Campeonato Brasileiro
[23/10 e 24/10] .::. Atlético-PR x Fluminense / Botafogo x Vitória / Vasco x Flamengo .::.

domingo, 30 de agosto de 2009

BOTA EMPATA COM A ARBITRAGEM

Reinaldo comemora o primeiro com os companheiros
Foto: Sátiro Sodré / BFR

Torcedores do Glorioso,

É hora de cair pra dentro (como diz o Zina), não podemos mais ficar observando enquanto a arbitragem joga contra o Botafogo. Hoje foi uma vergonha o que o Sr. Rodrigo Cintra (não é a cerveja) fez com o fogão dentro de seu território, o paulista ladrão jogou junto com o Grêmio e só faltou comemorar os gols da equipe gaúcha, mas como no Bota a gente já conhece o esquema que armam a favor dos adversários, o time lutou até o final e saiu com um empate que teve gosto de vitória. O árbitro conseguiu tirar dois pontos do Botafogo, 3 a 3.

No começo de partida a equipe já demonstrava que estava na vontade de sair da situação incomoda, com cinco minutos Reinaldo colocou Réver pra dançar e aplicou uma caneta linda, mas adiantou e Victor salvou o tricolor gaúcho. O Bota seguia tentando nas cobranças de falta de Juninho, enquanto o Grêmio saia no contra-ataque com Lúcio. Somente aos 19 minutos saiu o primeiro gol. Michel rolou para Lúcio Flávio pelo lado direito e o maestro mandou para a área, Reinaldo chegou batendo, Victor defendeu e Reinaldo conseguiu fazer no rebote. 1 a 0.

O gol inflou ainda mais os ânimos do Botafogo, mas o balde de água fria veio aos 23 minutos. Wellington afastou errado, Perea pegou a sobra e bateu cruzado, Jonas chegou sozinho e finalizou na trave, no rebote ele mandou de cabeça no travessão, Alessandro tentou cortar e errou, Jonas ainda conseguiu tocar e marcou o gol de empate. O Bota ainda teve uma oportunidade em cruzamento de Juninho que pegou o rumo do gol, mas Victor salvou.

Na volta do intervalo, Victor Simões, que vinha sendo vaiado, foi logo marcando. Reinaldo descolou lançamento preciso e o camisa 9 ganhou da defesa no corpo e só parou com um toque na saída de seu chará Victor virando o placar para o alvinegro. Até aí estava tudo bem, mas o árbitro paulista resolveu entrar em ação. Aos 12 minutos Mário Fernandes recebeu lançamento, mas a bola correu demais e saiu pela linha de fundo, mesmo assim o bandeirinha deu sequencia no lance e Jonas conseguiu pegar de primeira para empatar.

Pouco tempo depois, já com o Botafogo refeito da garfada, Thiaguinho cruzou na área e Adílson cortou com o mão PÊNALTI... mas o sobrenome de cerveja mandou seguir. Aos 27 minutos, Alessandro sofreu falta de Souza, mas o ladrão deu sequencia no lance e depois foi Souza quem foi derrubado, aí sim a falta foi marcada. Na cobrança Souza jogou para a área e Castillo levou um frangaço. 3 a 2.

O Bota seguiu tentando consertar as besteiras da arbitragem e Lúcio Flávio por pouco não marcou cobrando falta. Logo depois Lúcio Flávio fez excelente jogada e colocou para Ricardinho cabecear com muito perigo, até que de tanto procurar o gol, o Bota conseguiu. Leandro Guerreiro arriscou de longe, a bola desviou em Rafael Marques e morreu no ângulo, um golaço. 3 a 3. O time ainda batalhou pelo quarto gol, mas não conseguiu.

Todo mundo sabe que quando é pra criticar jogador, eu critico mesmo, mas hoje o resultado ruim em casa não foi por nossa ineficiência e sim por falta de caráter de Rodrigo Cintra. Termino a postagem com uma frase do radialista Luís Mendes (Rádio Globo/CBN-RJ): "O Botafogo já tem um título garantido, o de mais roubado do futebol brasileiro."

CONTAGEM DE ERROS NOS ÚLTIMOS JOGOS:

18ª Rodada - Botafogo 0x1 Atlético-PR - Gol mal anulado em favor do Botafogo, gol ilegal a favor do Atlético.
19ª Rodada - Palmeiras 1 x 1 Botafogo - Pênalti não marcado sobre Lúcio Flávio
20ª Rodada - Botafogo 1x2 Santo André - Sem erros alarmantes
21ª Rodada - Corinthians 3x3 Botafogo - Pênalti mal marcado em Jorge Henrique e falta inexistente que gerou o segundo gol. Porém, André Lima marcou com a mão.
Jogo adiado - Botafogo 1x1 Cruzeiro - Pênalti não marcado sobre Thiaguinho.
22ª Rodada - Botafogo 3x3 Grêmio - Gol gerado de cruzamento em que a bola saiu e pênalti não marcado.

11 pontos em favor da arbitragem nos últimos 6 jogos.

Estádio: Engenhão, Rio de Janeiro (RJ)
Data/hora: 30/08/09 - 18h30min
Árbitro: Rodrigo Cintra (SP)
Auxiliares: Márcio Luís Augusto (SP) e Anderson José Coelho (SP)
Renda/Público: R$ 116.857,50 / 10.031 pagantes
Cartões amarelos: Lucio Flavio, Alessandro (BOT) Souza, Mário Fernandes (GRE)
Cartões vermelhos: Não Houve

GOLS: Reinaldo, 19'/1°T (1-0); Jonas, 23'/1°T (1-1); Victor Simões, 01'/2°T (2-1); Jonas, 12'/2°T (2-2); Souza, 27'/2°T (2-3); Leandro Guerreiro, 43'/2°T (3-3)

BOTAFOGO: Castillo, Alessandro, Juninho, Wellington e Thiaguinho; Leandro Guerreiro, Michael (Jônatas, 34'/2ºT), Lucio Flavio e Reinaldo (Renato, 25'/2ºT); Victor Simões (Ricardinho), 32'/2ºT)e André Lima. Técnico: Estevam Soares.

GRÊMIO: Victor, Mário Fernandes, Rafael Marques, Réver e Bruno Collaço (Lúcio, 36'/1ºT); Adílson, Túlio, Souza e Tcheco; Perea (Herrera, 15'/2ºT) e Jonas (Makelele, 30'/2ºT). Técnico: Paulo Autuori.

ALELUIA!

Zé Roberto, Léo Moura e Petkovic são os responsáveis pela vitória diante do Santo André
Foto: Globoesporte.com


Torcedores do Mais Querido do Brasil!

Pronto, o Flamengo reencontrou a vitória justamente diante do Santo André, aquele time que tirou nossa alegria na final da Copa do Brasil de 2004, no Maracanã. Desta vez não teve jeito e com um bom futebol apresentado mesmo com os desfalques, o Rubro-Negro goleou por 3 a 0, quebrando a sequência de três derrotas consecutivas em noite inspirada de Petkovic e... Zé Roberto. Isso mesmo, o meia-atacante mostrou desenvoltura, velocidade e disposição sofrendo até o pênalti que ocasionou o segundo gol e deixando sua marca.

Como disse anteriormente, Alvaro chegou para ajudar e dar tranquilidade a zaga do Flamengo principalmente ao Ronaldo Angelim que demonstrou menos insegurança nesta partida já que atuar ao lado de jovens garotos se torna um peso maior. Léo Moura retornou bem, marcou um gol e parece estar em alto astral com um novo affair e dem bem com a torcida.

Sem contar com Willians e Adriano suspensos, o técnico Andrade pôs a campo o que tinha de melhor. Airton e Lenon fizeram o trabalho de contensão junto a defesa e impediam os avanços do camisa 10, Júnior Dutra e dos atacante Nunes e Ricardo Goulart e Marcelinho Carioca na segunda etapa. Fierro e Petkovic estão se encaixando na criação e Dênis Marques mostrou que não veio ao Flamengo para passeio e começou a desempenhar seu papel de matador. Marcou o gol que abriu o caminho para a goleada.

Desde o primeiro minuto de jogo, a equipe partiu pra cima do Santo André, que acuado parecia ser presa fácil ao Urubu. Aos quatro minutos, Zé Roberto deu ótimo passe para Fierro. O chileno entrou em diagonal pela direita, nem finalizou e nem cruzou e a bola foi pela linha de fundo. Quatro minutos depois, Petkovic cruzou, a bola desviou na zaga, Ronaldo Angelim ajeitou e Denis Marques completou para o fundo da rede. 1 a 0.

Aos 13 minutos, Zé Roberto que infernizou a zaga do Ramalhão tabelou com Léo Moura e chutou forte de primeira, mas Neneca espalmou com a mão direita pela linha de fundo. Quando o Santo André começava a ter tranquilidade no jogo e criava a primeira oportunidade, o Maracanã foi generoso. Parte da iluminação do estádio se apagou e o árbitro Wilton Sampaio preferiu esperar todos os refletores voltarem a funcionar. Após 11 minutos de conversa entre treinadores e jogadores, o Flamengo retornou mais ligado.

Nos acréscimos, aos 47 minutos, Petkovic encaixou um perfeito passe para Zé Roberto. O jogador iria aplicar um 'drible da vaca' no goleiro Neneca e completar para o gol, mas o camisa 1 do Santo André impediu o prosseguimento da jogada e cometeu o pênalti. Léo Moura bateu mal, mas a noite era rubro-negra. 2 a 0.

No segundo tempo, Marcelinho Carioca entrou na equipe e melhorou o rendimento do time paulista. Nunes e Malaquias tiveram boas oportunidades, mas os chutes foram pela linha de fundo. Depois de um primeiro tempo alucinante, o Flamengo administrou o resultado e aproveitou para colocar a campo o chileno Maldonado. Aos 46, para coroar a boa apresentação de Zé Roberto, o sérvio Petkovic driblou um zagueiro do Santo André e bateu colocado na direita. A bola carimbou a trave e Zé Roberto tocou para fazer o terceiro.

Para completar a festa, o técnico Andrade substituiu o lateral-direito Léo Moura que saiu aclamado pela torcida e encerrou de vez por todas aquela polêmica da partida diante do Náutico. O que ele tem que entender é que os torcedores só cobram daqueles que tem qualidade.

Com o resultado, o Flamengo soma 30 pontos e está na 10ª posição. Na próxima rodada, novamente sem Adriano que defende a Seleção Brasileira, a equipe visita o Atlético-PR, em Curitiba, no domingo.


