Campeonato Brasileiro
[23/10 e 24/10] .::. Atlético-PR x Fluminense / Botafogo x Vitória / Vasco x Flamengo .::.

domingo, 28 de fevereiro de 2010

VENCER, VENCER, VENCER!

Vinicius Pacheco e Vágner Love são destaque na vitória sobre o Macaé
Foto: Vipcomm


Torcedores do Mais Querido do Brasil!

O Flamengo mostra a sua força. O Macaé bem que tentou dificultar a partida para o Rubro-Negro, mas não foi páreo para a dupla Vágner Love e Vinícius Pacheco que destruíram o jogo no segundo tempo. Cada um marcou dois gols e o Flamengo goleou por 4 a 1 o adverário, ontem, em Volta Redonda, no estádio Raulino de Oliveira. Com o resultado, o time comandado pelo técnico Andrade lidera o Grupo A da Taça Rio com três pontos.

O time volta a campo contra o Madureira, às 21h50m (horário de Brasília), no Maracanã. Já o Macaé enfrenta o Boavista, às 17h, em Saquarema.

Apesar das ausências de Kléberson e Adriano, que estão servindo a Seleção Brasileira; Petkovic e Alvaro contundidos, Fernando, Deivid e Bruno Mezenga deram conta do recado.

Em compensação, o Flamengo acabou sofrendo mais um gol em jogada aérea. Laio, ex-Botafogo, marcou o gol de empate no fim do primeiro tempo entre os zagueiros da Gávea. Apesar de contar com Willians e Toró, a contensão no meio-campo também não estava tão regular como na partida de estreia na Taça Libertadores quando o Mais Querido atuou com menos um desde o primeiro minuto do primeiro tempo.

No time do Macaé, o experiente Bill era o mais lúcido e conseguia executar boas jogadas pela esquerda. Entretanto, a dupla de ataque Laio e Norton não conseguiam finalizar com êxito.

Vale destacar a boa partida de Vágner Love, que sem o Imperador foi o grande responsável por colocar a bola no fundo da rede. O camisa 9 abriu o placar em cobrança de pênalti aos 30 minutos. Depois de ter perdido a oportunidade na última quarta contra o time chileno, o jogador bateu firme no meio do gol. 1 a 0.

O Macaé não desistiu e empatou logo depois. Após falta de Fernando, André Gomes arriscou o chute frontal, Bruno espalmou pela linha de fundo. No escanteio, dois zagueiros falharam e Laio subiu sozinho para empatar. 1 a 1.

No intervalo, Andrade sacou o apagado Bruno Mezenga e colocou Fierro. Apesar da substituição, o adversário voltou melhor e por pouco não virou a partida. Porém, não demorou muito para o Flamengo colocar o pingo nos "is". Em um contra-ataque, Vágner Love acabou sofrendo falta. Ele mesmo cobrou rápido, tocou para Vinicius Pacheco, a zaga ficou olhando o camisa 22 colocar no fundo da rede. 2 a 1.

Depois Fernando foi substituido por Ramon que fazia sua estreia com o Manto Sagrado. Poucos minutos depois em uma tabelinha bonita, Love marcou o terceiro. A bola ainda bateu no travessão antes de morrer no gol. 3 a 1.

Aos 28 minutos tinha mais. Após bela jogada, Willians tocou para Vágner Love, que deixou Vinícius Pacheco na boa para ampliar. 4 a 1.

Rodrigo Alvim ainda teve o gostinho de entrar em campo fazendo também a estreia com a camisa do Flamengo na vaga de Juan que não gostou como sempre da substituição.



MACAÉ 1 x 4 FLAMENGO

Estádio: Raulino de Oliveira, em Volta Redonda (RJ)
Data: 27/02/2010
Árbitro: João Batista de Arruda
Auxiliares: Marçal Rodrigues e José Carlos de Arruda
Público pagante: 1.489
Renda: R$ 35.530,00

Macaé: Jefferson, Fred, André, Otávio e Bill; Gedeil (Léo Santos), Marciel, André Gomes e Cléber Oliveira; Laio (Raphael Aguiar) e Norton. Técnico: Andrade.

Flamengo: Bruno, Leonardo Moura, David, Fabrício e Juan (Rodrigo Alvim); Toró, Willians, Fernando (Ramon) e Vinícus Pacheco; Vagner Love e Bruno Mezenga (Fierro).
Técnico: Toninho Andrade.

Gols: Primeiro tempo: Vagner Love, aos 30, Laio, aos 41. Segundo tempo: Vinícius Pacheco, aos 13, Vagner Love, aos 22; Vinícius Pacheco, aos 28,
Cartões amarelos: Gedeil, André, Bill, Norton (Macaé) Leonardo Moura, Vinícius Pacheco, Fabrício (Flamengo)

ACORDA!


A Taça Rio começou e começou cedo para quatro times. Ontem, às oito horas da manhã a bola rolou no estádio em Conselheiro Galvão para Madureira e Boavista, uma reedição da semifinal da Taça Moisés Mathias de Andrade. O Tricolor Suburbano foi derrotado por 2 a 1.

O time de Saquarema marcou com Léo Guerreiro duas vezes e estreando pelo Madureira, Derlei deixou a sua marca. Nesta quarta-feira, o Madureira enfrenta o Flamengo às 21h50 e o Boavista recebe o Macaé às 17h.

Em outro jogo, o Resende recebeu o Bangu e perdeu por 3 a 0. Os gols do time da Zona Oeste foram marcados por Sassá, Thiago Galhardo e André Oliveira. Com a vitória, o Alvirrubro segue sem perder nos últimos jogos no Estadual, fato que marcou uma reação do clube na competição. Foram três vitórias nas três últimas rodadas da Taça Guanabara e agora, o resultado positivo já no primeiro jogo do segundo turno.

Na quarta-feira, às 20h30, o Resende vai até Volta Redonda enfrentar o Voltaço pela segunda rodada da Taça Rio. No mesmo dia, o Bangu enfrenta o Vasco, às 19h30.



AMÉRICA ESTREIA DIANTE DO CAXIAS

Já o América fará sua estreia na Taça Rio diante do Duque de Caxias, hoje a tarde, no Marrentão. A partida marcará a estreia de Gabriel Vieira como treinador do Mecão. Ele, que preparava os goleiros rubros desde o meio do ano passado, volta a ser técnico, função que exerceu em vários clubes, dentre os quais o Bangu e o Madureira.

Aos 43 anos, ele encara o maior desafio de sua carreira fora das quatro linhas. O jogo também é fundamental para o Tricolor da Baixada, que precisa conquistar a primeira vitória para deixar a última posição do Campeonato Estadual.

Nos 12 dias que teve para trabalhar com o grupo, o técnico Gabriel Vieira enfatizou os trabalhos táticos, o reforço das jogadas de bola ensaiada e muita, mas muita conversa com os atletas do América. O técnico mostrou firmeza, mas não deixou o diálogo se perder pelo caminho. Neste intervalo, o Mecão fez dois jogos-treino contra times que disputarão a Segundona do Rio e venceu ambos: 2 a 1 sobre o Mesquita, no dia 19, e 1 a 0 sobre o São Cristóvão, na última quarta-feira, dia 24.

O atacante Faioli, recém contratado pelo Duque de Caxias para a Taça Rio, teve sua situação regularizada junto à Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro na última sexta-feira e deve participar da partida.

Os ingressos para a partida contra o America estão sendo vendidos na sede do clube a partir das 9h, até a hora do jogo. Arquibancada: R$20, com meia-entrada para estudantes (R$ 10), mediante apresentação de identidade e carteira de estudante.


Local: Marrentão
Árbitro: Adricélio André dos Santos
Assistentes: Gilberto Stina Pereira e Marcos Antonio Santos

Duque de Caxias: Getúlio Vargas, Dudu, Marlon, Tinoco e Gleidson; Mayaro(Vander), Leandro Teixeira, Júnior e Juninho; Faioli(John)e Marcelo

America: Roberto; Claudemir, Ciro, Fábio Braz e Luciano Almeida; Emerson, Fred, Joziel, Jones Carioca; Adriano e Daniel Morais.

sábado, 27 de fevereiro de 2010

TALISMÃ ALVINEGRO BRILHA NOVAMENTE

Caio comemora mais uma atuação brilhante
Foto:Fernando Soutello/AGIF

Seguidores da Estrela Solitária,

O Botafogo fez hoje a sua estreia na Taça Rio diante da equipe do Americano de Campos, aqueles que sempre foram uma pedra no caminho do fogão seja em Campeonato Carioca ou Copa do Brasil. De uns tempos para cá, para tristeza do futebol estadual, o Americano caiu significativamente de produção e não assusta mais ninguém, melhor para o Botafogo, que apesar de ter sofrido, conseguiu vencer por um placar tranquilo. O talismã Caio fez a diferença e contribuiu na vitória por 3 a 1.

O jogo de hoje demonstrava algo interessante. Era o confronto do Botafogo, campeão da Taça Guanabara, contra o Americano que em todo primeiro turno marcou apenas três pontos. Entretanto, quem começou melhor no jogo e obteve as melhores oportunidades foi a equipe campista. Aos 19 minutos, após cruzamento da direita, Leandro Gomes sobrou de cara com o goleiro Renan, mas acabou finalizando por cima da meta.

