Botafogo, no domingo, às 16h, no Maracanã.



quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

DO FUNDO DO BAÚ: FLAMENGO 1 X 0 VASCO DA GAMA(1978)

No dia 03 de Dezembro de 1978,num domingo, Flamengo e Vasco da Gama jogaram no Estádio do Maracanã pelo Campeonato Carioca e o time da Gávea levou a melhor ganhando por 1 tento a 0 com gol do Deus da Raça Rondinelli e conquistando o título estadual.

O Jogo

FLAMENGO (RJ) 1 X 0 VASCO DA GAMA (RJ)
Data : 03/12/1978
Campeonato Estadual
Local : Estádio Do Maracanã / Rio De Janeiro
Arbitro : José Roberto Wright
Público : 120.433
Gol : Rondinelli 42/2º
FLAMENGO: Cantarelli, Toninho, Rondinelli, Manguito, Júnior, Carpeggiani, Adílio, Zico, Marcinho, Tita (Alberto) e Cléber (Eli Carlos) / Técnico : Cláudio Coutinho
VASCO DA GAMA: Leão, Orlando, Abel, Gaúcho, Marco Antônio, Helinho, Guina, Paulo Roberto, Wilsinho (Paulo César), Roberto Dinamite e Ramon (Paulinho) / Técnico : Orlando Fantoni
Expulsão : Guina (Vasco) e Zico (Flamengo)

O Craque: Rondinelli
Rondinelli chegou ao Flamengo em 1974 e, após dois anos disputando posição, firmou-se como titular absoluto. Rondinelli era um zagueiro vigoroso, que não dava moleza para os adversários e estava disposto a fazer o possível e o impossível para evitar gols dos rivais. Zagueiro aguerrido, não existia bola perdida para Rondinelli, que, segundo Zico, foi o único jogador que ele viu dividir uma bola com cabeça. Tal fato aconteceu durante um Fla-Flu, quando Rondinelli usou a própria cabeça para retirar uma bola dos pés de Rivelino.

Porém, foi somente em 1978 que o nome de Rondinelli entrou definitivamente para história do clube. Na final do Campeonato Carioca contra o Vasco, em uma cobrança de escanteio a favor do Flamengo, aos 41 minutos do 2ºtempo, o zagueiro deu um pique do meio-de-campo até a área adversária e, com uma cabeçada que mais parecia um chute, marcou o gol do título rubro-negro.

Daí por diante, o jogador passou à condição de ídolo da torcida rubro-negra, que o imortalizou com o apelido de Deus da Raça. Depois do Flamengo, Rondinelli teve passagens discretas pelo Corinthians e Vasco e, em 1983, encerrou sua carreira no Bonsucesso.

Atualmente, o zagueiro vive em sua cidade natal, e faz questão de expressar seu amor pelo Clube também fora de campo: "Quando comecei a jogar pelo Flamengo, aprendi logo que quem veste essa camisa tem de motrar garra e amor à torcida, não importa a qualidade de seu futebol. Caso contrário, é melhor ir embora".

Dados de Rondinelli

Nome Completo: Antonio José Rondinelli Tobias
Dia do Nascimento: 26 de Junho de 1955
Nascimento: São José do Rio Pardo (SP)
Posição: Zagueiro
Número de Partidas pelo Flamengo: 406
Número de Gols: 12

Histórico
Anos Time
1971-1981 Flamengo
1982 Corinthians
1982 Vasco
1982-1983 Bonsucesso

Títulos
Flamengo
Campeonato Carioca: 1974, 1978, 1979, 1979 (Especial)
Taça Guanabara: 1978, 1979, 1980
Troféu Ramón de Carranza: 1979, 1980
Campeonato Brasileiro: 1980

Fonte: Flapedia

YES, WE CAN!!

Se o Obama pode, o Botafogo também pode
Montagem: Ricardo Oliveira

Torcedores do Glorioso,

Oficialmente classificado para as semifinais da Taça Guanabara, é essa a situação atual do Botafogo. Mesmo chegando desacreditado e com várias mudanças, o Glorioso impôs seu nome e garantiu vaga entre os quatro melhores do primeiro turno. A frase acima: "Yes, we can", traduzida ao português significa "Sim, nós podemos". E o Botafogo, com toda certeza, pode e deve conquistar o título da Taça Guanabara, assim como Obama conquistou os eleitores americanos e tornou-se o novo presidente dos Estados Unidos.