FICHA TÉCNICA:
FLAMENGO 3X0 SANTO ANDRÉ

Estádio: Maracanã. Data: 29/8/2009.
Árbitro: Wilton Pereira Sampaio (DF).
Auxiliares: Marco Antônio Martins (DF) e Erich Bandeira (DF). Público: 13.531 pagantes (14.997 presentes)
Renda: 180.083,00
Cartões amarelos: Álvaro, Léo Moura, Fierro, Denis Marques (Flamengo); Cris, Neneca (Santo André)

Flamengo: Bruno (6.5); Léo Moura (7.5) (Rafael Galhardo - 5.0), Álvaro (6.0), Ronaldo Angelim (6.5) e Everton (6.5); Aírton (6.0) (David - 5.0), Lenon (6.0) (Maldonado - 5.0), Fierro (6.5) e Petkovic (8.0); Zé Roberto (8.0) e Denis Marques (7.5). Técnico: Andrade (8.0)

Santo André: Neneca; Rogério, Cris (Malaquias), Arthur e Ávine; Fernando, Ricardo Conceição, Sidney e Júnior Dutra (Rodrigo Fabri); Nunes e Ricardo Goulart (Marcelinho Carioca). Técnico: Andrade. Técnico: Gallo.


VIDEOBLOG - FLAMENGO 3X0 SANTO ANDRÉ

sábado, 29 de agosto de 2009

MORRE AOS 79 ANOS, DOALCEI CAMARGO

O rádio esportivo amanheceu triste hoje. O amigo e locutor da Rádio Tupi Doalcei Camargo, de 79 anos, faleceu vítima de infarto fumlinante nesta madrugada.

O corpo de um dos mestres do rádio está sendo velado, na Capela Real Grandeza do Cemitério São João Batista, em Botafogo.

Dodô, como também era conhecido ingressou no rádio muito jovem, em 1947, quando tinha 17 anos, fazendo parte da Rádio Tupi. Ele passou também pelas rádios Globo, a extinta Continental, Guanabara, Bandeirantes, Nacional e Tamoio, no Rio de Janeiro.

Atualmente, estava trabalhando como comentarista ao lado de Rubem Leão, Jorge Nunes e Iata Anderson no programa "Bola em Jogo", comandado pelo apresentador Luiz Ribeiro. Doalcei Bueno de Camargo deve ser enterrado nesse domingo.

As condolências do Blog Futebol Carioca Oficial a toda a família deste grande mestre que fez a alegria de muitas pessoas espalhadas por esse país.

Clique aqui e reveja arquivos do narrador Doalcei Camargo!

sexta-feira, 28 de agosto de 2009

VAI E VEM DE ESPERANÇA!

Maldonado e Álvaro são apresentados na Gávea
Foto: Globoesporte.com

Torcedores do Mais Querido do Brasil!

O nosso Sheik virou um grande Ali Babá no final das contas. Com o intuito de defender o clube de coração e mostrando muita emoção ao chegar ao clube, ele logo se identificou com a Nação Rubro-Negra pela entrega, dedicação e garra dentro de campo, porém, a paixão pelo clube foi trocada pelo amor ao dinheiro.

Após a recusa por parte do clube da Gávea diante da primeira proposta do Al-Ain, dos Emirados Árabes, os 'míseros' 2,4 milhões dólares foram suficientes para que Emerson deixasse o Flamengo. Para o Fla uma negociação não muito proveitosa já que não chega nem perto da multa rescisória do atleta que estava estimada em 16 milhões de reais, porém a vontade do jogador em retornar ao Oriente pesou. Afinal, em dois anos de contrato, o atacante receberá algo em torno de 17 milhões de reais.

Todavia, a atitude do 'Ali Babá' não condiz com todo o discurso inicial de sua carreira no Mengão. Lágrimas, beijos no escudo, batidas no peito, tudo isso torna-se um grande teatro a cada dia. Quem ama não sai. Veja os exemplos como os goleiros Rogério Ceni e Marcos, no São Paulo e Palmeiras respectivamente. Estes sim são fiéis aos seus times. O Sheik teve tudo para escrever uma linda história no Flamengo, mas preferiu novamente partir para o mundo do esquecimento e nadar em um 'Nilo' de regalías e grana.

Se a situação para montar o time já era complicada para o técnico Andrade com mais essa perda o torcedor pode esperar para sofrer mais um pouco. Willians e Adriano estão suspensos; Toró, Kléberson e Juan vetados pelo Departamento Médico. Até mesmo o zagueiro Fabrício pode ficar de fora com dores na coxa. Pelo menos o lateral-direito Léo Moura retorna a equipe no próximo jogo.

Em compensação, o treinador rubro-negro convivendo com as especulações do acerto com Paulo César Carpeggiani teve duas boas notícias. Maldonado, de 29 anos, e Álvaro, de 31 anos, foram contratados. Dois ótimos reforços se estiverem em plena forma.

Maldonado ganhou grande destaque quando defendeu o Cruzeiro e Álvaro que foi campeão da Copa Sul-Americana pelo Internacional no ano passado. A raça chilena já pode estar em campo no próximo sábado diante do Santo André, no Maracanã. Com o retorno de Toró e Willians juntamente com Maldonado, o Flamengo terá um trio de volantes espetaculares para o Campeonato Brasileiro. E a chegada de Álvaro será importante para auxiliar os jovens zagueiros e tranquilizar um pouco Ronaldo Angelim que não está em uma boa fase.

Fora de campo, o Flamengo deu mais um passo referente as finanças. O clube acertou com a empresa petrolífera 'Ale' um contrato de três meses que dará ao Rubro-Negro 3,5 milhões de reais. A estreia está marcada para o Fla-Flu do dia 3 de outubro, mesmo assim, ontem, Álvaro foi o responsável por apresentar o novo uniforme com o novo patrocinador. É aquela história, 'se não tem tu vai tu mesmo'. Enquanto o Flamengo não consegue um parceiro fixo para estampar a camisa, os dirigentes vão encontrando formas de lucrarem e colocarem pelo menos parte das obrigações em dia.

A respeito do uniforme, a última parcial sobre a venda de camisas foi surpreendente. Marca de número 500 mil. Segundo a assessoria de imprensa da Olympikus, cerca de 200 mil foram comercializadas em sistema de pré-venda um mês antes do lançamento oficial do contrato com o rubro-negro, dia 1º de julho deste ano. Que espetáculo, torcedor!

Agora o que não muda são os tiros na água do Flamengo. Cogitou-se novamente a vinda do atacante Vagner Love ao clube e novamente a diretoria não conseguiu. Um fio de esperança ainda existe já que o CSKA quer o xodó Obina em uma possível negociação. Sinceramente, prefiro o Anjo Negro com todas as suas trapalhadas, mas com o carisma e afeto ao Mengo. Obina foi e sempre será um cara lembrado por tudo que fez ao time salvando do rebaixamento e marcando gols importantes até mesmo em decisões contra nossos maiores rivais.

Sábado tem encontro marcado no Maracanã contra o nosso algoz da Copa do Brasil de 2004. Teremos que entrar com a vontade de dar o troco justamente neste palco que sediou o segundo jogo da finalíssima. Chegou a hora de vencer e embalar!!

NOVO TROPEÇO EM CASA...

Apesar de muito tentar, André Lima não repetiu boas atuações
Foto: O Globo

Torcedores do Glorioso,
Na partida que era considerada "um jogo a mais", já que teria de ser disputada no primeiro turno, mas devido a final da Libertadores em que o Cruzeiro estava presente, foi adiada para ontem, o Botafogo empacou novamente em casa. Falo a verdade, se fosse no Mineirão, eu estaria bem mais confiante com a vitória, repito: O ENGENHÃO PREJUDICA O BOTAFOGO. Nosso time não tem esquema tático para conseguir furar o bloqueio. Lúcio Flávio fez o gol do Botafogo e Thiago Ribeiro empatou.

No início da partida o Bota veio com muito mais vontade, perdido, o Cruzeiro se limitava a ficar na defesa e assim conseguia segurar de maneira efetiva o Botafogo. Em algumas oportunidades o alvinegro chegou a tirar o grito de "uhhh" da galera. Quem mais perdeu chance foi André Lima, em pelo menos dois lances de cara com Fábio, ele colocou para fora. Talvez tenha sido a falta de pontaria do artilheiro que fez Estevam Soares o substituir no segundo tempo.

Mas em fase pior do que a de André Lima está Victor Simões, apelidado de Pantera (mas não chega nem aos pés do Donizete), o atacante do fogão não consegue ficar em boas condições para marcar, e quando consegue, o resultado é tiro de meta para o adversário. Já que os atacantes não fazem, essa função é herdada pelos apoiadores, e nesse quesito Lúcio Flávio tem se saído bem. O maestro teve duas oportunidades no primeiro tempo e na segunda tentativa estufou a rede; Após belo lançamento de Michel, o camisa 10 driblou Fábio e completou sem ângulo, na tentativa de tirar Marquinhos Paraná ainda ajudou para que a bola entrasse.

Com a vantagem no placar o Botafogo foi para o intervalo, a situação do Cruzeiro era desesperadora, o alvinegro tinha amplo domínio e vencia a partida, Adílson Batista teria muitos problemas no intervalo. Tentando arrumar o time em campo, o técnico da raposa fez sua primeira alteração, ela não seria tão fundamenal se Fahel não tivesse sido expulso logo aos 3 minutos da segunda etapa.

Em desvantagem no placar, mas em vantagem no campo, o Cruzeiro encurralou o Botafogo e o gol de empate parecia cada vez mais perto. Estevam Soares tentou arrumar o meio-campo pela ausência de Fahel, o escolhido foi Jonatas (ao meu ver titular absoluto) que entrou na vaga de Thiaguinho, de fato o Bota ganhou mais força no setor defensivo, entretanto abdicou do ataque. Com tantas oportunidades, uma hora o Cruzeiro marcaria. Após cobrança de escanteio, Thiago Ribeiro ganhou de Juninho no alto e conseguiu uma cabeçada que encobriu Castillo. 1 a 1.

Para tentar mais alguma coisa, Estevam Soares promoveu a entrada de Reinaldo no lugar de André Lima, que saiu vaiado e chateado. Com o passar do tempo, o Botafogo pareceu conformado com o empate e passou a prender a bola em alguns momentos, por sua vez, o Cruzeiro não fez muito esforço, apesar de Castillo ter salvo o Botafogo nos momentos finais. Assim, o Bota empatou novamente dentro de casa e permanece na temida ZONA DE REBAIXAMENTO.