O Cano teve nova chance minutos depois, o lateral Rafinha recebeu na entrada da área e bateu forte, a bola saiu perto da trave de Renan e assustou. O Bota respondeu da melhor maneira possível. Herrera ganhou jogada na esquerda e cruzou para a área, Loco Abreu escorou e Marcelo Cordeiro fuzilou de cabeça para marcar. A jogadinha ensaiada deu certo. 1 a 0.

A equipe da casa não deu nem tempo para o Botafogo comemorar, no ataque seguinte, depois de bobeira da zaga, Leandro Gomes recebeu com libertade e tocou por baixo de Renan quando o goleiro tentava abafar o lance. 1 a 1. Refeito do susto, o Bota teve outra chance com o estreanta Jancarlos, mas nada de muito perigo a meta de Fred.

Na volta do intervalo as equipes voltaram sem alterações e o panorama do jogo também permaneceu o mesmo. O Americano atacava e o Botafogo tentava conter o ímpeto do rival. Aos nove minutos, Leandro Sena recebeu dentro da área, mas acabou finalizando contra a perna de Renan que conseguiu evitar. A partir daí começou o show de ataque contra defesa do Americano. Após cobrança de escanteio e um desvio no primeiro pau, a bola ficou limpa para Paulo Henrique que cabeceou contra a trave direita.

Algum tempo depois, em tentativa de cruzamento, Leandro Sena acertou o travessão após leve toque do goleiro do Botafogo. O Glorioso respondeu com outro lance perigoso, Abreu foi lançado pelo lado direito e finalizou com força, Fred defendeu e no rebote Lúcio Flávio acertou a trave direita. Percebendo a dificuldade que o time estava tendo em marcar, Joel Santana colocou Caio na vaga do apagadinho Eduardo. No primeiro lance do garoto, ele recebeu passe de Herrera e tocou na saída de Fred para deixar o fogão em vantagem. 2 a 1.

A estrela voltou a brilhar aos 40 minutos, mais uma vez Caio fez a diferença. Lúcio Flávio tentou um passe em profundidade e a bola pegou na zaga, mas sobrou com Caio que dominou num espaço curto, mas ainda conseguiu driblar o goleiro para tocar diante do gol vazio, um gol de quem sabe para decretar a vitória do Botafogo. E ficou nisso: Americano 1, Botafogo 3.

Craque do time: Caio

Perna de pau: Eduardo

AMERICANO 1 X 3 BOTAFOGO

Estádio: Godofredo Cruz, Campos dos Goytacazes (RJ)
Data/hora: 27/2/2010 - 19h30 (de Brasília)
Árbitro: Péricles Bassols Cortez (RJ)
Auxiliares: Michael Correia (RJ) e José Ronaldo Braga (RJ)

Cartões amarelos: Nirley (AME), Djair (AME), Wellington (BOT), Jancarlos (BOT), Paulo Henrique (AME), Elson (AME)

Cartão vermelho: Índio-AME (44'/2ºT)

GOLS: Marcelo Cordeiro (0-1, 32'/1ºT); Leandro Gomes (1-1, 33'/1ºT); Caio (1-2, 21'/2ºT); Caio (1-3, 40'/2ºT)

AMERICANO: Fred, Elson, Nirley, Índio e Rafinha; Djair, Paulo Henrique (Jader, 17'/2ºT) , Dudé e Edinho (Renatinho - intervalo); Leandro Gomes e Leandro Sena (Itacaré, 24'/2ºT). Técnico: Paulo Marcos.

BOTAFOGO: Renan, Fábio Ferreira, Fahel e Wellington; Jancarlos (Somália, 26'/2ºT), Leandro Guerreiro, Eduardo (Caio, 20'/2ºT), Lucio Flavio e Marcelo Cordeiro; Herrera (Renato Cajá, 24'/2ºT) e Loco Abreu. Técnico: Joel Santana.


sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

REFORÇO NO TRICOLOR SUBURBANO!

Madureira contrata campeão mundial para a disputa da Taça Rio
Foto: Globoesporte

O Madureira que acabou eliminado na semifinal da Taça Moisés Mathias de Andrade pelo Boavista, tentará se redimir agora na Taça Rio. E o técnico Antonoio Carlos Roy contará com um reforço de peso para a disputa do segundo turno do Estadual. O atacante Derlei, de 34 anos, campeão mundial pelo Porto em 2004, é o novo reforço do clube.

Esta será a segunda passagem do jogador já que ele havia jogado pelo Tricolor Suburbano em 1999. Seu último clube foi o Vitória.

O técnico Roy festejou a contratação de Derlei e aposta na nova dupla de ataque com Marcelo Ramos, artilheiro do Madureira na competição. Além disso, a contratação faz a equipe, que tem a média de idade baixa, ganhar em bagagem para enfrentar de igual para igual os grandes clubes do Rio de Janeiro.

"É uma contratação de peso, que mostra que o Madureira pretende chegar longe no Estadual. Apesar de jovens como Bruno, Caio e até mesmo o Eberson terem dado conta do recado, é muito bom ter uma linha de frente com jogadores do nível de Derlei e Marcelo Ramos. A chegada dele nos dará condições de brigar pelo título. Fizemos uma excelente Taça Guanabara e a tendência é de que iremos melhorar ainda mais na Taça Rio", declarou o treinador.

Se a documentação do atacante estiver devidamente regularizada até hoje, Derlei pode estrear já na partida deste sábado contra o Boavista, em Conselheiro Galvão, às 8h.

"Se ele estiver em condições de jogar, não tenha dúvidas de que vou colocá-lo. A competição é curta e não podemos perder tempo. Temos de colocar sempre o que temos de melhor. Derlei é um cara experiente, que vai nos ajudar muito", completou Roy.

Confira a ficha do atacante Derlei:

Nome completo: Vanderlei Fernandes Silva (Derlei)
Data e local de nascimento: 14/7/1975 (34 anos), em São Bernardo do Campo (SP)
Clubes: América (RN), Guarani, Madureira, União Leiria (POR), Porto (POR), Dínamo de Moscou (RUS), Benfica (POR), Sporting (POR) e Vitória (BA)
Títulos: Copa da Uefa (2002/03), Liga dos Campeões da Europa (2003/04), Mundial Interclubes (2004), Campeonato Português (2002/03 e 2003/04), Taça de Portugal (2002/03) e Supertaça de Portugal (2002/03)



COMENTÁRIOS!


O site FutRJ trouxe a opinião de alguns comentaristas quanto a Taça Guanabara. Vale a pena conferir a matéria!

Por: Paula Martini

O primeiro turno do Campeonato Carioca acabou sem surpresas. Dessa vez, nenhum dos considerados "clubes de menor investimento" conseguiu fazer frente aos quatro grandes do Rio de Janeiro e o Botafogo acabou conquistando o título da Taça Guanabara sobre o Vasco.

O SRZD conversou com alguns especialistas no assunto para tentar descobrir o que acontece com o Estadual de 2010. Será que a explicação é que Flamengo, Fluminense, Vasco e Botafogo montaram supertimes e são imbatíveis, ou os pequenos não tiveram bom planejamento? O que esperar para a Taça Rio que começa neste final de semana?

No duelo entre pequenos e grandes, foram apenas três empates no primeiro turno. Na última rodada da Taça Guanabara o Olaria empatou em 0 a 0 com o Fluminense e o Madureira em 2 a 2 com o Vasco. E na penúltima rodada, o mesmo Olaria tirou ponto do Flamengo no jogo que terminou em 3 a 3. Para o narrador Luiz Roberto, o problema está na diferença econômica entre os clubes.

"Os melhores jogadores estão fora do país, aqueles de bom nível que voltaram, ou que ainda não foram para a Europa estão obviamente nos times grandes, e isso aumenta a diferença. O time revela bom jogador, mas logo tem que vender para fazer caixa e ter dinheiro. Tem um abismo econômico entre os clubes e para os pequenos fica difícil manter um elenco forte", disse.

Em 2009, o Resende, conseguiu chegar até a final da Taça Guanabara após vencer o Flamengo por 3 a 1, mas não perdeu o título ao ser derrotado pelo Botafogo por 3 a 0. Em 2007, Madureira e America fizeram uma das semifinais do primeiro turno da competição. O Tricolor Suburbano levou a melhor e foi derrotado pelo Flamengo na final.

Na Taça Rio mais surpresas, dessa vez foram Cabofriense e Volta Redonda, que chegaram até as semifinais. A Cabofriense perdeu o título do turno para o Botafogo. E o Voltaço, em 2005, chegou até a final do Estadual ao vencer a Taça Guanabara, mas perdeu o título para o Fluminense. No primeiro jogo das finais venceu o Tricolor carioca por 4 a 3.

O comentarista e ex-jogador Júnior acredita que esses exemplos fizeram com que Flamengo, Fluminense, Vasco e Botafogo se preparassem melhor para 2010 e os ditos "pequenos" não tiveram o planejamento dos outros anos.

"Esse ano parece que os clubes investiram pouco e estão deixando a desejar. Pode tirar o Madureira e Olaria que conseguiram fazer frente aos clubes grandes, mas é muito pouco", contou Júnior.

O apresentador e comentarista Alex Escobar explicou que antes os clubes de menor investimento começavam a preparação em novembro, enquanto os quatro grandes jogavam até dezembro o Brasileiro e tinham pouco mais de 15 dias de férias antes dos Estaduais. Para ele, a ausência das chamadas "zebras" não deixa o campeonato sem graça.