Podem falar o que quiser: Não temos defesa, não temos um camisa 10 habilidoso, falta um lateral-esquerdo de ofício... Isso tudo é verdade, mas temos uma coisa que vale por todas, TRADIÇÃO e é isso que vai fazer a diferença a partir de agora, seja Vasco ou Americano nas semifinais, a tradição tem de estar acima de tudo e levar o Botafogo a conquistar seus objetivos.

É hora de comer pelas beiradas, a badalação e elenco cheio de astros nunca deu certo com o Botafogo, sempre ganhamos campeonatos com times desacreditados (vide 89 e 95). Vamos acreditar no Glorioso até o fim. Nas últimas cinco decisões de estadual - contando decisão de turno e campeonato - O Botafogo esteve presente em todas, nem sempre saindo vencedor, mas sempre presente.

Mas o que o Obama tem a ver com a história? Se um presidente negro com sobrenome parecido com o maior terrorista da história e que até hoje é perseguido pelos EUA consegue comandar a maior nação do mundo, porque o Botafogo não pode colocar em sua galeria de troféus mais uma taça Guanabara? - lembrando que os últimos três campeões cariocas venceram a Taça Guanabara antes de ganhar o estadual - Como a surperstição fala alto no Botafogo, é hora de ver o Juninho erguer esse troféu.

Saudações Alvinegras.

AGORA OU NUNCA!

Torcedores do Rio!

O Fluminense que enfrenta o Americano, amanhã, em Campos, viverá o momento mais importante do clube no Campeonato Carioca. Com apenas cinco pontos em cinco jogos disputados, qualquer tropeço será fatal para a classificação as semifinais da Taça GB.

Se nos bastidores a contratação do atacante Fred está praticamente sacramentada, na equipe que enfrenta o Americano, Leandro Amaral é desfalque certo. No treinamento dessa manhã, o jogador sofreu uma entorse no joelho e ficará de fora. Com isso, Maicon será o substituto do jogador.


René Simões vive um momento de inconstâncias e um resultado negativo na partida de amanha pode ser crucial para sua demissão. Após livrar o Flu do descenso no Brasileiro 2008, o clima é tenso nas Laranjeiras pelo alto investimento feito na equipe para a essa temporada. Deve-se dar tempo ao tempo, René mostrou que é um cara que sabe lidar com as situações e não está abaixo da média dos demais treinadores do Brasil.

Cogita-se a volta de Renato Gaúcho ao comando do Tricolor, caso o atual técnico seja mesmo demitido. Isso mostra apenas que o futebol carioca é uma panela e pouca coisa muda a começar pelos comandantes e dirigentes.


O Vasco teve um começo de ano não muito bom com a derrota em casa para o Americano, mas se recuperou e é um dos candidatos ao título da Taça Guanabara mesmo com uma equipe totalmente refeita após a queda no Brasileirão. O técnico Dorival Júnior terá essa noite, diante da Cabofriense, em São Januário, a chance de classificar sua equipe antecipadamente para a semifinal do primeiro turno do estadual.

Alex Teixeira e Titi desfalcam a equipe , porém Vilson e Elton, que vem entrando muito bem nos últimos jogos terão uma oportunidade. Ano passado, o time da Colina goleou a Cabofriense por 5 a 1, um dos gols foi de Alan Kardec, que retorna quinta-feira após conquistar o título Sul-Americano sub-20 com a Seleção Brasileira.

O Vasco conseguiu em cinco jogos impor sua força no Carioca e será difícil segurar o ímpeto do Time da Colina.


O Botafogo encara o Friburguense, quinta-feira, e em caso de vitória garante também a classificação para as semifinais da Taça GB. Sem Victor Simões, suspenso pelo terceiro cartão amarelo, Lucas Silva entra na vaga do atacante. Entretanto, o que mais marca a semana no Botafogo é a novela entre o Alvinegro e o argentino Zárate.

Essa novela parece “Malhação” no qual começou e não tem fim. Sempre se renova. Vira e mexe surge novas notícias de que o jogador ora está na Argentina e ora está no Brasil. O certo mesmo é que nem a própria diretoria do clube sabe mais onde está o jogador e o que fará com ele. A melhor opção é se livrar desse estorvo o mais depressa possível e investir em algum jogador que honre as corem do Botafogo.


No Flamengo, ano de eleição virou sinônimo de confusão. Enquanto o time mantém os 100% de aproveitamento na Taça GB, com a classificação assegurada para as semifinais, e faz um jogo diante do Boavista essa noite apenas para testar alguns jogadores e dar oportunidade a eles, caso de Jonatas, Josiel, Everton Silva e Douglas, o cenário político do clube está estremecido.

O presidente Marcio Braga que está licenciado do cargo por problemas de saúde fez um cateterismo para desobstruir as artérias do coração.