BOTAFOGO 1x1 CRUZEIRO

Estádio: Engenhão, Rio de Janeiro (RJ)
Data/hora: 27/08/09 - 21h
Árbitro: Heber Roberto Lopes (Fifa/PR)
Auxiliares: Gilson Bento Coutinho (PR) e Ivan Carlos Bohn (PR)
Público/Renda: 6.472 pagantes / R$ 78.092,00
Cartões amarelos: Fahel, Fabrício, Jancarlos, Elicarlos e Marquinhos Paraná (CRU)
Cartão vermelho: Fahel , 3'/2ºT (BOT)

GOLS: Lucio Flavio, 32'/1°T (1-0); Thiago Ribeiro, 22'/2°T (1-1)

BOTAFOGO: Castillo, Alessandro, Juninho, Emerson e Thiaguinho (Jônatas, 44'/2ºT). ; Leandro Guerreiro, Fahel, Michael (Batista, 16'/2ºT) e Lucio Flavio; Victor Simões e André Lima (Reinaldo, 24'/2ºT). Técnico: Estevam Soares.

CRUZEIRO: Fábio, Jancarlos (Elicarlos, 13'/2ºT), Leonardo Silva, Thiago Heleno e Diego Renan; Fabricio, Marquinhos Paraná, Henrique, Gilberto e Guerrón (Soares, intervalo); Thiago Ribeiro. Técnico: Adilson Batista.

quinta-feira, 27 de agosto de 2009

CLASSIFICAÇÃO SEM GRAÇA

Roni disputa com Aírton no fraco Fla-Flu

Caros amigos tricolores,

O Fluminense conseguiu a classificação para a fase internacional da Copa Sul-americana (oitavas de final) ao empatar com o Flamengo em 1 x 1 ontem, no Maracanã.

Roni, de pênalti, marcou para o Tricolor e Denis Marques igualou para o Rubro-Negro. Mas o que eu quero dizer em relação ao jogo é os eguinte: quem perdeu tempo assistindo deve estar arrependido, assim como eu.

Fazia tempo que eu não via um clássico tão ruim e sem graça como esse. Sem muitas emoções, jogadores errando demais, e o o Fluminense com apenas 5 minutos do segundo tempo fazendo cera para segurar o resultado.

O time de Renato Gaúcho perdeu uma ótima oportunidade de vence o clássico e ganhar ainda mais moral com essa classificação. E amigos: o que é o João Paulo na lateral-esquerda do Flu?

Abraços,

Thiago Zorro

quarta-feira, 26 de agosto de 2009

VALEU PELOS TRÊS PONTOS

Amigos vascaínos,


Contra o Brasiliense, o Vasco não chegou nem perto de ter uma grande atuação. Mas foi o suficiente para garantir o 1x0 e mais três pontos na classificação, que mantiveram o Clube na liderança e nos aproximaram ainda mais do acesso. O gol foi marcado por Ramon, logo aos 5 minutos de jogo. Destaque positivo para a torcida, que lotou a Boca do Jacaré, que mais pareceu São Januário. A nota triste ficou por conta de Aloísio, que caiu desacordado no gramado e deu um susto em todos.

Empurrado pela torcida, o Vasco começou com tudo e antes do primeiro minuto já tinha finalizado com Carlos Alberto. Em uma das milhões de faltas do Brasiliense veio o gol. Pelo lado direito, Ramon cruzou, a bola passou por toda a área e morreu no canto do goleiro Guto. Vascão 1x0 logo aos 5 minutos.

O primeiro tempo seguiu com domínio total do Vasco, que sofria com o gramado e a violência do adversário. Heber Roberto Lopes era conivente e deixava a porrada comer solta. Aos 21, Carlos Alberto sofreu falta criminosa de Didão e o careca nem amarelo deu. Nosso craque saiu sentindo dores.

Aos 38, Aloísio quase fez um gol típico de pivô, recebendo, girando e chutando. Guto salvou no canto. No finzinho do primeiro tempo, Carlos Alberto foi derrubado dentro da área de forma claríssima, mas só o safado do careca não viu.

A vantagem de um gol não refletia o que foi o primeiro tempo, onde o Vasco deveria ter matado o jogo. Errado também era o Brasiliense ter saído com os onze jogadores e só um amarelo, já que batiam de forma absurda e desrespeitosa.

Logo no início do segundo tempo, Aloísio foi subir para cabecear e acertou a nuca do adversário. Chulapa se engasgou com o chiclete que mascava e ficou desacordado. A ambulância chegou a entrar no gramado para retirar o jogador, o que gerou uma imagem muito forte.

Naturalmente o time se abalou psicologicamente e o Brasiliense partiu para cima. Aos 13, Fernando Prass fez defesaça em cabeçada de Gustavo. Minutos depois, o juiz deixou de marcar um pênalti pro time candango, compensando o erro do primeiro tempo.

Aos 19, após apanhar de todas as formas, Carlos Alberto saiu para entrada de Pimpão. Com o ataque reserva, Pimpão e Adriano, o Vasco caiu de rendimento na parte ofensiva. A melhor chance foi em passe de letra do camisa 11 que Alex Teixeira chutou para fora.

Desesperado e na base do abafa, o Brasiliense só chuveirou bolas na área, facilitando o trabalho de nossa defesa. No fim, ficou a impressão de que o placar poderia ter sido bem mais tranquilo, pelo que o time fez no primeiro tempo. Quanto ao segundo, é muito difícil cobrar algo de um time que vê um companheiro sair daquela forma do campo.

Valeu pelos três pontos, importantíssimos neste momento da competição. Seguimos com a folga de três pontos na liderança e a nove do 5º colocado, uma margem folgada para conseguirmos o acesso.

O Vasco atuou com: Fernando Prass, Fagner, Vilson, Gian e Ramon; Mateus, Souza, Enrico (Amaral) e Alex Teixeira; Carlos Alberto (Rodrigo Pimpão) e Aloísio (Adriano).
.
Como o Heber Roberto Lopes é árbitro FIFA? Só se for de vale-tudo, que foi o esporte praticado pelo Brasiliense ontem e ele deixou o jogo correr.
.
Sds vascaínas a todos!

segunda-feira, 24 de agosto de 2009

SÓ UM MILAGRE...


Caros amigos tricolores,

O jogo de ontem contra a equipe do Barueri deveria siginifcar a arrancada para o Fluminense sair da situação vexatória em que se encontra. Maracanã, contra uma equipe, que mesmo bem no cmapeonato, acabou de chegar a primeira divisão.

Mas o que se viu foi o contrário: um Barueri que parecia em casa, dominando completamente as ações e que só não venceu porque o camisa 10 Thiago Humberto (que deve se transferir par ao Inter-RS em 2010) estava numa tarde infeliz, desperdiçando grandes oportunidades e também por algumas boas defesas do goleiro Rafael. O Fluminense em campo parecia um bando, acho que se esse time jogar contra o meu time que disputa o campeonato interno da empresa no qual eu trabalho, perde fácil. Depois de 10 jogos e apenas uma vitória, o "salvador" Renato Gaúcho começa a ser questionado.

Isso prova como "as diretorias" do Fluminense não se entendem (digo diretorias porque o Flu tem 2 presidentes: Horcades e Celso Barros). O impressionante é que somente depois de um turno de campeonato que perceberam que Edcarlos e Wellington Monteiro não tem vaga no time (fora outros que não vou citar os nomes agora). Do jeito que as coisas estão e como eu não acredito em milagres, acho que a Série B é apenas uma questão de tempo!!!


E para tentar melhorar essa situação, a diretoria corre atrás de reforços e está próxima de anunciar as contratações de Paulo César, lateral que atuou no Flu entre 1997 e 2002 e o meio-campo Fábio Neves, do América-RN. E nesta semana deve oficializar a contratação do volante equatoriano Urrutia.

domingo, 23 de agosto de 2009

EMPATE ELETRIZANTE E NA RAÇA

Fahel disputa jogada com Jorge Henrique
Foto: Globoesporte.com

Torcedores do Glorioso,

O Botafogo segue com os resultados estranhos, enquanto em casa é facilmente envolvido, fora de casa é completamente diferente e muito bem no ataque. Não é difícil decifrar esse enigma, o que acontece no Engenhão é que os times jogam compactos e recuados, com o campo e relativamente pequeno, o time não consegue chegar ao gol, mas fora de casa, quem tem a obrigação da vitória é o adversário, e isso acaba nos favorecendo. Hoje ficou tudo igual em 3 a 3 e conseguimos somar mais um ponto importante fora de casa.

Como já havia dito no jogo passado, Lúcio Flávio fez muita falta no meio-campo, o Botafogo parece completamente dependente de seu camisa 10. Com Lúcio de volta ao campo hoje, dois gols em sua responsabilidade direta, o primeiro, cruzando a bola na cabeça de Reinaldo e o terceiro, com uma cobrança de falta magnífica. Nos primeiros quinze minutos pouco volume de jogo, mas com o Botafogo mais perigoso no ataque. André Lima até tentou um chute de primeira que Júlio César evitou.

Na correria de Jorge Henrique o Corinthians levava perigo, em um lance à Nilmar, o baixinho quase marcou. Um pouco acuado, a defesa do Bota via o Corinthians ficar cada vez mais perigoso e Morais também tentou deixar o dele, mas Castillo evitou. Já passando dos 40 da primeira etapa, Dentinho invadiu a área com extrema facilidade e sofreu pênalti infantil de Léo Silva. O próprio Dentinho bateu e colocou os donos da casa em vantagem para a alegria de Ronaldo.

Para o segundo tempo o Bota voltou com modificação, Reinaldo entrou no ataque substituindo Léo Silva, alteração tática também aplicada contra o Santo André, a diferença é que desta vez saiu o jogador certo. Com apenas um minuto em campo, Reinaldo marcou. Lúcio Flávio cobrou escanteio na cabeça do camisa 18 que escorou com categoria. 1 a 1.

Mas o Botafogo não teve nem tempo de comemorar o empate. Cinco minutos depois, Jucilei foi derrubado por Fahel na entrada da área. Na cobrança Marcinho colocou na gaveta, sem chances para Castillo que nem pulou na bola. O Glorioso sentiu o golpe e só voltou ao ataque aos 14 minutos, mas foi para marcar. Alessandro deu o drible da vaca no zagueiro e mandou para a área, André Lima apareceu antes do goleiro e colocou de mão para dentro, "La mano de Dios", como diria Maradona. Percebendo que havia marcado desta forma, o atacante do Botafogo ainda simulou uma dor no pé para desviar as atenções. 2 a 2.

O Corinthians seguiu buscando o seu gol e aos 26 minutos também foi favorecido pela arbitragem, o árbitro marcou pênalti que não existiu de Thiaguinho sobre Jorge Henrique, e ainda aplicou o amarelo no jogador do Botafogo. Dentinho bateu, Castillo defendeu e no rebote Dentinho colocou para a rede, mas o bandeirinha anulou o gol, devido invasão. Depois de uma conversa, o gol foi finalmente validado (quanta confusão!).