"O fator surpresa acabou. A diferença técnica entre os jogadores é muito grande e o investimento nos clubes de menor expressão do Rio ainda é muito pequeno. O campeonato não fica sem graça sem essas zebras. Assim as coisas ficam nos seus devidos lugares. Acharia o Carioca muito mais sem graça se a semifinal fosse entre dois clubes pequenos, por exemplo. Mas também não precisava ser tão sem surpresas como foi", brincou.

Para a Taça Rio, Escobar acredita que será difícil aparecer uma "zebra". "Elas são mais possíveis na Taça Guanabara. Na Taça Rio, acho que apenas o Botafogo corre risco, porque ganhou o primeiro turno e é normal que o clube dê uma relaxada".

Caso elas resolvam dar o ar da graça no Campeonato Carioca de 2010, o apresentador destaca o America como possível candidato na Taça Rio.

"O clube trocou de treinador. Ponho muita fé no Gabriel, que é muito bom técnico. Acho que ele vai arrumar o time e o America pode surpreender".

Analisando as apresentações na Taça Guanabara, Junior e Luiz Roberto preferiram apontar o Olaria como favorito entre os pequenos no segundo turno.

"O Olaria jogou de igual para igual com os grandes que enfrentou", finalizou Júnior.

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

"LÉODERANÇA"

Léo Moura é o destaque do Fla na estreia da Libertadores 2010
Foto: Vipcomm

Torcedores do Mais Querido do Brasil!

A estréia do Flamengo na Taça Libertadores da América foi cercada pela ansiedade. E até mesmo por causa do nervosismo com dois minutos de jogo, o Rubro-Negro perdeu um jogador. Willians foi expulso após dar uma cotovelada em Martinez na linha lateral. Parecia que o jogo seria complicado, mas Léo Moura além de ser o nome da partida foi o responsável por tranqüilizar a torcida aos 10 minutos com belo gol de falta sob os olhares de Zico.

Quem esperava o Império do Amor decidindo o confronto com a Universidad Católica, assistiu um show do lateral-direito, remanescente das melancólicas eliminações na competição em 2007 e 2008. O Flamengo venceu por 2 a 0, no Maracanã. Adriano fechou o placar após passe na medida de Léo Moura em uma arrancada extraordinária do campo de defesa até a intermediária do time chileno.

Mesmo com a vantagem numérica no inicio da partida, a equipe chilena muito limitada não apresentava perigo a meta do goleiro Marcelo Lomba, que substituiu com méritos o capitão Bruno, vetado pelo Departamento Médico de participar da partida devido a um problema na virilha no último treinamento. O camisa 12 da Gávea durante os noventa minutos executou apenas quatro defesas, porém foi importante em alguns desses lances.

Com um jogador a menos, o técnico Andrade foi corajoso em não sacar nenhum atleta para suprir a ausência de Willians. O treinador armou um esquema recuando o atacante Vagner Love para ajudar na linha de frente da zaga com Kléberson, Toró e Vinicius Pacheco.

Ao contrário do que muitos poderiam imaginar, a zaga foi um ponto forte da partida. Com a barração de Ronaldo Angelim, Fabrício entrou muito bem na equipe e demonstrou liderança em certos momentos ao lado do companheiro Alvaro. Vale ressaltar que esta foi a primeira vez no ano que a equipe não sofreu um gol.

O Flamengo pôde ter mais tranqüilidade após a expulsão correta do “craque” da Universidad Católica, Mirosevic. O jogador após cobrança de falta no fim do primeiro tempo pegou um chute no rebote depois da bola carimbar o travessão, porém logo após, o meia deixou o pé na barriga de Toró que estava caído no gramado ao tentar interceptar a jogada.

Com mais espaço, o time da Gávea criava oportunidades com a velocidade empregada por Vinicius Pacheco e a chegada dos laterais constantemente ao ataque. Léo Moura só foi parado durante o jogo devido as cãibras. Everton Silva entrou e não deixou a peteca cair.

O Império do Amor só não teve mais repercussão no jogo devido a falta de pontaria de Vágner Love em cobrança de pênalti aos 38 minutos da etapa complementar. O camisa 9 mandou a bola na geral. Love atuou muito bem com boa movimentação pelos flancos ao contrário de Adriano que buscou o jogo no meio-campo e costumava ficar centralizado, brigando entre os zagueiros adversários.

Para coroar a boa atuação na estréia da Libertadores, Love foi substituído com aplausos pela torcida para a entrada do sérvio Petkovic. O gringo com mais desenvoltura do que em outras partidas quase deixou a sua marca, porém a zaga estava atenta para impedir.

O que vale dizer é que podemos sim sonhar com uma boa campanha no torneio mais importante das Américas. O Flamengo lidera o Grupo 8, com três pontos e dois gols de saldo. O Universidad de Chile também tem três, mas apenas um gol. Católica e Caracas ainda não pontuaram.

O próximo compromisso pela Libertadores será no dia 10 de março, contra o time venezuelano, fora de casa. Antes, o Rubro-Negro inicia a trajetória na Taça Rio, sábado, contra o Macaé, em Volta Redonda.


FLAMENGO 2 x 0 UNIVERSIDAD CATÓLICA

Estádio: Maracanã
Data: 24/2/2010
Árbitro: Carlos Amarilla (PAR)
Auxiliares: Nicolás Yegros (PAR) e Emigdio Ruiz Roa (PAR)
Cartões amarelos: Silva, Ponce (Universidad Católica), Vagner Love (Flamengo). Cartões vermelhos: Willians (Flamengo) e Mirosevic (Universidad Católica)
Gols: Léo Moura, aos dez minutos do primeiro tempo. No segundo, Adriano, aos 13 minutos

Flamengo: Marcelo Lomba (8.0), Léo Moura (9.0) (Everton Silva - 7.0), Álvaro (6.5), Fabrício (7.5) e Juan (7.0); Toró (7.5), Willians (2.0), Kleberson (7.0) e Vinícius Pacheco (7.0) (Fernando - 6.5); Vagner Love (7.0) (Petkovic - 6.0) e Adriano (7.0). Técnico: Andrade (8.0).

Universidad Católica: Garcez, Valenzuela, Fuentes, Ponce, Silva; Henriquez (Mena), Toloza (Manara), Martinez, Mirosevic; Díaz e Morales (Vranjican). Técnico: Marco Figueroa.


terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

LIBERTADORES NA CABEÇA!

Elenco reunido em busca do título mais aguardado dos últimos tempos
Foto: Globoesporte.com


De 2007 para cá, três finais de Estadual e três títulos. Duas participações na Libertadores e duas decepções com eliminações precoces. Primeiro para o Defensor, do Uruguai e depois para o América, do México.

Por isso, o Flamengo concentra as forças na estréia da competição sul-americana. Após a eliminação para o Botafogo na semifinal da Taça Guanabara, elenco, comissão técnica e diretoria além da torcida só pensam na competição que o clube não conquista desde 1981.

O técnico Andrade divulgou ontem a lista dos 25 jogadores que farão parte da primeira fase da Libertadores. Para a surpresa de todos, o treinador pôs na listagem apenas três atacantes e focou as atenções para o setor defensivo, maior preocupação desde o inicio do ano. Vagner Love, Adriano e Bruno Mezenga foram os escolhidos. Os "sem moral" Gil e Denis Marques foram excluídos assim como o recém-contratado meio-campo Ramon.


Wellington foi escalado ao lado de Fabrício, Álvaro, Ronaldo Angelim e Deivid. Rodrigo Alvim e Michael constam na lista. Petkovic ficará com a camisa 7 ao contrário do 43 habitual com o qual conquistou o Brasileirão.

Para a estréia no torneio diante do Universidad Católica do Chile, amanhã, no Maracanã, às 21:50, o técnico Andrade barrou o zagueiro Ronaldo Angelim. Fora de forma e vivendo uma péssima fase, o jogador foi preservado segundo o próprio treinador. O jovem e competente Fabrício formará a dupla de ataque com Álvaro. O comandante rubro-negro, entretanto, não vai poder contar com Deivid e Fierro. O zagueiro e o meia foram expulsos na última partida do Fla na Copa Sul-Americana do ano passado, contra o Fluminense, e terão de cumprir suspensão.

Andrade também deixou claro que em partidas fora de casa utilizará o esquema com três zagueiros. O time chileno está há três jogos sem vencer, amargando a 11ª colocação no campeonato nacional.


No último sábado, o Universidad perdeu por 2 a 1 para o líder Unión Española, fora de casa. Antes, o time havia sido derrotado em casa por 2 a 0 pelo Cobresal (sétimo colocado), e empatado em 1 a 1 com o San Luis (17º), como visitante. A última vitória aconteceu no dia 2 de fevereiro: 4 a 0 sobre o Santiago Morning, atual 14º na tabela. Porém não esperem um adversário fraco. O Católica aposta suas fichas na Libertadores e espera surpreender no Maracanã. O meia Damian Diaz é uma das esperanças da equipe.

O time chileno apesar de jogar com apenas um atacante atua de forma bem brasileira com toque de bola e procurando abrir espaços na zaga adversária para concluir a gol. Enquanto uns comemoram um simples título de turno, o Flamengo pensa como time grande e busca o caneco mais importante das Américas mais uma vez.