São vários problemas que atingem o clube também nos esportes olímpicos. Surgiu a informação de que a ginástica estaria sofrendo com a falta de água. A precariedade para os esportistas é triste. Nem mesmo o apoio da Prefeitura de Niteroi está dando conta do recado.


Nos bastidores da Gávea, apuramos que os nomes de Hélio Ferraz, Patricia Amorim, Eduardo Cardozo, Delair Dumbrosk e Kléber Leite estão na disputa pelo comando do Rubro-Negro no próximo triênio.

Apesar da crise financeira que assola o clube, nos últimos anos, o Flamengo vem lutando contra as dívidas. Isso é o que mostra o último relatório entregue pelo então vice de finanças, José Carlos Dias. São 21 páginas que vale apena conferir.

Clique Aqui!

ESSA SIM É A SELEÇÃO CANARINHO!

Robinho e Elano comemoram o gol sobre a Itália
Foto: Agência Reuters

Após a demissão de Luiz Felipe Scolari no comando do Chelsea, tinha muita gente torcendo para um derrota da Seleção Brasileira para a Itália, no amistoso em Londres. Mas diferentemente dos outros jogo$ ami$to$o$, o Brasil mostrou qualidade e calou a boca de muitas pessoas que queriam e querem a queda de Dunga antes do início da Copa do Mundo no próximo ano e apostam na promoção de um treinador mais experiente, casos de Wanderlei Luxemburgo ou o próprio Felipão.

O empate nos confrontos históricos foi modificado, e com um futebol vistoso principalmente por Robinho, que marcou um belo gol, driblando dentro da área os zagueiros da Azzurra e marcando o segundo gol, a Seleção Canarinho passou a frente com seis vitórias, cinco derrotas em 13 jogos disputados.

A surpresa da convocação para o amistoso, Felipe Melo, teve boa participação na partida, apesar da falta de entrosamento com a equipe que vem treinando há algum tempo no comando técnico de Dunga. Elano que entrou na vaga de Kaká, que foi cortado por contusão, teve destaque, e foi o autor do primeiro gol ao sair na cara de Buffon, tocando com categoria para o fundo das redes.

A Itália começou melhor, com um gol anulado, mas a categoria dos tupiniquins falou mais alto e o Brasil com todas as duras críticas pelo futebol irregular apresentado nas Eliminatórias venceu mais um clássico. No último amistoso, a seleção goleou os colonizadores portugueses.

A seleção perdeu a cara do povo, mas não parece perder a mística de sua camisa. Quem sabe o hexacampeonato não se repete assim como os dois últimos títulos mundiais onde a classificação para a Copa do Mundo veio através de muito sufoco e esforço?

É esperar pra ver!

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009

E-LI-MI-NA-DO!

Amigos vascaínos,


Jogando para um público de mais de 40.000 pessoas, Vasco e Fluminense fizeram um clássico morno e não sairam do 0x0. Melhor para o Vasco que segue na liderança do Grupo A, agora com 10 pontos. O rival chegou aos 5 pontos, caiu para o 6º lugar do grupo e viu suas chances de classificação se resumirem a um milagre.

Antes da partida, o público que chegava ao Maracanã cantava e provocava os rivais. Em infinita maioria, a torcida do Vasco cantava alto e antes mesmo de ser provocada, já zombava aos gritos de 3ªDivisão. Com nossa parte totalmente lotada, a torcida gargalhava de ver a pequena galera tricolor do outro lado. Nos jornais de hoje dizem que eles cantaram, mas o máximo que podíamos perceber era um grupinho pulando ali e outro acolá. Chamar isso de clássico é apenas uma referência histórica.

O Flu entrou em campo primeiro. Os xingamentos a Leandro Amaral podiam ser ouvidos até em São Januário. O atacante foi xingado e vaiado durante todo o jogo e o máximo que conseguiu fazer foi provocar risos da torcida do Vasco, com seu futebol medíocre e abaixo da crítica.

Ao entrar em campo, o time do Vasco foi saudado pela nossa imensa torcida no Maraca. Foi a estréia da camisa com numeração fixa e nome dos jogadores. Além disso, ao invés de patrocínio, constava a frase SEJA SÓCIO em referência ao programa de sócios prometido para o mês que vem.

Logo no começo do jogo, a bola parada do Vasco funcionou. Paulo Sérgio cruzou e um adversário salvou em cima da linha. Mais entrosado, o time vascaíno dominou totalmente no início do jogo. Apesar da maior posse de bola, o Vasco finalizava pouco. Depois dos 20 minutos, o Flu adiantou o time e cresceu. Com Amaral fazendo um terceiro zagueiro, Nilton ficava sobrecarregado em marcar Conca e Thiago Neves.