Então tudo parecia perdido para o Botafogo, já havia sido uma dificuldade fazer dois gols no Corinthians em pleno Pacaembu, imagina então marcar três. Mas o time foi guerreiro e buscou o empate. Depois de falta sofrida por Reinaldo na entrada da área, Juninho passou pela bola e Lúcio Flávio cobrou com a maestria de sempre no ângulo em que o goleiro estava, GOLAÇO. 3 a 3. Com o apito final, reclamação dos dois lados com esse árbitro horroroso.


CORINTHIANS 3 X 3 BOTAFOGO

Estádio: Pacaembu, São Paulo (SP)
Data/hora: 23/08/2009 - 16h (de Brasília)
Árbitro: Arilson Bispo da Anunciação (Asp.Fifa/BA)
Auxiliares: Alessandro Rocha de Matos (Fifa/BA) e Luiz Carlos Teixeira (BA)
Renda/público: R$ 511.930,00 / 17.452 pagantes
Cartões amarelos: Welington, Léo Silva, Thiaguinho e Victor Simões (BOT); Jucilei, Jean, Elias e Dentinho (COR)
GOLS: Dentinho, 43'/1ºT (1-0); Reinaldo, 1'/2ºT (1-1); Marcinho, 6'/2ºT (2-1); André Lima, 14'/2ºT (2-2); Dentinho, 26'/2ºT (3-2); Lucio Flavio, 34'/2ºT (3-3)


CORINTHIANS: Julio Cesar, Jucilei, Jean, Paulo André e Marcinho (Diego, 36'/2ºT); Moradei (Bill, 41'/2ºT), Elias e Morais; Jorge Henrique, Henrique (Souza, 23'/2ºT) e Dentinho. Técnico: Mano Menezes.

BOTAFOGO: Castillo, Alessandro, Juninho, Wellington e Michael (Thiaguinho, 16'/2ºT); Leandro Guerreiro, Léo Silva (Reinaldo, INT), Fahel e Lucio Flavio; Victor Simões e André Lima (Renato, 38'/2ºT) . Técnico: Estevam Soares.

sexta-feira, 21 de agosto de 2009

MUDANÇAS E MUDANÇAS...

Urrutia ganha nova chance no Flu
Foto: Agência Globo
Caros amigos tricolores,

Sei que estou muito sumido, e peço primeiramente desculpas por isso, mas diversos assuntos profissionais e pessoais tem tomado muito do meu tempo que não está possível nem ver a minha sobrinha, que como todos vocês já sabem, é a razão da minha vida. Mas esquecendo isso, vamos falar do que interessa: futebol. E Fluminense. Mas desde a minha última postagem, o Fluminense não estava no G4 do mal, tinha Parreira como técnico, Fred como camisa 9 e FH no gol. Hoje, tudo mudou: estamos na zona de rebaixamento a 11 rodadas, Renato Gaúcho voltou, Kieza é o camisa 9 (K9) e Rafael é o titular no gol. Isso todos nós já sabemos e desde que o Tricolor foi vice da Libertadores-08, tenha a impressão que o clube perdeu um pouco o rumo e se tornou essa bagunça. Podemos citar como exemplo a contratação-não contratação-contratação?? - ninguém sabe ao certo - do equatoriano Urrutia.

O Fluminense tem vários problemas dentro de campo, com vários jogadores que não tem a mínima condição de vestir a camisa do Tricolor. Entretanto, o principal problema está fora de campo, com uma diretoria que não se entende, e que contrata muito, mas muito mal.

Saudações a todos os tricolores e enquanto houver esperança, confiaremos que iremos sair dessa situação!!!

quarta-feira, 19 de agosto de 2009

FALTOU O MAESTRO...

André Lima marca mais um e Botafogo empaca novamente
Torcedores do Glorioso,

Durante a semana uma cena curiosa, o Botafogo treinou contra o "time invisível", isso mesmo, não havia qualquer jogador enfrentando o fogão no treinamento, isso porque o técnico Estevam Soares queria treinar o posicionamento, o resultado não foi divulgado, mas se o Bota venceu, com certeza foi com dificuldade. O resultado está aí, quando fica onze contra onze as coisas mudam e o time se perde, faltou o Lúcio Flávio refinar aquele meio-campo e faltou criatividade para furar o bloqueio, resultado, 2 a 1 Santo André e falhas incontáveis.

ERRO NÚMERO 1 - EMERSON: Não havia nem cinco minutos de jogo quando Cicinho encontrou Júnior Dutra na área, ele fez o que quis com Émerson e tocou no canto de Flávio para abrir o placar. Enquanto isso eu ouvia o nosso amigo de blog Renan Moura comentando pela Tupi: "Lá vem Alessandro para cobrar o escanteio" e quando era no outro lado: "Vem aí Batista para colocar a bola na área". Só vinha o pensamento da falta que faz Lúcio Flávio.

ERRO NÚMERO 2 - JUNINHO: Aos 15 minutos, Juninho dominou bola pelo lado esquerdo, parecia tudo tranquilo, parecia... Ele perdeu a bola para Júnior Dutra e depois ainda perdeu na velocidade, o jogador do Santo André invadiu a área com facilidade e rolou para Nunes, mais livre do que político no Brasil, fazer aquele gol que qualquer um faria (menos André Lima e Victor Simões).

ERRO NÚMERO 3 - SETOR DE CRIAÇÃO: Mais perdido que cego em tiroteio o Botafogo enfim conseguiu ter a posse de bola, o que não adianta nada para quem não entende do assunto. Sem conseguir chegar ao ataque, o time trocava passes como se estivesse ganhando e isso foi irritando a torcida. Nos bons tempos de Botafogo, só com três passes era atacante na cara do gol. Nos lances de falta, Juninho não assustava Neneca.

ACERTO NÚMERO 1 - ANDRÉ LIMA: Acerto foi só força de expressão para não sair da estrutura da postagem, após levantamento sem pretenção para a área, André Lima arrumou aquele pênalti maroto. Na cobrança, já que não tinha Lúcio Flávio (volta Maestro), André Lima, impossível não lembrar da cobrança contra o Atlético-PR, mas desta vez ele foi bem, deslocou Neneca e colocou o Bota novamente no jogo.

ERRO NÚMERO 4 - VICTOR SIMÕES: O desespero era tanto que quando a bola chegava perto da área, ou até mesmo dentro dela, começava a briga para chutá-la, independente de como fosse, sendo assim, Victor Simões foi lançado e em posição irregular empurrou a bola para o barbante (só assim pra fazer gol), resultado cartão amarelo.

ERRO NÚMERO 5 - ESTEVAM SOARES: Precisando desesperadamente de um gol logo nos primeiros minutos, Estevam Soares resolveu mexer, colocou um atacante, Reinaldo, até aí tudo bem, mas ele tirou Jonatas e acabou com a lucidez da cabeça de área alvinegra, impressionante como o Jonatas, reserva no Flamengo, está acima da média de qualquer volante do Botafogo.

ERRO NÚMERO 6 - BATISTA: Na base da vontade excessiva, o Botafogo foi para cima, com dois minutos Victor Simões perdeu chance em cabeçada, mas essa oportunidade não seria nada diante da outra que estava por vir. Novamente Victor Simões bateu, Neneca rebateu e a bola ia sobrar no Reinaldo quando Batista tomou a frente do atacante, girou e jogou a bola na galera.

ERRO NÚMERO 7 - POSICIONAMENTO: Quando o zagueiro Vinícius Orlando (nome pomposo de galã de novela mexicana) foi expulso por falta em André Lima, o Botafogo teve a chance de se manter em cima pressionando o clube paulista para conseguir o resultado e logo depois, quando Élvis entrou no lugar de Cicinho, o alvinegro teve todo o lado esquerdo de ataque para criar as jogadas, mas como um imã, insistia nas jogadas pelo lado direito, e lá tem o Alessandro, ou seja, chances zero de marcar gol.

Quando o jogo passou dos 35 e o Botafogo mostrava não ter competência para marcar e pelo menos empatar com o Santo André em casa (que vergonha), a torcida começou a vaiar o "zagueiro", que faz bico de cone, Emerson, mais angustiado do que barata de barriga para cima, ele conseguiu jogar pior do que estava jogando antes, algo que parecia impossível, mas com Emerson nada é impossível, só ele faz dois gols contra em decisão.

Juninho ainda perdeu uma oportunidade numa falta mal ensaiada e o time acabou perdendo. Sob vaias, a equipe saiu de campo, torço para que no próximo treino o Bota possa jogar contra alguma equipe que tenha pelo menos um jogador, porque ensaiar posicionamento sem ser marcado é complicado.


BOTAFOGO 1 X 2 SANTO ANDRÉ



Estádio: Engenhão, Rio de Janeiro (RJ)
Data/hora: 19/8/2009 - 19h30 (horário de Brasília)
Árbitro: Renato da Conceição (MG)
Auxiliares: Marcio Eustaquio Santiago (Fifa-MG) e Janette Mara Arcanjo(MG)
Público/Renda: 6.524 pagantes / R$ 88.596,50
Cartões amarelos: Eduardo, Victor Simões e Batista (BOT); Júnior Dutra, e Fernando (STA)
Cartão vermelho: Vinicius Orlando, 26'2ºT (STA)

GOLS: Júnior Dutra, 4'/1°T (0-1); Nunes, 14'/1°T (0-2); André Lima, 41'/1°T (1-2)


BOTAFOGO - Flávio, Emerson, Juninho e Eduardo (Thiaguinho, 12'/2ºT); Alessandro, Leandro Guerreiro, Jônatas (Reinaldo, intervalo), Batista e Michael (Rodrigo Dantas, 27'/2ºT); Victor Simões e André Lima. Técnico: Estevam Soares.

SANTO ANDRÉ - Neneca, Cicinho (Élvis, 15'/2ºT), Cris, Vinicius Orlando e Arthur; Fernando, Sidney, Gustavo Nery e Júnior Dutra (Cesinha, 27'/2ºT); Nunes (Malaquias, 34'/2ºT) e Rômulo. Técnico: Alexandre Gallo.

domingo, 16 de agosto de 2009

ESTREIA SATISFATÓRIA

André Lima comemora seu quinto gol no campeonato
Foto: Lancenet

Torcedores do Glorioso,
Na estreia do novo técnico Estevam Soares diante do líder Palmeiras, no Palestra Itália, a postura do Botafogo mudou para melhor. Pelo menos no primeiro jogo de Estevam, o fogão parece ter encontrado seu bom futebol. Numa proposta bastante promisssora o alvinegro conseguiu arrancar um empate, que poderia até ser vitória, no Palestra. André Lima fez o primeiro para o Botafogo e Danilo, de cabeça, deixou tudo igual.