Veja abaixo a lista dos 25 jogadores:

1 - Bruno
2 - Leonardo Moura
3 - Álvaro
4 - Ronaldo Angelim
5 - Toró
6 - Juan
7 - Petkovic
8 - Willians
9 - Vagner Love
10 - Adriano
11 - Bruno Mezenga
12 - Marcelo Lomba
13 - Maldonado
14 - David
15 - Kleberson
16 - Fierro
17 - Fernando
18 - Lenon
19 - Everton Silva
20 - Fabrício
21 - Rodrigo Alvim
22 - Vinícius Pacheco
23 - Welinton
24 - Paulo Victor
25 - Michael

domingo, 21 de fevereiro de 2010

QUANDO VALE... É BICAMPEÃO

Marcelo Cordeiro, Loco Abreu, Herrera e Caio festejam o gol do título
Foto: Pedro Kirilos / Lance
Edição: Ricardo Oliveira (FC OFICIAL)

Seguidores da Estrela Solitária,

Já está virando rotina ver o Botafogo na final do Campeonato Carioca, enquanto tem times que não chegam. Não adianta ser o melhor do campeonato, não adianta ter o melhor time, não adianta golear se na hora decisiva amarela. O Glorioso mostrou ao Vasco mais uma vez que é time de decisão quando se trata desse clássico. Em todos esses anos de história, o cruzmaltino só derrotou o Alvinegro em finais uma vez e já faz muito tempo. O futebol felizmente tem dessas coisas, num dia se é goleado e no outro retribui a vitória e é campeão. O zagueirão Fábio Ferreira e o uruguaio Loco Abreu garantiram a festa.

No início do jogo o Botafogo teve a postura que se esperava dele, recuo, entretanto a equipe mostrou evolução daquilo que foi apresentado contra o Flamengo e também buscava seu lugarzinho no ataque. O primeiro grande momento foi do Vasco, após cobrança de falta pela lateral, Carlos Alberto subiu mais que a zaga e tirou tinta do poste esquerdo de Jéfferson. O Botafogo respondeu de maneira mais objetivo, Alessandro chutou de primeira no cantinho, mas Herrera errou o tempo da bola e serviu como zagueiro evitando o gol.

O Vasco criava suas oportunidades quando a bola passava pelos pés de Carlos Alberto e Phillipe Coutinho, a equipe cruzmaltina tentava marcar também em chutes de fora da área, principalmente com Nílton e Márcio Careca. Em um dos bons lances de ataque, Coutinho tocou para Dodô que tentou iludir Fábio Ferreira, mas acabou errando o tempo da jogada e proporcionou um lance bisonho.

O Botafogo ainda tinha sérias limitações ofensivas e as jogadas aéreas eram as principais tentativas do time. Numa delas, Loco Abreu sofreu pênalti de Fernando ignorado pelo árbitro Marcelo de Lima Henrique. Antes disso, Fahel ainda simulou uma infração dentro da grande área, mas nada foi marcado. A última chance desperdiçada ao fim do primeiro tempo foi do Vasco. Phillipe Coutinho entrou na área driblando e bateu, a bola desviou em Wellington e por pouco não entrou.

Na volta do intervalo o Botafogo já impôs um ritmo intenso ao jogo, logo aos três minutos, Herrera recebeu lançamento e finalizou forte, Fernando Prass defendeu com muita categoria. Enquanto Dodô não fazia nada, Carlos Alberto tentava se virar e quase marcou depois que se livrou da zaga do Fogão. Percebendo que o time precisava de mais qualidade com a bola nos pés, Joel Santana colocou o jovem Caio e sacou Lúcio Flávio. O jogador deu mais velocidade ao time e conseguiu mudar a cara do jogo.

Com o talismã em campo, o Bota abriu o placar. Após cobrança de escanteio de Marcelo Cordeiro, Fábio Ferreira subiu no segundo pau e contou com a falha de Fernando Prass para abrir o placar. O que já era bom ficou melhor. Caio recebeu no meio de campo e Nílton chegou com muita disposição nos pés do menino e foi expulso. A partir daí, a torcida começou a sentir que a noite era do Botafogo. Desesperados, os jogadores do Vasco passaram a caçar Caio em campo. Titi também chegou firme no garoto e levou o amarelo.

No lance seguinte falta de Titi, o próprio zagueiro vascaíno puxou Abreu na área, pênalti e expulsão do defensor. Loco Abreu foi para a cobrança e colocou no cantinho, sem chances para Fernando Prass. 2 a 0. A partir daí foi só festa com a classificação do Botafogo para a quinta decisão de estadual seguida.

Craque do Time: Alessandro

Perna-de-pau: Eduardo


FICHA TÉCNICA:
VASCO 0 X 2 BOTAFOGO

Estádio: Maracanã, Rio de Janeiro (RJ)
Data/hora: 21/2/2010 - 17h1 (de Brasília)
Árbitro: Marcelo de Lima Henrique (RJ)
Auxiliares: Dibert Pedrosa Moisés (RJ) e Ricardo Maurício Ferreira de Almeida (RJ)
Renda/público: R$ 2.078.890,00 / 66.957 pagantes
Cartões amarelos: Léo Gago, Titi (VAS); Marcelo Cordeiro, Fábio Ferreira (BOT)
Cartões vermelhos: Nilton, 26'/2ºT (VAS); Titi, 37'/2ºT (VAS)
GOLS: Fábio Ferreira, 24'/2ºT (0-1); Loco Abreu, 39'/2ºT (0-2)

VASCO: Fernando Prass, Élder Granja, Fernando, Titi e Márcio Careca; Nilton, Souza (Rafael Carioca, 20'/2ºT), Léo Gago (Magno, intervalo), (Rodrigo Pimpão, 32'/2ºT) e Carlos Alberto; Philippe Coutinho e Dodô. Técnico: Vágner Mancini.

BOTAFOGO: Jefferson, Fábio Ferreira, Fahel e Wellington; Alessandro, Leandro Guerreiro, Eduardo, Lucio Flavio (Caio, 17'/2ºT) e Marcelo Cordeiro; Herrera e Loco Abreu (Renato, 41'/2ºT). Técnico: Joel Santana.

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

BRILHOU A ESTRELA

Caio festeja mais um gol decisivo do Botafogo
Foto: Agência O Globo

Seguidores da Estrela Solitária,


Não teve Império do Amor ou do Mal, não teve favoritismo, não teve goleada e nem humilhação. A única coisa que aconteceu foi o brilho de uma estrela, aquela que não estava apagada, mas estava ofuscada, estava desacreditada. A junção da estrela solitária do Botafogo, com a estrela da experiência de Joel Santana mais a estrela do garoto Caio, fizeram o Botafogo derrubar o maioral Flamengo com toda sua pompa de favorito. Mais uma vez na final, a quinta nas últimas oito decisões de turno, o Bota vai jogar contra o Vasco, o sentimento não pode ser de vingança, mas sim de luta, como a de ontem.

No primeiro tempo o Flamengo se mostrou melhor nos primeiro 30 minutos de partida. O Botafogo estava acuado e não demonstrava reação. O rubro-negro teve as melhores oportunidades para marcar, mas parava nos próprios erros ou nas defesas de Jéfferson. Entretanto, as primeiras oportunidades do jogo foram do Botafogo. Herrera e Eduardo tentaram, mas pararam nas defesas de Bruno.

O Fla seguia tentando com mais volume de jogo e só conseguiu marcar aos 24 minutos. Adriano roubou bola e tocou para Vinícius Pacheco, ele tabelou com Vágner Love e apareceu dentro da área para finalizar, Jéfferson ainda tocou na bola, mas não evitou o primeiro. Fla 1 a 0. Dez minutos mais tarde o fogão deixou tudo igual na jogada aérea. Lúcio Flávio ergueu no segundo pau, Loco Abreu escorou e Herrera soltou o chute, Bruno rebateu e a redonda sobrou livre com Marcelo Cordeiro que encheu o pé num sem pulo e empatou.

A reação do Botafogo começou e a equipe era melhor que o Flamengo, mas o árbitro Luís Antonio Silva Santos resolveu roubar a cena e fez lambança. Ele assinalou falta duvidosa de Fahel em Vinicius Pacheco e expulsou o botafoguense, que já havia levado o amarelo, entretanto, após reclamação, ele voltou atrás e deu o amarelo para Fábio Ferreira. Pouco depois, Loco Abreu usou a mão para marcar o gol do Botafogo, o árbitro anulou e deu o amarelo para o atacante.

No intervalo, Joel sacou Fahel e colocou Wellington em campo. O Flamengo seguia melhor na partida e aos nove minutos, Váner Locve acertou o travessão e no rebote Jéfferson defendeu. O Fla teve outra chance pouco depois, quando entrou driblando pelo lado direito e bateu cruzado, desta vez não tinha o pé de Émerson para desviar a bola para o gol e o lance ficou só no susto.

O Flamengo seguia melhor, Adriano matou bola no peito e completou com um chutaço acertando a rede pelo lado de fora. As torcidas resolveram jogar e cada uma pediu seu talismã. Pelo lado da Gávea, eram os gritos de "Pet", em General Severiano, a torcida clamava por Caio. Os pedidos foram atendidos, mas apenas um deu resultado, melhor para o Botafogo. Alessandro cobrou falta para a área, Herrera escorou de cabeça e Caio completou para o gol decretando a festa alvinegra.

A torcida começou a soltar os gritos de "Ooooo o Caio é F...". Desesperado, o Flamengo tentou marcar de qualquer maneira e Vágner Love desperdiçou mais uma chutando em cima de Jéfferson. Com o apito final, a torcida alvinegra pode soltar o grito que estava engasgado na garganta através da música "Vou Festejar". E ficou nisso, Botafogo 2 a 1. No próximo domingo o Glorioso encara o Vasco para decidir quem será o campeão da Taça Guanabara.