Assim, sobrava espaço para camisa 10 tricolor correr com a bola. A melhor chance foi aos 31, em desvio contra de Fernando, que Tiago se esticou para salvar. Jéferson levou perigo a FH em chute de fora da área e Roger quase marcou em cabeçada. Tiago fez uma defesa fantástica. O primeiro tempo, divido entre o domínio de Vasco e Flu acabou mesmo em 0x0.No intervalo, conversávamos que seria bom sacar Alex Teixeira, que vinha apagado e já tinha cartão amarelo. O garoto até voltou bem, criando uma chance de gol. Porém aos 4, fez falta dura e recebeu corretamente o segundo amarelo, deixando o Vasco com um a menos.

Antes, Carlos Alberto tinha sido advertido com o amarelo, em uma falta comum, de jogo. Prova clara da implicância dos árbitros com nosso camisa 19. Nesse ritmo, as suspensões vão ser mais frequentes que imaginávamos. Enquanto isso, Conca batia em tudo e em todos. Já tendo cartão amarelo, mereceu algumas vezes a expulsão, contando com a benevolência do juiz, que deixou o gringo em campo.

Naturalmente mais recuado, o Vasco só saia nos contra-ataques. Ramon passeava em cima de W. Monteiro, que inteligentemente foi sacado por Renê para entrada de Mariano. O substituto quase marcou aos 15. Visando prender o Flu em seu campo, Dorival tirou Carlos Alberto e colocou Elton. Pesado, nosso camisa 9 não incomodou.

Apagado, Jeferson saiu para entrada do mais defensivo Mateus, enquanto o cansado Pimpão saiu para entrada do veloz, mas pouco inspirado Fernandinho. Leandro Amaral foi substituído, sendo vaiado e xingado pelas duas torcidas. Todo castigo pra mal-caráter é pouco. A entrada de Tartá melhorou o Flu e o moleque quase marcou em cabeçada. Tiago fez defesa belíssima. A pressão desordenada do tricolor gerava contra-ataques para o Vasco, mas Fernandinho errava no último passe. No fim,

Edcarlos fez falta grosseira e foi expulso. A torcida do Vasco vibrou e cantou "Adeus, Nense"! e "E-li-mi-na-do"!
Não foi uma atuação brilhante, mas se precisava mostrar força frente a um forte adversário, o Vasco mostrou. Mesmo com um a menos por mais de 40 minutos, o time soube jogar com inteligência e garantir um resultado que nos foi conveniente.

Alguns jogadores mostraram muita personalidade, outros sentiram um pouco a pressão do clássico. O Estadual pode e deve ser um laboratório para os desafios futuros e o Vasco vem mostrando, jogo após jogo, que esse time pode nos dar um 2009 muito feliz. A torcida acredita e lota os estádios jogo após jogo. E em uma mostra de otimismo, cantou após o jogo:


"dá-lhe, dá-lhe, dá-lhe Vasco, seremos Campeões"


FICHA TÉCNICA:
FLUMINENSE 0 X 0 VASCO

Estádio: Maracanã, Rio de Janeiro (RJ)
Data: 08/02/2009 (domingo) Hora: 19h10min (horário brasileiro de verão)
Árbitro: William Marcelo de Souza Nery
Assistentes: Ediney Guerreiro Mascarenhas e Ricardo Maurício Ferreira de Almeida
Público: 38.539 pagantes; 40.935 presentes Renda: R$ 694.374,00
Cartões amarelos: Alex Teixeira, Titi, Carlos Alberto, Paulo Sérgio e Tiago(VAS); Roger e Conca (FLU)
Cartões vermelhos: Alex Teixeira (2º amarelo) 4'/2ºT (VAS), Edcarlos 46'/2ºT (FLU)

FLUMINENSE: Fernando Henrique; Wellington Monteiro (Mariano 10'/2ºT), Edcarlos, Luiz Alberto e Leandro; Fabinho, Diguinho, Darío Conca e Thiago Neves (Tartá 19'/2ºT); Leandro Amaral (Maicon 28'/2ºT) e Roger. Técnico: René Simões.

VASCO: Tiago; Paulo Sérgio, Fernando, Titi e Ramon; Amaral, Nilton, Jéferson (Mateus 28'/2ºT) e Carlos Alberto [cap] (Élton 19'/2ºT); Alex Teixeira e Rodrigo Pimpão (Fernandinho 28'/2ºT). Técnico: Dorival Júnior.
.
Sds vascaínas a todos!