Com nada menos do que oito desfalques, todos eles com função especial no Botafogo, Estevam Soares já teve que mostrar potencial ao escalar o time. O goleiro Flávio fez sua primeira partida como titular do Botafogo (havia entrado no lugar de Castillo, contra o Atlético-PR), Fahel ganhou nova chance entre os onze que começam a partida, assim como o criticado zagueiro Émerson. Bem postado, o Bota não deixava o Palmeiras chegar, mas nãs bolas paradas o alviverde era perigoso. Aos 16 minutos Cleiton Xavier cobrou falta na trave.

O Glorioso foi perfeito na hora de responder o susto. Lúcio Flávio cobrou falta na área, e depois do bate-rebate, André Lima bateu com precisão sem chances para Marcos. Pouco tempo depois, Lúcio Flávio fez bela jogada e foi derrubado por Pierre, pênalti não assinalado pelo árbitro. Aos 32 minutos, Cleiton Xavier jogou falta para a área, Flávio saiu mal e Danilo igualou o marcador.

Na segunda etapa o Botafogo veio disposto a garantir a frente no placar e em três minutos já havia tido três oportunidades claras de balançar a rede. Numa delas, André Lima parou na ponta do pé esquerdo de Marcos. O Palmeiras vinha explorando o contra-ataque e Diego Souza chegou a ficar cara a cara com Flávio, mas ao tentar o drible, perdeu a bola em boa defesa do goleiro do Botafogo que se redimiu da falha.

Exatamente quando tentava fazer a linha de impedimento, o alvinegro permitia as boas chances do Palmeiras, mas o goleiro Flávio se saiu bem. Na última chance do porco no jogo, Armero parou em nova defsa de Flávio. Com o resultado, o Botafogo permanece na 15ª posição e agora encara o Santo André, no Engenhão.



PALMEIRAS 1 X 1 BOTAFOGO

Estádio: Palestra Itália, São Paulo (SP)
Data/hora: 15/8/2009 - 18h30 (horário de Brasília)
Árbitro: Claudio Mercante (PE)
Auxiliares: Jossermmar Moutinho (PE) e Luciano Coelho Cruz (PE)
Cartões amarelos: Diego Souza, Wendel (PAL); Batista, Fahel, Leandro Guerreiro, André Lima, Lucio Flavio e Eduardo(BOT)
Cartão vermelho: Não houve

GOLS: André Lima, 24'/1°T (0-1); Danilo, 32'/1°T (1-1)

PALMEIRAS: Marcos, Wendel, Maurício Ramos, Danilo e Armero; Sandro Silva (Robert, 21'/2ºT), Pierre, Cleiton Xavier e Diego Souza; Ortigoza (Daniel, 32'/2ºT) e Souza. Técnico: Muricy Ramalho.

BOTAFOGO: Flavio, Emerson, Juninho e Eduardo; Thiaguinho (Léo Silva, 36'/2ºT), Leandro Guerreiro, Fahel, Jônatas (Laio, 26'/2ºT), Lucio Flavio e Batista (Rodrigo Dantas, 45'/2ºT); André Lima. Tecnico: Estevam Soares.

LUCRATIVO!

Venda de camisas do Flamengo superam as expectativas
Foto: Globoesporte.com



Sucesso de lucro! É dessa forma que o Flamengo está vendo a parceria com a Olympikus. Um fato curioso divulgado pela própria diretoria afirma que o clube vende mais camisas que o próprio Real Madrid com a nova era dos galáticos. Veja a matéria do Globoesporte.com sobre este tema. Vale a pena!

"O casamento recente entre o Flamengo e a Olympikus está rendendo bons frutos para ambos os lados. Os números da venda de material esportivo são animadores para o clube, que pelo mês de julho irá receber R$ 1,5 milhão, 10% do total dos R$ 15 milhões comercializados pela empresa. O dinheiro já tem destino certo: o pagamento do salário de julho dos funcionários.

De acordo com o vice-presidente de marketing rubro-negro, Ricardo Hinrichsen, a média de venda de camisas por minuto é superior até se comparada com a do Real Madrid de Kaká e Cristiano Ronaldo.

- O último número que tenho é que vendemos 435 mil peças em pouco mais de 60 dias. Para se ter uma ideia, o Real Madrid depois que comprou Kaká e Cristiano Ronaldo vendeu uma média de uma camisa a cada 16 segundos. Nós vendemos uma a cada 13,5 segundos. Mas é claro que lá o faturamento é em euros... Isso é só para se ter uma ideia do volume de vendas. Está superando a nossa expectativa - disse por telefone ao GLOBOESPORTE.COM.

No último ano, o São Paulo foi o clube que mais vendeu uniformes: cerca de 450 mil. Marca que o Fla quase conseguiu ultrapassar em pouco mais de 60 dias.

Pelo contrato com a Olympikus, o Flamengo tem direito a receber a cota mínima de R$ 600 mil por mês pela venda de produtos. Mas, se a meta estipulada for ultrapassada, o clube passa a ganhar mais (em julho, recebeu R$ 900 mil a mais). Quando ainda estava com a Nike, o Fla só conseguiu ultrapassar o valor mínimo em uma oportunidade: março de 2009, quando faltavam três meses para o encerramento do contrato (recebeu R$ 560 mil a mais)."

FLAMENGO X GRÊMIO

Com relação ao jogo desta tarde, diante do Grêmio, no Olímpico, a cara de um empate está evidente. De uma lado três volantes formam o meio-campo do Tricolor Gaúcho e o time comandado pelo técnico Andrade virá com três zagueiros: Deivid, Airton e Ronaldo Angelim.

O grande problema do Rubro-Negro é a possível ausência do sérvio Petkovic que sentiu dores na parte posterior da coxa direita. Sem ele, o setor de criação do Flamengo ficará mais fraco. O chileno Fierro deve ser o substituto. Léo Moura suspenso e machucado e Kléberson que será operado quinta-feira por causa de mais um problema por luxação no ombro dão lugar a Everton Silva e Lenon que compõem o meio-campo.

Emerson, confirmado ao lado do Imperador ainda continua sendo cobiçado pelos clubes do Oriente Médio e uma nova proposta pode chegar nos próximos dias. Os cartolas do Flamengo já começam a pensar em negociar a partir do valor de 4,5 milhões de reais. Muito pouco pelo o que ele realmente vale e está na multa de transferência.

Se um pode sair, outros dois podem chegar. Ricardinho, 33 anos, campeão mundial e que teve passagens por Corinthians e Santos. O jogador está no Al-Rayann e não descarta uma possível volta ao Brasil. Outro que interessa é o volante Correa, do Dinamo de Kiev. Mas esse poderia ficar por lá mesmo.

O dinheiro que é gasto com o Zé Roberto poderia ser investido no aumento do salário do Sheik e completaria uma proposta pelo Ricardinho. Até agora os torcedores estão esperando a estreia do jogador que se destacou com a camisa do Botafogo e que foi contratado pelo Schalke 04. Ele conseguiu ser banco do até então considerado por muitos aposentado Petkovic que voltou com toda pompa de ídolo e disposição, coisa que falta para o 'Zé da Nação', nome que o caracterizei em sua chegada.

Saudações Rubro-Negras!

quinta-feira, 13 de agosto de 2009

ELE VOLTOU!

Romário realizará sonho do pai
Foto: Globooesporte.com

Copa Sul-Americana... Para que os clubes cariocas e brasileiros de uma forma geral disputam esta competição se a cada edição as equipes entram sempre com jogadores reservas com exceção do Internacional no último ano?

Ontem, um jogo tecnicamente fraco apesar de disputado levou apenas 15 mil pessoas para ver o segundo 0 a 0 seguido entre Flamengo e Fluminense, no Maracanã (o último tinha sido pelo Campeonato Brasileiro). A próxima partida acontecerá no dia 26 de agosto e o discurso do técnico Andrade parece mudar com relação a esta competição. O treinador abriu os olhos para a importância deste título para o clube e até mesmo para sua carreira, já que a última conquista internacional do Fla aconteceu na Mercosul de 1999 diante do Palmeiras.

Portanto, prefiro nem fazer comentários a respeito deste pífio clássico. É mais vantajoso falar da volta de um ídolo aos gramados: Romário. O Baixinho está de volta. O jogador atuará em pelo menos dois jogos pelo América-RJ, na segunda divisão do Campeonato Estadual do Rio de Janeiro realizando o sonho de seu pai, Edevarir Faria, morto em maio de 2008, aos 76 anos.

O anúncio foi feito pelo próprio Romário ontem: "Estou me preparando para jogar e a minha inscrição deve sair até a próxima semana. Atuarei em um, dois jogos oficiais, para realizar o sonho do meu pai".

Bom retorno, Romário! O Gênio da grande área!

quarta-feira, 12 de agosto de 2009

TRINCA DO DUQUE

Zagueiro Santiago tenta parar ataque da Portuguesa
Crédito: Paulo Sérgio / Lancenet

Depois de passar oito jogos sem vitória, o Duque de Caxias encaixou uma sequência vitoriosa de 3 jogos. O placar das três partidas foram o mesmo: 2x1, mas o que importa são os três pontos.

Na partida desta terça-feira, o Tricolor da Baixada fez um ótimo primeiro tempo e foi nele que fez sua vantagem. Quem mais levava perigo ao gol da Lusa era o lateral Oziel, que fez uma excelente partida no ataque, mas deixou um pouco a desejar na defesa. E com o lateral que saíram gols. No primeiro, aos 10, Thiago Santos o lançou e ele cruzou para Edivaldo, mas o zagueiro Bruno Rodrigo, da Lusa, não queria que o artilheiro marcasse mais um gol e ele próprio botou a bola no próprio gol. Duque 1x0. A defesa da Lusa se abriu dando muitos espaços para o Duque, mas Thiago Santos não aproveitou as oportunidades. A Portuguesa empatou com uma bela cabeçada de Dinei, aos 28.

Mas o Duque continuava melhor na partida e conseguiu seu segundo gol pelo seu ponto forte: Oziel. O lateral dividiu a bola, ganhou, invaidiu a área e chutou forte, o goleiro defendeu e sobrou para, agora sim, Edivaldo marcar o seu e chegar ao seu 12º na Série B, aos 42 da primeira etpa, que terminou assim mesmo, Duque 2, Portuguesa 1.

O segundo tempo foi todo da Portuguesa, mas a zaga e, principalmente, o goleiro Vinícius, do Duque de Caxias foram vitais para a manuntenção do placar. O goleiro fez grandes defesas e ainda teve sorte, com o zagueiro tirando uma bola na linha e com uma bola que bateu no travessão, tudo isso já aos 45 da etapa final.

Agora, o Gigante Tricolor da Baixada tem mais um jogo em casa, contra o Figueirense, e pode aumentar sua sequência de vitórias para quatro.