FICHA TÉCNICA:
FLAMENGO 1 X 2 BOTAFOGO

Estádio: Maracanã, Rio de Janeiro (RJ)
Data/hora: 17/2/2010 - 21h50 (de Brasília)
Árbitro: Luis Antônio Silva dos Santos (RJ)
Auxiliares: Ediney Guerreiro Mascarenhas (RJ) e Marco Aurelio dos Santos Pessanha (RJ)
Renda/público: R$ 1.161.590,00 / 32.729 pagantes
Cartões amarelos: Toró, Álvaro (FLA); Fahel, Fábio Ferreira, Loco Abreu, Herrera, Alessandro, Marcelo Cordeiro (BOT)
GOLS: Vinícius Pacheco, 25'/1ºT (1-0); Marcelo Cordeiro, 33'/1ºT (1-1); Caio, 37'/2ºT (1-2);

FLAMENGO: Bruno, Leonardo Moura, Álvaro, Ronaldo Angelim e Juan; Willians, Toró (Bruno Mezenga, 44'/2ºT), Kleberson (Fierro, 40'/2ºT) e Vinícius Pacheco (Petkovic, 27'/2ºT); Vagner Love e Adriano. Técnico: Andrade.

BOTAFOGO: Jefferson, Antônio Carlos, Fahel (Wellington, intervalo) e Fábio Ferreira; Alessandro, Leandro Guerreiro, Eduardo, Lucio Flavio (Caio, 26'/2ºT) e Marcelo Cordeiro; Herrera (Renato, 39'/2ºT) e Loco Abreu. Técnico: Joel Santana.

NÃO DEU!

Vágner Love perde inúmeras chances e Fla perde para o Bota na semi da Taça GB
Foto: Vipcomm



Torcedores do Mais Querido do Brasil!

O Flamengo foi eliminado da Taça Guanabara com a derrota de virada ontem por 2 a 1 para o Botafogo, na semifinal do primeiro turno, disputada no Maracanã. Vinicius Pacheco abriu o placar, mas Marcelo Cordeiro e Caio marcaram para o Alvinegro.

O time comandado pelo técnico Andrade teve a semana inteira para se preparar para confronto e não repetir os mesmos erros defensivos da primeira fase da competição. O Botafogo tinha somente uma arma para o jogo: a bola aérea. Parecia um time inglês.

Desde o primeiro minuto o Rubro-Negro dominou o jogo com maior posse de bola e criando as melhores oportunidades. Vinicius Pacheco começou sumido na partida e Adriano aparecia no meio-campo em busca de jogadas. O Botafogo optou pela retranca e explorar os contra-ataques. Quando chegava a área adversária não possuía qualidade suficiente para finalizar com perigo mesmo com uma zaga adversária atordoada.

Quando Vinicius Pacheco surgiu na partida foi preponderante para marcar. Em um contra-ataque puxado por Adriano, o Imperador deixou para o camisa 22 que arrancou, deu o passe para Vagner Love. O atacante fez o “biombo” e rolou para Pacheco, que encheu o pé e abriu o placar aos 24 minutos. 1 a 0.

O Botafogo precisando no mínimo do empate começou a se arriscar ao ataque. O jogo ficou equilibrado e em uma jogada totalmente previsível, o time de General Severiano empatou. Lúcio Flávio alçou a bola na área em busca de Loco Abreu. Juan e Ronaldo Angelim disputaram a jogada pelo alto com o atacante que com um toque sutil de cabeça encontrou Herrera. O argentino encheu o pé, Bruno espalmou erradamente para frente da área e Marcelo Cordeiro fuzilou para o fundo da rede. 1 a 1.

No finzinho do primeiro tempo, o árbitro Luis Antonio Silva dos Santos que estava bem deixando o jogo correr sem a marcação de simples faltas cometeu um pecado capital. Fahel (guardem esse nome) derrubou Vinicius Pacheco próximo a área. O zagueiro que já tinha cartão amarelo recebeu o segundo e conseqüentemente foi expulso corretamente. Entretanto, após pressão dos jogadores do Botafogo, eles conseguiram convencer o juiz de que quem cometeu a falta foi o outro defensor: Fábio Ferreira. “Índio”, como é apelidado o árbitro da partida, voltou atrás e puniu Fábio Ferreira. Uma grande confusão que manchou a arbitragem no primeiro tempo.

Quando a bola rolou novamente, Loco Abreu achando-se no direito de ser Maradona em Copa do Mundo tentou marcar um gol de mão. Cartão amarelo para o atacante. Antonio Carlos ainda assustou no último minuto após tentar cruzar e acertar o travessão do goleiro Bruno.

No segundo tempo, as equipes queriam decidir o jogo durante nos 45 minutos finais. Aos 9, Vágner Love acertou o travessão após cruzamento de Juan da esquerda. O Flamengo continuou dominando o jogo. Logo depois foi a vez de Willians entrar costurando os zagueiros e bater cruzado. A bola passou rente a trave direita de Jefferson.

A torcida do Flamengo empolgada com o retorno de Petkovic começava a ecoar o nome do gringo e na onda, Andrade substituiu Vinicius Pacheco por Pet. Maior erro. O Flamengo começou a perder o meio-campo. O sérvio mal tocou na bola e nas poucas oportunidades bem marcado não criava o que dele se esperava. Ainda assim, o Rubro-Negro teve a oportunidade de marcar novamente com Love. Léo Moura cruzou, a bola passou por toda a área e o atacante de carrinho mandou para fora.

De tanto errar, o Botafogo conseguiu chegar pela primeira vez em todo o segundo tempo e marcar. Joel Santana tinha sacado Lucio Flávio para a entrada de Caio. O jovem atacante foi o abençoado da vez. Novamente em jogada área, Herrera tocou para dentro da pequena área após marcação inútil de Ronaldo Angelim e Caio se antecipando ao corte de Willians colocou a bola no fundo da rede aos 39. 2 a 1.

Faltando cinco minutos para o fim, Vagner Love teve outra chance, porém a finalização encontrou Jefferson. E fim de papo.

CONCLUSÕES

• A defesa composta por Alvaro e Ronaldo Angelim está aquém daquela vista na reta final do Campeonato Brasileiro. Podem falar que a frente tinham Willians e Maldonado, mas mesmo assim isso não justifica a falta de qualidade principalmente de Angelim que está sendo facilmente driblado pelos adversários. Qualquer um ganha do zagueiro. Fábricio está merecendo uma vaga.

• Kléberson joga com o currículo de uma Copa do Mundo embaixo do braço. Totalmente inoperante. Não marca, não apóia. Sumido. Fierro é outro. Coitado do técnico Marcelo Bielsa, na seleção chielena.

• Não acredito que os dois dias de folia na Sapucai tenham atrapalhado Vágner Love. Ele não estava em uma noite inspirada e não foi competente no momento decisivo. Ainda tem crédito.

• A derrota foi importante para colocar os pés no chão e focar agora na primeira partida da Taça Libertadores diante do Univesidad Catolica, do Chile, na próxima quarta-feira, no Maracanã. Quem disse que para o Flamengo tudo é fácil?


VIDEOBLOG - COLETIVA APÓS O JOGO

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2010

DUELO DE BLOCOS!

Loco Abreu e Adriano terão duelo a parte no Maracanã
Montagem: Renan Moura


Hoje tem decisão no samba carioca e no futebol. Flamengo e Botafogo se enfrentam esta noite, no Maracanã, valendo vaga na final da Taça Guanabara. Quem vencer encara o Vasco (derrotou o Fluminense nos pênaltis por 6 a 5 após empate em 0 a 0 no tempo normal) no próximo domingo.

De um lado o bloco Boêmios da “Gávea” e do outro o Carmelitas de General Severiano. É assim que poderíamos descrever as duas equipes nesse período de Carnaval. Enquanto alguns jogadores do Flamengo como Toró, Léo Moura, Vágner Love e Petkovic tiraram o domingo e a segunda para curtir até altas horas os desfiles das Escolas de Samba, o elenco do Botafogo mantém a concentração no clássico.

Quem pensava em Adriano na algazarra dos camarotes da Sapucaí teve que se contentar com Ronaldo, Dunga e Robinho... O Imperador aproveitou a folga de outra forma... Para comemorar antecipadamente o aniversário (hoje ele completa 28 anos).


Do outro lado apesar de “Loco”, o uruguaio Abreu afirmou que o pensamento dele está exclusivo no duelo desta noite e o Carnaval só foi visto pela televisão, em regime total de concentração.

Os dois treinadores terão a disposição força máxima. O Departamento Juridico do Botafogo conseguiu efeito suspensivo permitindo a escalação de Eduardo na equipe. Já após o último treinamento no Ninho do Urubu, Kléberson que estava sentindo dores na coxa, participou normalmente da atividade e confirmou presença. Petkovic que foi reincorporado ao elenco deve ficar como opção no banco de reservas. Vinicius Pacheco que vem fazendo um bom Estadual permanece na equipe titular.