DUQUE DE CAXIAS 2 X 1 PORTUGUESA/SP

Local: Engenhão, Rio de Janeiro (RJ)
Data/hora: 11/8/2009 - 21h50 (de Brasília)
Árbitro: Paulo Henrique G. Bezerra (SC)
Auxiliares: José Ricardo Linhares (ES) e Adailson Alves Pereira (SP)
Cartões amarelos: Thiago Santos e Gustavo (DCA); César Prates, Dinei, Acleisson e Bruno Rodrigo (POR)
GOLS: Bruno Rodrigo (contra), 10'/1ºT (1-0); Dinei, 28'/1ºT (1-1); Edivaldo, 42'/1ºT (2-1)

DUQUE DE CAXIAS: Vinícius, Oziel, Santiago, Gustavo Silva e Bruno Moreno; Pessanha (Leandro Teixeira, 38'/2ºT), Silva, Leandro Chaves e Cleiton (Juninho, 27'/2ºT); Thiago Santos (Lucas, 02'/2ºT) e Edivaldo. Técnico: Rodney Gonçalves

PORTUGUESA: Fábio, Bruno Rodrigo, Thiago Gomes e Ygor; César Prates (Tatá, 29'/2ºT), Acleisson, Guilherme (Fellype Gabriel, intervalo), Herevérton e Anderson Paim (Fernandinho, intervalo) ; Dinei e Edno. Técnico: Flávio Trevisan.

ASSIM NÃO, VASCÃO

Amigos vascaínos,

O Atlético-GO tremeu mais uma vez e conseguiu empatar um jogo ganho dentro de sua casa. Mas de nada adiantou, já que o Vasco não fez sua parte e ficou apenas no empate fora de casa contra o América-RN. 2x2. Os gols cruzmaltinos foram marcados por Élton e Adriano.

No sábado, o time tem mais uma chance de assumir a liderança, jogando em São Paulo contra a Portuguesa.Os erros começaram logo pela escalação. Como Nilton é considerado titular, e Enrico fez boa partida no sábado, Dorival optou por deixar os dois no time, sobrando para Adriano, que foi para o banco. O time ficou lotado de meio-campistas, mas perdeu força no ataque, além de Carlos Alberto ficar sobrecarregado. Mesmo assim, nos primeiros minutos, só dava Vasco no ataque. Porém, no primeiro ataque americano, Somália arrematou de longe e Fernando Prass não defendeu. Falha do nosso goleirão e 1x0 para os donos da casa.

Dois minutos depois, Lúcio quase marcou o segundo. Dessa vez nosso arqueiro salvou. Perdido no meio-campo, o Vasco demorou a se acertar. Quando criava algo, era parado com faltas duras, que foram amarelando os rivais. Aos 30, Ramon sofreu carrinho criminoso de Vanderley. Lance claro de expulsão, mas o juiz só amarelou.

Aos 34, enfim o gol. Alex Teixeira enfiou bola para Élton que chutou forte de canhota. Sétimo gol do camisa 9, que começa a chegar perto dos artilheiros. Empate do Vascão, 1x1. Após os 40 minutos, cada goleiro apareceu com uma grande defesa, mantendo o empate até o intervalo.
Com os três principais marcadores do adversário com amarelo, restava ao Vasco forçar a expulsão de ao menos um deles. E jogadores pra isso tínhamos, com Carlos Alberto e Alex Teixeira e ainda Coutinho e Robinho no banco. Dorival porém, sacou Nilton e colocou o zagueiro Dedé, recuando ainda mais o time.

Com ainda menos talento, não demorou para o time sofrer o gol. Aos 6 minutos, Enrico perdeu a bola e gerou o contra-ataque. Lúcio chutou forte, entre as pernas de Fernando Prass. Outra bola defensável. América 2x1. Minutos depois, Weverton salvou com os pés chute de Ramon. Aloísio entrou no lugar de Amaral, enquanto Carlos Alberto (pendurado) saiu para entrada de Adriano.

O Vasco ficou em um bizarro 3-4-3, com três centroavantes de força na frente.
Restava cruzar bolas na área e foi assim que veio o empate. Enrico cobrou falta, Weverton cortou pro meio da área e Adriano fuzilou. Gol do Vascão, 2x2.

O jogo ficou louco e o Vasco, com o meio aberto, sofria riscos. Aos 39, em novo cruzamento na área, Aloísio quase marcou no rebote. Nos acréscimos, Enrico perdeu a bola de novo e Lúcio chutou. Fernando Prass salvou o time.

Empate justo pelo que as equipes apresentaram, mas que deixa um gosto ruim para a torcida, já que podíamos tranquilamente ter vencido se jogássemos nosso futebol habitual. Sábado, o duelo contra a Lusa é muito mais difícil e precisamos vencer para assumirmos a liderança e nos afastarmos ainda mais do 5º colocado.

O Vasco atuou com: Fernando Prass, Vilson, Amaral (Aloísio) e Gian; Alex Teixeira, Souza, Nilton (Dedé), Enrico e Ramon; Carlos Alberto (Adriano) e Elton.

Sds vascaínas a todos!


SERIEDADE!

Petkovic observa de perto as intruções do técnico Andrade
Foto: Vipcomm

Torcedores do Mais Querido do Brasil!

Antes de falar da Copa Sul-Americana temos duas coisas importantes para relatar: a vitória diante do Corinthians e a permanência do atacante Emerson.

Mais de 49 mil torcedores estiveram presente no Maracanã para acompanhar esse jogo que prometia muito principalmente por se tratar do clube em que o "Gordômeno" defende. Não podia ser nada melhor do que vencer o chamado 'Timão' com um gol do Imperador, que alcançou de quebra a artilharia isolada do Campeonato Brasileiro. E por onde deveria andar o Ronaldo naquele momento? No Pampilon ou no spa ao lado de mais três 'amigas'?

Com uma equipe que não lembra em nada o temido Corinthians, favorito a conquistar o Brasileirão após o título da Copa do Brasil, o Flamengo se impôs em casa e desde o primeiro minuto partiu pra cima. A afobação em mostrar resultado para a torcida prejudicava um pouco já que a equipe errava muitos passes e facilitava o intuito dos paulistas que era conquistar no mínimo um ponto no Rio de Janeiro.

Adriano apesar do gol, desperdiçou inúmeras oportunidades ao longo da partida, mas terminou como o grande herói e mais do que nunca ídolo da Nação marcando aos 12 minutos da segunda etapa em sobra de bola após o chute de Kléberson. Quem voltou a demonstrar um bom rendimento é o lateral-direito Léo Moura. O camisa 2 da Gávea depois que terminou o relacionamento com a Perlla evoluiu. Porém, ele não encara o Fluminense esta noite já que se contundiu no rachão ontem no Ninho do Urubu.

A respeito do Sheik, foi excelente saber que ele permanecerá no clube por mais algum tempo apesar de que os árabes devem amumentar a proposta. Os 2 milhões de dólares (cerca de R$ 3,8 milhões) feita pelo Al-Ahli não seduziram de início o Flamengo. Pouco dinheiro por tudo aquilo que o Emerson vem desempenhando em campo e caindo nas graças da torcida com sua vontade e disposição incansável. Um verdadeiro leão entre os zagueiros adversários. O nosso camisa 11 se encaixou perfeitamente com o Imperador e é com toda certeza a melhor dupla de ataque do século XXI que já passou pelo Rubro-Negro ou alguém duvida?

Com relação ao clássico desta noite, pela estreia na Copa Sul-Americana, o objetivo da equipe deve ser o título, pois é dessa forma que o Flamengo entra nas competições. O técnico Andrade terá uma grande chance de provar seu potencial como treinador e a experiência quando era jogador em competições internacionais será fundamental para o clube buscar essa taça que ainda não está na imensa galeria de conquistas da Gávea.

Apesar de tanto Fluminense quanto Flamengo não valorizarem a competição colocando a campo equipes mistas, a obrigação maior de vitória e de classificação nesta primeira fase local é do Mengão. O Tricolor vive um momento delicado no Campeonato Brasileiro e o foco deles está exclusivamente em se livrar da zona de rebaixamento, enquanto o Fla vislumbra alcançar o G-4 e quem sabe com uma sequência de resultados positivos colar no líder Palmeiras, que não tem nada de excepcional comparando ao time da Gávea ou a qualquer outro clube.

Quem tem a chance de apagar a péssima estreia é o atacante Denis Marques que entrará na vaga de Adriano que pediu para ser poupado. Até certo ponto justo a 'folga' para o Imperador, mas será que o nosso camisa 10 irá conhecer o Salgueiro pela primeira vez!?

Andrade não poderá contar com Juan e Toró que ainda se recuperam de lesões além de Kléberson e Fierro que defendem as suas respectivas seleções. Dos jogadores que vem atuando constantemente, o treinador rubro-negro poderá contar com Bruno, Petkovic, Airton, Willians, Everton e Emerson.

DE OLHO NA PRESA

Com o foco somente no próximo adversário do Campeonato Brasileiro, que é o Coritiba, o técnico Renato Gaúcho irá comandar a equipe hoje apenas para cumprir tabela não descartando surpreender o Fla.

O medo do treinador de perder algum jogador para o compromisso pelo Brasileirão fez com que o comandante tricolor pensasse e escalasse uma equipe totalemente reserva do goleiro ao gândula. Para não perder o costume, Renato Gaúcho esconde a escalação, mas sobre o esquema de jogo, ele pode optar pelo 3-5-2, com Digão na zaga, ou pelo 4-4-2, com a entrada de Maurício no meio-campo e apenas Dalton e Cássio com a missão de parar o ataque rubro-negro.


FICHA DO JOGO - FLAMENGO X FLUMINENSE

Estádio: Maracanã. Data: 12/08/2009
Árbitro: Roberto Silvera (URU)
Auxiliares: Carlos Pastorino (URU) e William Casavieja (URU)

Flamengo: Bruno, David, Aírton e Fabrício; Everton Silva, Lenon, Willians, Petkovic e Everton; Emerson e Denis Marques.

Fluminense: Rafael; Mariano, Dalton, Cássio e João Paulo; Fabinho, Diguinho, Fábio Santos e Maurício; Carlos Eduardo e Alan.

BOTAFOGO - 105 ANOS DE TRADIÇÃO

Botafogo completa 105 anos nesta quarta-feira
Foto: BFR

No país do futebol, inevitável seria não torcer por um clube. Poderiamos ser apenas mais um perante toda uma nação, poderiamos ser apenas mais um torcedor dentro da maior torcida do mundo, poderiamos torcer pelo time mais rico, para o mais famoso, ou que tenha mais títulos...

Poderiamos ser mais um dentro da multidão que gritando, não formam ritmo algum, poderiamos ser torcedores na vitória e acompanhantes na derrota, mas somos maiores do que isso, somos torcedores do Botafogo de Futebol e Regatas, aquele que é acompanhado pela estrela solitária brilhante no céu e aquele que é o único que pode ser denominado GLORIOSO.


Se está descontente com o presente...

Acredite no futuro promissor.



Se as vitórias não acontecerem...

Espere mais sorte na próxima vez.


Se achar que é necessário...

Chore sem se preocupar com os comentários invejosos.


Se estiver triste com alguns jogadores...

Lembre de quem honrou a nossa estrela.



Se em campo alguém não se impenha...

Há sempre um guerreiro no meio deles.


Se a situação está complicada...

Lote o estádio com a esperança de um vencedor



Se a batalha está quase perdida...

Acredite que a bandeira continuará erguida.



Se a batalha é difícil...

A união ajuda a suportá-la.

Se a vitória escapar...

Jogue com o time e siga acreditando.






Se a derrota parecer certa....

Acredite até o apito final.






"Serei BOTAFOGO mesmo que a bola não entre
Mesmo que o Engenhão se cale
Mesmo que o manto desbote
Mesmo que a vitória esteja longe.

Serei BOTAFOGO, mesmo que seja longa a jornada
Que seja dura a caminhada.
BOTAFOGO no peito e na alma,
no grito e nas palmas.
Serei BOTAFOGO ate morrer !!!

Sempre haverá braços e ventos para astiar nossa bandeira.
Sempre haverá gargantas e corações em chamas para cantar nosso hino.
Sempra haverá batalhas contra 12 em campo
Pois não há como não contar com a arbitragem sempre contra nós.
Mas no outro lado das arquibancadas sempre haverá a força alvinegra no
peito dos torcedores, e em campo, na camisa dos soldados do glorioso.
BOTAFOGO!

Sei que no seu peito bate uma estrela. Fogão, para sempre e até a eternidade.
Não há derrotas para quem já nasce vencedor."

Parabéns Botafogo. Parabéns Futebol Brasileiro. Parabéns Torcida. Mais 105 anos de conquistas e alegrias virão...

Saudações Alvinegras.

terça-feira, 11 de agosto de 2009

RECONHECIMENTO!


O nosso amigo Fernando Sérgio prestou uma linda homenagem a equipe número 1 do rádio na qual estou humildemente incluído. Leia abaixo:

"Não é fácil fazer rádio e muito menos fazer a cobertura esportiva.
Digo isso porque convivo diáriamente com a equipe esportiva da rádio Tupi sob o comando brilhante do meu amigo Luís Penido e sei da luta dos repórteres em busca de notícias dos vários clubes cariocas.

Dá-se que o futebol é mesmo uma paixão nacional e cada repórter tem de saber de tudo que está acontecendo no clube que ele cobre e passar isso de forma clara e objetiva para a sua torcida...

Até aí, nada demais - diria você.
Sim!

Nada demais, se isso não se transformasse, como aliás se transforma, numa lida de 24 horas; isso porque, numa rádio de ponta como a Super Tupi, ainda que não solicitados oficialmente, os repórteres esportivos vão espontâneamente além dos seus horários; afinal, dedicação é e sempre será o preço de quem ama o rádio.

Assim é, por exemplo, o que precede e segue após o programa diário " Giro Esportivo", tão bem apresentado pelo experiente jornalista Wagner Menezes e tendo, nos fins de semana, a apresentação do experiente Geraldo Sena e, eventualmente, a voz bonita do Jota Santiago.

Vez por outra, Odilon Júnior também passa pelo programa!
Tem gente boa de montão: Carla Matera -a bela e competente repórter esportiva; os experientes e talentosos Sérgio Américo, Mauro Santana, Gustavo Henrique,Vinicios Gama, Marco Vasconcelos, Marcos Martins e ainda os mais novos: Luís e Renan.

Nos comentários, o consagrado Apolinho, que dispensa adjetivos pela sua competência e lisura;
o polêmico Jorginho Nunes que, "pretinhas à parte", analisa com a linguagem do povo e o nosso Eugênio Leal, aquele em quem vou me deter um pouco mais nesse despretensioso mais reconhecido comentário.

É que, sem sombra de dúvida, acompanho a evolução desse competente jornalista, relativamente jovem para quem, como eu, já passou dos " enta" e percebe com orgulho, nele, a continuidade dos bons comentaristas.

Não é àtoa que costumo dizer que eu não fico em cima do muro.
E olha que o bom comentarista também não pode ficar.

Eugênio é desses: Analisa futebol com a certeza de quem ama o assunto e por isso, o estuda, da mesma forma que fala com propriedade do mundo do samba, sua outra paixão (Eugênio é compositor premiado da São Clemente).
Opina com personalidade, por isso mesmo, é elogiado e contestado.
Mas é dos meus: Tem opinião.

E creia: o jornalismo fica mais rico com isso!"

ESTEVAM SOARES - A NOVA ESPERANÇA

Técnico assume o Botafogo e diretoria promete reforços.

Foto: Portuguesa-SP

Torcedores do Glorioso,

Fechado o ciclo de cerca de um ano e meio no Botafogo, Ney Franco deixou o clube. O treinador que obteve destaque no rival Flamengo, assumiu o Botafogo diante do Santos, na Vila Belmiro, jogo que acabou empatado em 2 a 2, com o fogão chegando a abrir vantagem de 2 a 0 no primeiro tempo. Coincidentemente, Estevam Soares também chega ao Botafogo em um momento complicado e tem pela frente uma equipe paulista, o Palmeiras, no Palestra Itália.

Estevam Soares despertou o interesse do Botafogo pelo bom trabalho que tem feito pelo Barueri, aonde conseguiu vitórias expressivas e chegou a ficar por algumas rodadas na zona de classificação da Libertadores. Juntamente com o técnico, irão fazer parte da comissão técnico o auxiliar Gerson Sodré e o preparador físico Lino Fachini.

Estevam ainda vai acertar os últimos detalhes de sua mudança para o Rio de Janeiro, o treinador deve assinar contrato até o dia 31/12/2009. A diretoria do Botafogo já prometeu a dispença e empréstimo de alguns jogadores que não estão sendo utilizados, quando chegar, Estevam deve ajudar nessa escolha. Alguns atletas comandados pelo treinador no Barueri são cogitados, entre eles o zagueiro André Luís, que passou pelo Bota ano passado e o atacante Fernandinho, que vem fazendo um ótimo campeonato.



Nome: Estevam Eduardo Lemos Soares
Nascimento: 10/06/1956, em Cafelândia/SP

Clubes
1992: Primavera-SP
1993:Internacional de Limeira-SP
1994: ABC-RN
1995: Primavera/SP
1996: Guarani-SP
1997: América-RN
1999: CSA-AL
2000:Ponte Preta-SP
2001: Náutico-PE
2002: Olympic Beyrouth - Líbano
2003-20/07/2003: CRB-AL
21/07/2003-04/11/2003: Gama-DF
02/01/2004-24/05/2004: Ponte Preta-SP
25/05/2004-02/2005: Palmeiras-SP
17/03/2005-21/07/2005: São Caetano-SP
26/08/2005-22/11/2005: Ponte Preta-SP
02/03/2006-15/05/2006: Coritiba-PR
12/2006-05/2007: América-RN
06/2007-09/2007:Barueri-SP
12/2007-08/2008: Al Ittihad - Arábia Saudita
08/2008-01/2009: Portuguesa-SP
02/02/2009 - 28/02/2009: Guaratinguetá - SP
01/03/2009 – 11/08/2009: Grêmio Barueri - SP

Títulos
1995 - Campeão Paulista Série B1 Primavera/SP
1997 – Campeão Potiguar – América/RN

sábado, 8 de agosto de 2009

ABUSANDO DOS ERROS

Fahel e Marcinho disputam a jogada
Foto: BFR
Torcedores do Glorioso,

Uma coisa ficou certa hoje, quando um time quer perder, ele consegue. Hoje o Botafogo quis perder o jogo, essa é a única explicação de descente para o que foi a partida de hoje. Chances de marcar não faltaram, mas o André Lima tratou de jogar pênalti na trave e furar duas vezes dentro da área. Victor Simões completamente nulo conseguiu jogar na arquibancada suas oportunidades, o outro atacante, Cony (Tony), não fez qualquer jogada que ajudasse o time.

O Bota começou o jogo bem compacto na defesa, mesmo desfalcado do capitão Juninho, suspenso, em contrapartida o ataque viveu um de seus piores momentos nos últimos anos (volta logo, Reinaldo!!). Aos 12 minutos a equipe alvinegra começou a mostrar querer alguma coisa, mas esbarrava em seus próprios erros. Quando aos 18 minutos André Lima sofreu pênalti, parecia que era o início do embalo do Botafogo, mas André "barrou" Lúcio Flávio na cobrança e pediu para bater. De pé direito ele deslocou o goleiro mas acertou a trave esquerda.

A fúria da torcida e de Ney Franco com o jogador ainda fazia-se ouvir no estádio quando Victor Simões conseguiu a jogada pelo lado direito e arrematou na mesma trave que minutos antes havia evitado o gol alvinegro. Era certo, a maré de azar estava do nosso lado. O Furacão equilibrou o jogo e assim consegui mostrar a ineficiência de Batista, substituído no intervalo porém, Jônatas se mostrou o jogador mais lúcido do time.

No segundo tempo, o que era ruim, ficou pior. O Atlético Paranaense ficou cada vez mais perigoso vendo que o "bicho não era tão feio". Mesmo buscando o ataque em algumas oportunidades, o Furacão ainda seguia feliz com o empate. Ney Franco começou a ver que o resultado era ruim e resolveu mexer (Pra quê?). Cony substituiu Fahel (Inoperância por Inoperância e meia - dois jogadores que mereciam estar na barca para sair do Botafogo).

A maré continuou quando Castillo se machucou e teve que ser substituído por Flávio. Azar do goleiro reserva do Botafogo, logo no primeiro lance do Atlético desde que ele havia entrado, Paulo Baier cobrou falta na área e depois de um desvio preciso, Patrick abriu a contagem. As primeira vaias começaram a ecoar da arquibancada, enquanto isso, o time não conseguia jogar. André Lima perdeu duas oportunidades que qualquer jogador de pelada de fim de semana faria, e assim era difícil buscar pontuar. Antônio Lopes, com toda sua experiência, começou a atrasar o Botafogo e conseguiu que seu time segurasse o resultado positivo diante do apático Botafogo.