No duelo de treinadores, Joel Santana enfrentará seu ex-clube pela primeira vez. O Natalino esteve à frente do Flamengo pela última vez na eliminação da Taça Libertadores quando o Rubro-Negro perdeu para o América, do México, por 3 a 0, no Maracanã. Vantagem para o Glorioso? Nenhuma. Apesar de conhecer bem o elenco do Fla, mudanças foram feitas e o clube da Gávea tem uma nova cara. Basta relembrar a final do Estadual do ano passado quando Ney Franco estava no comando do Bota e deu no que deu... Mais uma derrota.

Os treinos da semana foram de mistério nas equipes com atividades fechadas a imprensa, mas as equipes já estão escaladas. O Flamengo entra em campo com: Bruno, Leonardo Moura, Álvaro, Ronaldo Angelim e Juan; Willians, Toró, Kleberson e Vinícius Pacheco; Vagner Love e Adriano. E o Botafogo com: Jefferson, Antônio Carlos, Fahel e Fábio Ferreira; Alessandro, Leandro Guerreiro, Eduardo e Marcelo Cordeiro; Herrera e Loco Abreu.

A principal arma do Alvinegro é a jogada aérea em busca de Loco Abreu. O responsável pela marcação do uruguaio será Alvaro. Apesar de mais baixo, o defensor do Fla disse durante a semana que a sua impulsão será preponderante para marcar o adversário.

Já o Urubu conta com uma dupla de ataque entrosada e que marcou mais da metade dos gols da equipe. Adriano e Vágner Love vêm destruindo o sistema defensivo das equipes. Entretanto, Joel Santana afirmou que não haverá marcação especial no Império do Amor.

E você aposta em quem: Bôemios da Gávea ou Carmelitas de General Severiano?

Estádio: Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ)
Data: 17/02/2010
Árbitro: Luís Antônio Silva dos Santos
Auxiliares: Ediney Guerreiro Mascarenhas e Marco Aurélio
dos Santos Pessanha.

terça-feira, 16 de fevereiro de 2010

E AGORA?

Rubens Lopes em reunião na sede da Federação de Futebol do Estado do Rio
Foto: FERJ

Pessoal , devido o Carnaval esquecemos de comentar um triste fato que está aterrorizando as equipes de menor porte no Rio de Janeiro: o adiamento das séries A e B do Campeonato Carioca e o cancelamento do Estadual de juniores.

Tudo isso gira em torno da liminar obtida pelo Sindicato dos Atletas Profissionais, encabeçado pelo técnico Alfredo Sampaio, ex-treinador do Vasco. O documento proíbe a realização de jogos antes das 17 horas. E como os estádios desses clubes em disputa infelizmente são precários e não disponibilizam de refletores, a competição está entregue novamente a um consenso entre as partes.

É correta essa medida humana a favor dos jogadores, mas algo deve ser feito para que as agremiações não sejam afetadas. Muitos dos clubes já estavam se preparando para a estréia e podem acabar tendo que mandar embora seus profissionais.

A intenção do presidente da Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro é alterar a decisão de uma forma bem brasileira: “O que hoje é 17 horas, a partir do dia 21 de fevereiro significa 16h com o fim do horário de verão. Então se o juiz entende que hoje não se pode realizar partidas antes das 17h, acho que com o fim do horário de verão isso mudaria para as 16h. De qualquer forma, a idéia é aceitar e manter todos os jogos para depois das 17h.”

A Ferj, convocou os representantes dos clubes para uma reunião do Conselho Arbitral, na próxima quinta-feira, dia 18, às 15 horas, para buscar uma solução para o problema.

Um dos clubes que já pode estar se despedindo é o Goytacaz. O presidente do clube deixou bem claro o seu ponto de vista. “Se a Federação de Futebol do Rio decidir adiar a Segundona para depois da Copa do Mundo, a partir de agosto, o Goytacaz vai participar. Porém se o início dos jogos for colocado em um prazo menor, o Alvi-anil não vai entrar na disputa."

A equipe fez no último sábado um amistoso em São João da Barra, contra a categoria sub-20 do Esporte Clube São João da Barra e venceu por 1 a 0, gol de Flávio Pinto, aos 35 minutos do primeiro tempo.

DEFINIDA A ARBITRAGEM!


Já estão definidos os árbitros que vão apitar as partidas dos times brasileiros na rodada da semana que vem da Taça Libertadores. Internacional, Flamengo e Corinthians fazem suas estreias na competição, enquanto São Paulo e Cruzeiro já entraram em campo no torneio continental.

Na terça-feira, às 21h50m (horário de Brasília), o argentino Diego Abal apita o jogo do Internacional contra o Emelec, do Equador, no Beira-Rio. Roberto Reta e Gustavo Esquivel serão os auxiliares da partida válida pelo grupo 5.

Depois de estrear com derrota na Taça Libertadores, por 2 a 0, contra o Vélez Sarsfield, na Argentina, o Cruzeiro volta suas atenções para o duelo contra o Colo Colo, no Mineirão, quarta-feira, às 19h30 (horário de Brasília), pelo grupo 7. O colombiano Oscar Ruiz será o árbitro do duelo, auxiliado pelos compatriotas Abraham González e Humberto Clavijo.

No mesmo dia, o Flamengo faz sua estreia na Libertadores 2010 contra o Universidad Católica no Maracanã, às 21h50, (horário de Brasília). O paraguaio Carlos Amarilla vai apitar o jogo válido pelo grupo 8 da competição, e os assistentes serão Nicolás Yegros e Emigdio Ruiz Roa.

Também na quarta-feira, o Corinthians entra em campo contra o Racing, do Uruguai, às 21h50m (horário de Brasília), no Pacaembu, para fazer sua primeira partida na Libertadores 2010. O juiz do confronto, válido pelo grupo 1 da competição, vai ser o boliviano Raúl Orosco, que será auxiliado pelos seus compatriotas Jorge Calderón e Juan Arroyo.

O São Paulo fecha a rodada dos brasileiros na quinta-feira. Pelo grupo 2, o Tricolor encara o Once Caldas, na Colômbia, às 21h10m (horário de Brasília). O chileno Pablo Pozo será o árbitro do duelo, com Patrício Basualto e Francisco Mondría como assistentes.


Fonte: Globoesporte.com

CLASSIFICADO!

Time do Vasco comemora classificação para a final da Taça GB
Foto: Globoesporte.com


O Blog Futebol Carioca Oficial vai voltando ao normal aos poucos após a folia de Carnaval, e falando na festa, o clássico Vasco e Fluminense, no Maracanã, pela semifinal da Taça Guanabara parecia mais a Quarta-Feira de Cinzas. Um jogo morno, chato, sem emoção.

Fred e Dodô, atacantes de quem as torcidas mais esperavam brilho estavam apagagos. Torcida esta, que compareceu em pequeno número ao estádio. Algo que era de se esperar devido ao abusivo valor no preço dos ingressos. O esporte é do povo e não das altas camadas da sociedade. Qual família brasileira tem capacidade financeira de desembolsar no mínimo 100R$ para acompanhar seu clube de coração. Isso sem contar o transporte, lanche...

Pois bem, o jogo foi tão desgastante visualmente que a decisão ficou para os pênaltis. E melhor para o Vasco que irá disputar a final da Taça GB novamente após sete anos. Vitória por 6 a 5, depois do jovem atacante Alan desperdiçar a cobrança. E ele garante que não foi intimidado pelo goleiro Fernando Prass... Nilton converteu a última penalidade para o time da Colina. Destaque para a cobrança de Philippe Coutinho, com paradinha, deslocando o goleiro Rafael.

No tempo normal, o Fluminense teve as melhores oportunidades e poderia ter decidido o jogo durante os noventa minutos. Fred, Alan e Conca desperdiçaram chances incríveis, principalmente, o camisa 9 tricolor.

O Vasco também teve suas chances. O lateral-direito Élder Granja mandou mal em duas ocasiões. A primeira, após cobraça ensaiada de falta. A cabeçada do jogador, entretanto, foi salva por Rafael. Na segunda vez, após passe de Carlos Alberto, Granja de cara para o gol preferiu cruzar rasteiro ao invés de arriscar o chute e a bola acabou encontrando a linha de fundo.

Como pênalti não é loteria e sim, categoria, melhor para o Vasco que teve 100% de aproveitamento e espera o adversário da final do primeiro turno do confronto de amanhã entre Flamengo e Botafogo, às 21:50, no Maracanã.

O Vasco iniciou já a preparação para a decisão e espera contar com o lateral Fágner que já está recuperado de contusão. Já na equipe das Laranjeiras, o vice-presidente de futebol, Alcides Antunes afirmou que não haverá mais contratações para a Taça Rio, somente para a disputa do Campeonato Brasileiro.

O recém-chegado, André Lima ainda não foi regularizado e Maicon pode deixar o Flu em breve rumo ao Dínamo de Kiev, já que o jogador pertence a Traffic, parceira do clube no futebol.