BOTAFOGO 0 x 1 ATLÉTICO-PR

Local: Engenhão, Rio de Janeiro (RJ)
Data/hora: 8/8/2009 - 18h30 (de Brasília)
Árbitro: Francisco de Assis Almeida Filho (CE)
Auxiliares: Ednilson Corona (Fifa-SP) e Manuel Marcio Bezerra Torres (CE)
Renda/público: R$ 133,891,50/11.454 pagantes
Cartões amarelos: Jônatas, Wellington, Victor Simões, Alessandro e Léo Silva (BOT); Chico, Wesley e Galatto (ATL-PR)
GOLS: Patrick, 24'/2ºT (0-1)

BOTAFOGO: Castillo (Flávio, 22'/2ºT), Wellington, Leandro Guerreiro e Eduardo; Alessandro, Fahel (Tony, 18'/2ºT), Jônatas, Lucio Flavio e Batista (Léo Silva, intervalo); Victor Simões e André Lima. Técnico: Ney Franco.

ATLÉTICO-PR: Galatto, Nei, Chico e Manoel; Wesley, Rafael Miranda, Valencia, Paulo Baier (Raul, 42'/2ºT) e Márcio Azevedo (Renan, 38'/2ºT); Marcinho (Gabriel Pimba, 43'/2ºT) e Patrick - Técnico: Antonio Lopes.

quinta-feira, 6 de agosto de 2009

FRAGILIDADE EVIDENTE

Lúcio Flávio disputa a jogada com André Dias
Foto: Diário de São Paulo

Torcedores do Glorioso,

Era difícil esperar mais. Mesmo em crescente no campeonato era difícil esperar que o Botafogo conseguisse um resultado melhor diante do São Paulo, sabemos o quão forte eles são dentro do Morumbi e isso fazia com que o empate se tornasseum bom resultado. O Bota se postou até bem e saiu na frente mais por infelicidade do sistema defensivo e do goleiro Castillo, a pontuação foi por água a baixo, mas a zona de rebaixamento ainda está um pouco distante.

Devido ao desfalque de André Lima, Ney Franco resolveu fazer aquelas invenções que só passam em sua cabeça. Michael, que ainda não havia jogado, entrou como titular da equipe e o Bota jogou assim no esquema 3-6-1. Parecia um esquema defensivo, mas não era na distribuição no campo. Em dez minutos de jogo, nenhum susto para ambos os lados, até que aos 20 minutos Lúcio Flávio marcou o primeiro desde sua volta. Lateral mal cobrado, Michel recebeu e tocou para o maestro chutar bem de fora da área, 1 a 0.

Difícil de acreditar, o Botafogo na frente do São Paulo em pleno Morumbi. Mas a felicidade durou pouco quando Renato saiu lesionado e deu lugar a Jean Coral (o que esse cara ainda faz no Botafogo?). O esquema mudou teoricamente para um 3-5-2 e com muito espaço no meio campo o São Paulo foi superior. Aos 37 minutos Washington fez boa jogada e tocou para Hugo sofrer pênalti infantil e desnecessário de Castillo. Jorge Wágner cobrou com categoria e empatou. 1 a 1.

Quando o empate parecia certo no primeiro tempo, o Botafogo tratou de levar gol depois dos 40 minutos novamente. André Dias ganhou pela ponta como se fosse um ala e rolou para Washington, livre dentro da área, finalizare virar a partida. Sem mais tempo de reação, o Bota foi para o intervalo com o placar negativo. Em menos de dez minutos o resultado bom, passou a ser desastroso.

Com o placar favorável, o São Paulo tratou de tocar de lado e fazer o simples aproveitando o contra-ataque, enquanto o Botafogo, nitidamente desorganizado, não criava. O tricolor precisou de apenas três toques para ampliar a vantagem. Dênis cobrou o tiro de meta, Borges desviou e Dagoberto tocou na saída de Castillo. O Botafogo continuou desorganizado e o São Paulo perdeu duas boas oportunidades, numa delas Hernanes acertou a trave. Ficou nisso, 3 a 1.

SÃO PAULO 3 X 1 BOTAFOGO

Estádio: Morumbi, São Paulo (SP)
Data/hora: 05/08/2009 - 21h (de Brasília)
Árbitro: Elmo Alves Cunha (Asp.Fifa/GO)
Auxiliares: Fabrício Vilarinho (GO) e Cristhian Passos Sorence(GO)
Renda/Público: R$ 423.115,00/ 19.182 pagantes

GOLS: Lucio Flavio, 19'/1°T (0-1); Jorge Wagner, 36'/1°T (1-1); Washington, 45'/1°T (2-1); Dagoberto, 26'/2°T (3-1)

São Paulo: Denis, Renato Silva, André Dias e Miranda; Jean, Hernanes, Richarlyson, Hugo (Júnior César, 23'/2ºT) e Jorge Wagner; Dagoberto (Marlos, 42'/2ºT). e Washington (Borges, 20'/2ºT). Técnico Ricardo Gomes.

Botafogo: Castillo, Wellington (Túlio Souza, 29'/2ºT), Juninho e Eduardo; Alessandro, Leandro Guerreiro, Batista, Renato (Jean Coral, 23'/1ºT), Lucio Flavio e Michael (Léo Silva, 10'/2ºT); Victor Simões. Técnico: Ney Franco.

INFELIZ!

Adriano e Dênis Marques não conseguem encontrar o entrosamento perfeito
Foto: Abril


Torcedores do Mais Querido do Brasil!

O Flamengo foi infeliz no jogo de ontem diante do Goiás. Após um empate suado com o ex-lanterna Náutico por 1 a 1 no último domingo esperava-se uma derrota copiosa no Serra Dourada para uma equipe que vem embalada na competição e que tinha conquistado cinco vitórias consecutivas. Apesar da primeira etapa péssima, no segundo tempo o Fla foi dominante e reagiu, mas no fim, Iarley repetindo o que aconteceu em 2008 desempatou e garantiu os três pontos para os donos da casa.

Durante os 45 minutos iniciais deu raiva assistir os erros de marcação e passe da equipe rubro-negra. O estreante Denis Marques apresentou um futebol pífio. Em sua última chance ele perdeu um gol cara a cara com o goleiro Harley. Precisa evoluir muito para vestir a temida camisa 9 da Gávea. Explorando o tamanho do gramado em Goânia, a equipe Esmeraldina partia pra cima em busca de liquidar logo o jogo.

Aos 11 minutos, o jovem Felipe Menezes arriscou o chute. Bruno salvou parcialmente e o novo Júnior Baiano (Airton) rechaçou do perigo. Sinceramente, o Airton está virando um bonde. Está certo que ele é brigador e não desiste da jogada, mas há certas ocasiões que o 'volante de trator' esquece o futebol e parece querer disputar uma luta livre. Não é a toa que está frequentemente visitando o STJD.

Aos 13 minutos não teve jeito. Na pressão exercida pelo Goiás, após cruzamento de escanteio de Léo Lima, Amaral subiu mais que todo mundo e cabeceou firme sem chances para Bruno. 1 a 0.

Sem ter aquele camisa 10 de ofício em campo pelo lado carioca (Fierro estava mais perdido que cego em tiroteio), Adriano saia constantemente da área para quem sabe arriscar um chute de longa distância. E quase ele marcou aos 18 minutos.

Aos 23 minutos, o árbitro Heber Roberto Lopes começava a aparecer com suas lambanças. Depois de empurrar Willians, Léo Lima recebeu sozinho a bola e estufou a rede. 2 a 0. O incrível é que o juiz estava com um ótimo ângulo de visão e não marcou a infração por que não quis. Serve de lição para mostrar que futebol também conta com a inteligência e nem sempre o que é falta realmente é falta.

Pet entra no segundo tempo e muda a cara do jogo

No segundo tempo, Andrade mexeu na equipe. Petkovic (dependendo do condicionamento físico merece ser titular por o que vem apresentando nos últimos jogos) e Bruno Paulo entraram na vaga do inoperante Kléberson e Dênis Marques, respectivamente.

O Flamengo ganhou gás e com a tranquilidade e a qualidade do sérvio, o time rubro-negro começou a dominar o jogo não demorando muito para marcar. Logo com um minuto, Rafael Toloi cometeu pênalti em Adriano que o árbitro não marcou, entretanto, no lance seguinte, novamente Toloi agarrou o Imperador. O camisa "10" cobrou no meio do gol e diminuiu. 2 a 1.

O Goiás tentava ir para o ataque, mas o nervosismo impedia alguma reação. O Flamengo aproveitou e trocando bons passes rondava com perigo a grande área do adversário. Com a categoria de Pet que distribuia bem as jogadas e o trabalho de pivô de Adriano entre os zagueiros, o gol era questão de tempo. E a boa movimentação premiou o gringo. Adriano chamou a marcação e abriu espaço para Petkovic arriscar o chute colocado no canto esquerdo de Harley. Golaço. 2 a 2.

Com o empate no placar, parecia que as equipes estavam satisfeitas. Porém, assim como no ano passado o alviverde contava com o atacante Iarley, o jogador dos instantes finais contra o Flamengo. E justamente ele desempatou de novo. Aos 46, após vacilo da zaga rubro-negra, o camisa 9 do Goiás fuzilou a meta do goleiro Bruno. 3 a 2.

Uma derrota injusta pelo segundo tempo. Mas futebol não premia apenas ao apresentado em parte de um jogo e sim aos detalhes de um todo.

Na próxima rodada, o Goiás visita o São Paulo, domingo, no Morumbi. No mesmo dia, o Flamengo faz o duelo das maiores torcidas do país contra o Corinthians, no Maracanã. E cadê o Ronaldo?

FICHA TÉCNICA:
GOIÁS 3 X 2 FLAMENGO


Estádio: Serra Dourada, Goiânia (GO)
Data/hora: 05/08/2009 - 21h50 (de Brasília)
Árbitro: Heber Roberto Lopes (Fifa-PR)
Auxiliares: Ivan Carlos Bohn (PR) e José Carlos Dias Passos (PR)
Renda/público: R$1.024,680/37.320 pagantes (42.913 presentes)
Cartões amarelos: Douglas, Ernando, Leandro Euzébio e Léo Lima (GOI); Aírton, Ronaldo Angelim e Fierro (FLA)

GOIÁS: Harlei, Ernando, Leandro Euzébio e Rafael Tolói; Douglas, Amaral, Fernando (Gomes, 37´/2ºT), Léo Lima, Felipe Menezes (Zé Carlos, 30´/2ºT) e Julio Cesar; Iarley - Técnico: Hélio dos Anjos

FLAMENGO: Bruno (6.0), Welington (6.0), Aírton (5.5) e Ronaldo Angelim (5.0); Léo Moura (5.5), Willians (5.5), Fierro (5.0) (Lenon - 5.0), Kleberson (4.0) (Petkovic - 7.5) e Everton (5.5); Denis Marques (3.5) (Bruno Paulo - 5.5) e Adriano (7.0) - Técnico: Andrade (6.0)