Vasco: Fernando Prass, Elder Granja, Fernando, Titi e Márcio Careca; Nilton, Léo Gago (Magno), Souza (Rafael Carioca) e Carlos Alberto; Philippe Coutinho e Dodô. Técnico: Vagner Mancini

Fluminense: Rafael, Mariano, Gum, Cássio e Júlio César (Marquinho); Diogo, Diguinho (Thiaguinho), Ewerton e Conca; Bruno Veiga (Alan) e Fred. Técnico: Cuca

Estádio: Maracanã
Data: 13/02/2010
Árbitro: Gutemberg de Paula Machado
Auxiliares: Jackson Lourenço Massarra dos Santos (RJ) e Wagner de Almeida Santos (RJ) Público: 30.490 pagantes (39.433 presentes)
Renda: R$ 1.059.890
Cartões amarelos: Márcio Careca, Carlos Alberto, Fernando Prass, Elder Granja, Léo Gago e Fernando (Vasco); Diguinho, Diogo, Gum, Fred, Thiaguinho e Mariano (Flu)


quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010

VAGA ENCAMINHADA

Amigos vascaínos,

Dessa vez não deu para eliminar o jogo de volta. Mesmo assim, não deixou de ser um bom passo para a próxima fase. Fora de casa, o Vasco venceu o Sousa de virada, por 2x1 e está bem perto da classificação. Na partida do dia 24, no Rio, o Cruzmaltino pode até perder por 1x0, que mesmo assim estará na segunda fase, onde enfrenta o vencedor do confronto entre Nacional-AM e ASA-AL. Os gols do triunfo foram marcados por Tiago, cobrando pênalti e Élton, nos acréscimos da segunda etapa.

Em um país com dimensões continentais e com um calendário tão corrido (ainda mais em ano de Copa), nem sempre é conveniente desgastar o grupo com uma viagem longa e uma partida. Assim, o Vasco agiu de forma correta em poupar todo o time no jogo de ontem. Apesar de ser um campeonato menos importante, o Carioca já está na fase decisiva e precisamos mais dos titulares do que precisávamos ontem.

Quanto ao time que foi a campo ontem, parecia aquelas peladas de fim de ano. Fulano, tu joga de quê? Beltrano, tu vai em qual posição hoje? Não à toa, pela ausência de laterais, marcamos mal e criamos pouco pelos flancos.

O Sousa fez seu gol em falha ridícula de Paulinho, que se desequilibrou e caiu sentado. Nem eu quando me meto a jogar na linha faço uma coisa tão patética. Ribinha se aproveitou, entrou em velocidade e serviu Manú. O time paraibano adotou postura inteligente. Se retrancou, bateu e tentou sair em velocidade com seus três jogadores de frente.

O time da terra dos dinossauros parecia um time de monstros. Não que isso importe alguma coisa, mas eles levam fácil o título de time mais feio do Brasil. Cada visão do cão, que Deus me livre!

Sem nenhum entrosamento, o Vasco forçava com Élton no pivô, mas o camisa 9 continua o mesmo atrapalhado de sempre. Magno e Robinho queriam driblar até a sombra, o que atrapalhava a evolução do time.

Atrás, Gustavo estava irreconhecível, Dedé lamentável e Martinelli era o único lúcido. Jumar, Paulinho e Rafael Carioca juntos não davam um volante, o que enfraquecia também nosso meio. Tivéssemos um adversário melhor, dificilmente teríamos vencido.Sorte que um zagueiro burro deles, derrubou Robinho dentro da área em lance que não daria em nada. Pênalti que Tiago cobrou com a infeliz paradinha e converteu. 1x1 e alegria da vibrante torcida vascaína no Almeidão.


Com as entradas de Pimpão, Fumagalli e Geovane Maranhão, o Vasco ganhou o meio e as pontas. O primeiro quase marcou de peixinho, acertando o lado externo da rede. O segundo teve chance em bela bicicleta e o terceiro, fez bela jogada pela direita, servindo para Élton desempatar aos 46.

Apesar de a vaga não ter sido garantida, somente uma tragédia em São Januário, no dia 24/02, nos tirará da competição nessa fase. Com os dois gols marcados fora, nem mesmo uma derrota por 1x0 nos elimina. Só mesmo o otimista presidente do Sousa deve acreditar nessa.

O Vasco atuou com: Tiago, Jumar, Dedé, Gustavo e Thiago Martinelli; Paulinho, Rafael Carioca, Magno (Rodrigo Pimpão, 28'/2ºT) e Robinho (Fumagalli, 17'/2ºT); Elton e Rafael Coelho (Geovane Maranhão, 32'/2ºT).

Pra quem ficou muito chateado com o placar de ontem, vale um lembrete. Dos quatro grandes que estrearam, nosso resultado só não foi melhor que o do Grêmio, que eliminou o jogo de volta. Palmeiras e Botafogo também tiveram muitas dificuldades em seus jogos, sendo que ambos estavam com time titular.

Sds vascaínas a todos!


quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

BOM SENSO!

Alfredo Sampaio confirma alteração no horário dos jogos
Foto: Globoesporte.com

Agora só tem jogo a noite. Agiu o bom senso. O Sindicato dos Atletas de Futebol do Rio de Janeiro conseguiu hoje uma liminar na Justiça, expedida pela 4ª Vara do Trabalho, que proibe a realização de jogos do Campeonato Carioca entre 10h e 17h.

O presidente da Saferj, Alfredo Sampaio, que pediu demissão após um jogo sob o comando do Americano no Estadual, comentou a decisão via assessoria de imprensa: "Estamos muito felizes com mais essa vitória, pois a nossa preocupação sempre foi com a saúde de nossos atletas, e lutamos para preservá-los. Com essa vitória o esporte ganha, o atleta é beneficiado, e esse é o nosso objetivo".

Desde a semana passada, a medida já está em vigor no Rio Grande do Sul, que também sofre com as altas temperaturas e impossibiltou a realização de jogos acima da casa dos 35 graus.

Vasco e Fluminense que anteriormente jogariam às 17h foi alterado para às 18h30m. Já a partida entre América e Olaria, sábado de carnaval, marcado para as 16h, na preliminar do clássico, terá que ser remarcado. A partida é válida pelo Torneio Moisés Mathias de Andrade, organizado pela Federação de Futebol do Estado do Rio para dar mais visibilidade e premiar os clubes de menor investimento do Campeonato Carioca durante a decisão da Taça GB.

Já a Segundona pode ser cancelada com essa medida. A maioria dos jogos começam às 15 horas até mesmo pela falta de estrutura dos diversos estádios que não têm iluminação. O presidente da Ferj, Rubens Lopes deve tomar alguma atitude após se reunir com Alfredo Sampaio. Com o problema, os clubes que já trabalham para a estreia podem dispensar os jogadores.

Entramos em contato com a assessoria do Bonsucesso, um dos clubes que mais contratou para esta temporada visando o retorno a elite do futebol carioca, mas segundo a assessoria de imprensa do Rubro-Anil, eles aguardam uma posição do presidente Rubens Lopes para se pronunciarem quanto ao caso, entretanto, vivem a expectativa por um desfecho positivo.


OLHO NELES!

Universidad Católica é o rival do Fla na estreia da Libertadores. Dá-lhe São Judas Tadeu


Torcedores do Mais Querido do Brasil!

Peço desculpas por não comentar a vitória do Flamengo diante do Boavista no último domingo por 2 a 1. Mas destaco a regularidade do meio-campo Vinícius Pacheco que participou diretamente dos gols do Rubro-Negro no estádio da Cidadania. O camisa 22 vem substituindo muito bem o gringo Petkovic que já está na hora de ser reincorporado ao elenco.

Bruno Mezenga mostrou que é o "Rei do Aço". O atacante marcou um gol no jogo e três até agora na Taça Guanabara, todos eles feitos em Volta Redonda. Hoje, Mezenga é o primeiro nome para substituir um dos componentes do Império do Amor. Gil e Dênis Marques apesar de se destacarem no treinamento desta semana estão longe de caírem nas graças da torcida e no gosto do técnico Andrade.

A respeito da discussão entre Léo Moura e Álvaro antes do tempo técnico, acredito que o problema tenha mesmo sido solucionado no vestiário após a vitória. No momento do jogo os nervos estão a flor da pele e é comum uma discussão de posicionamento ainda mais com a fase que o sistema defensivo do Flamengo está passando.

Mas o assunto agora é Taça Libertadores da América. O Mengão conheceu seu adversário na estréia da competição sul-americana. Será o Universidad Católica, do Chile. Além dele, o Mais Querido enfrentará o Universidad do Chile e o Caracas, da Venezuela.

O Católica enfrentou ontem o Colón, da Argentina, em Santiago e conseguiu a classificação nos pênaltis após empate no tempo normal por 3 a 2, mesmo placar da partida de ida.

Henríquez, Toloza e Morales fizeram os gols dos chilenos nos 90 minutos iniciais. Fabianesi e Fuertes marcaram para os argentinos. Nas penalidades máximas, o goleiro Garcés usou as pernas para defender a cobrança de Fabianesi e garantiu a classificação do Universidad por 5 a 3.

O melhor jogador da partida, entretanto, foi o meio-campo argentino Damían Diaz, do time chileno. O atleta muito habilidoso é o legítimo camisa 10 do Universidad e teve a chance de anotar o seu em uma bomba no primeiro tempo, mas a bola carimbou o travessão do goleiro Pozo.

Os chilenos chegaram a balançar a rede minutos depois, com Ismael Fuentes, de cabeça, mas o árbitro assinalou falta de ataque. Aos 39, após cobrança de falta de Damián Díaz, David Henríquez se antecipou e desviou de cabeça dentro da pequena área, abrindo o placar para o Universidad Católica. 1 a 0.

No segundo tempo, o Colón voltou com mais disposição e virou a partida com facilidade. Fabianesi, de cabeça, empatou e Esteban Fuertes virou o jogo em cobrança de pênalti. 2 a 1.

Sem muita técnica e com mais coração apoiado pela torcida, o Universidad partiu com unhas e dentes nos minutos finais para buscar dois gols e levar a decisão para as penalidades. E conseguiu com Rodrigo Toloza em cobrança de falta e Morales, aos 37, aproveitando confusão na área argentina. 3 a 2.

Nos pênaltis, o goleiro Paulo Garcés foi o salvador ao defender com as pernas o chute de Fabianesi. Toloza, Mirosevic, Vranjicán, Dáz e Mannara, marcaram para os donos da casa. Coudet, Pellerano e Rivarola converteram para os argentinos.

O Universidad Católica não parece ser problema, mas é um time aguerrido e ganhou moral na fase de grupos após essa vitória sobre o Colón.

LEI PELÉ: A MUDANÇA!

Neymar é o único até agora sem contrato firmado com clube da Europa
Montagem: Renan Moura

A Lei Pelé que ao contrário do que deveria ser contribui para a saída de jovens promessas do futebol brasileiro para o exterior sofreu mudanças. Para entender melhor veja abaixo a matéria do Lancenet! sobre o assunto:

Por: Erika Romão

O plenário da Câmara aprovou nesta terça-feira o substitutivo do deputado José Rocha (PR-BA) ao projeto de lei 5.186/2005, do Poder Executivo, que altera a Lei Pelé (9.615/98). O texto define novas regras de relacionamento profissional entre atletas e entidades desportivas.

Além disso, aumenta o repasse de recursos para os clubes formadores, tanto das modalidades olímpicas quanto do futebol. Devido ao início tardio da sessão, alguns destaques apresentados ao projeto serão votados nesta quarta-feira.

Pelo projeto, cai para um ano o prazo para o clube comprovar a formação. Atualmente, são dois anos. Além disso, o PL determina que até 5% do valor pago nas transferências nacionais de jogador de futebol, definitivas ou temporárias, sejam distribuídos aos clubes formadores. Esse reconhecimento ao clube, conhecido como mecanismo de solidariedade, já acontece no caso de transferências internacionais.

- Esta medida trará aos clubes formadores maiores garantias do que as atuais. Para se caracterizar como formador, no entanto, a instituição tem de cumprir uma série de requisitos - analisou Luiz Felipe Santoro, advogado do Corinthians.

Outra mudança importante para o fortalecimento das entidades desportivas é o fim da ação de agentes na formação dos atletas. Agora, empresários não poderão manter vínculo com jovens de 14 a 19 anos. A partir dessa idade, as regras seguem as mesmas. A limitação atende a reivindicação dos clubes, que argumentam que suas finanças foram prejudicadas pelo fim do passe. A extinção do vínculo com os atletas beneficiou empresários.

INDENIZAÇÃO

O projeto determina que os contratos de jogadores de futebol devem prever indenizações para o atleta e para o clube. Os valores serão pactuados livremente, com limites de 400 vezes o valor do salário para o caso de dispensa por parte do clube e de duas mil vezes para a rescisão de contrato para transferência.

Entenda as mudanças:

Como era...

O novo mecanismo de solidariedade foi elaborado a partir de uma premissa já existente em transferências internacionais, estipulada pela Fifa. O São Cristóvão, por exemplo, clube formador de Ronaldo, recebia 5% referentes às negociações entre clubes envolvendo o atleta no exterior.

A última, entre Real Madrid e Milan, foi recebida pelo clube carioca da mesma forma. Caso Ronaldo nunca tivesse jogado fora do país, o São Cristóvão só teria recebido normalmente pela primeira venda.

... a partir de agora

Todos os clubes formadores receberão 5% também em transações nacionais. O atacante Zezinho, de 17 anos, que assinou contrato de empréstimo com o Santos por dois anos, é um exemplo que poderá ser incluído nesta nova regra. O jovem atacante é uma revelação do Juventude e disputou o Mundial Sub-17 em 2009.

O Santos tem o direito na prioridade da compra no final do prazo de empréstimo. Até aí, a transação com o Juventude seria como antes. No caso hipotético de o Santos deter os 100% federativos de Zezinho e repassá-lo a outro clube brasileiro, o Juventude terá o direito de receber 5% do valor da transação, como aconteceria caso a negociação fosse com algum clube do exterior.

A ideia geral com a nova regra é recompensar os clubes que têm gastos com alimentação, escola e outros quando o futuro craque é apenas uma promessa. A medida deve beneficiar tanto os grandes como os pequenos clubes formadores.

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

VITÓRIA INSANA

Loco Abreu vibra com atuação magnífica
Foto: Agência Estado

Seguidores da Estrela Solitária,

Precisando de apenas um empate para chegar a próxima fase da Taça Guanabara, o Botafogo recebeu o Resende no Engenhão. A última impressão que o Glorioso tinha do clube da Região Serrana era positiva, já que conquistou a Taça Guanabara do ano passado sobre esse mesmo Resende. O fogão mostrou que Joel Santana vem dando sua cara ao time e mesmo saindo atrás, o alvinegro teve força para reagir e golear com show de Loco Abreu.

Quem demorou para comprar ingresso não viu o primeiro gol do jogo. O Resende rolou a bola e após seguidas trocas de passe, Elias finalizou e fez o primeiro aos 24 segundos de partida. A tarde não parecia boa para o Botafogo, até porque o Madureira abria o placar contra o Vasco e colocava o Glorioso fora da zona de classificação. Mesmo em desvantagem, o fogão não desanimou e continuou pressionando, mas o gol só saiu aos 18 minutos. Lúcio Flávio cruzou do lado esquerdo e Loco Abreu subiu mais que a zaga para empatar.



O empate deu gás ao Botafogo que passou a jogar melhor. A torcida reconheceu o esforço e passou a gritar o nome de Lúcio Flávio, o segundo melhor jogador do Bota na partida de ontem. O time seguia brigando, mas não conseguia marcar. A equipe só conseguiu respirar aliviada aos 33 minutos. Marcelo Cordeiro cobrou falta para a área e Loco Abreu desviou na entrada da área para marcar mais um. O jogo ficou ainda melhor para o time de General Severiano quando Márcio Gomes fez falta em Caio e foi expulso.


Joel havia prometido que só tiraria Lúcio Flávio e Marcelo Cordeiro, que estavam pendurados, quando o resultado estivesse garantido e ele ainda não estava. Então a equipe voltou com a mesma formação para a segunda etapa. Aos 10 minutos, Alessandro cruzou para a área, o goleiro Cléber falhou e a bola sobrou limpa com Loco Abreu que apenas empurrou para a rede e fez o terceiro dele na partida. Em delírio, a torcida alvinegra soltou o grito: "Oooo El Loco é melhor que o Dodô..."


O uruguaio sentiu o momento do Botafogo no jogo e seguiu tentando mais um. Aos 21, após bela jogada, ele carimbou o poste direito de Cléber, no rebote, Marcelo Cordeiro fuzilou para o gol e fez o quarto do Glorioso. Joel aproveitou o momento e tirou o lateral antes mesmo do Resende reiniciar a partida colocando Wellington Júnior em seu lugar. A prata da casa do fogão deu certo e também marcou o seu, aos 36 minutos, quando aproveitou indecisão da zaga e chutou no cantinho. 5 a 1. O Resende descontou nos acréscimos com Elias, num chutaço de fora da área, nada que impedisse a comemoração da vitória. Agora o Botafogo joga com o Flamengo em busca de uma vaga na decisão.

Craque do Time: "El Loco" Abreu
Perna-de-pau: Eduardo

BOTAFOGO 5 X 2 RESENDE

Estádio: Olímpico João Havelange (Engenhão), Rio de Janeiro (RJ)
Data/hora: 7/2/2010 - 17h (de Brasília)
Árbitro: Gutemberg de Paula Fonseca (RJ)
Auxiliares: Dibert Pedrosa Moises (RJ) e Luiz Antônio Muniz de Oliveira (RJ)
Renda/público: não disponível
Cartões amarelos: Leandro Guerreiro (BOT); Márcio Gomes e Felipinho (RIO)
Cartões vermelhos: Márcio Gomes, 38'/1ºT (RES)

GOLS: Elias, 30"/1°T (0-1); Loco Abreu, 17'/1°T (1-1); Loco Abreu, 30'/1°T (2-1); Loco Abreu, 10'/2°T (3-1); Marcelo Cordeiro, 20'/2°T (4-1); Wellington Júnior, 32/2°T (5-1); Elias, 45'/2°T (5-2).

BOTAFOGO: Jefferson, Wellington, Fahel e Fábio Ferreira; Alessandro, Leandro Guerreiro (Diguinho, 28'/2°T), Eduardo, Lucio Flavio (Somália, 24'/2°T) e Marcelo Cordeiro (Wellington Júnior, 21/2°T); Caio e Loco Abreu. Técnico: Joel Santana.

RESENDE: Cléber, Bruno Leite (Marquinho, 22'/2°T), Breno, Márcio Cleick e Felipinho; Márcio Gomes, Léo Silva, Beto e Hiroshi (Léo, 14/2°T); Elias e Fabiano (Taércio, intervalo). Técnico: Marcelo Buarque.

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2010

VASCÃO 100%

Amigos vascaínos,

Passou longe das atuações espetaculares de alguns jogos recentes. Mas o 1x0 sobre o Resende, com gol de pênalti de Dodô, foi suficiente para manter o Vasco como único time com 100% de aproveitamento no Estadual 2010.

O time chegou aos 18 pontos, seguindo na liderança do grupo B e com vaga assegurada nas semifinais da Taça Guanabara. No domingo, o Gigante da Colina faz seu último jogo nessa fase, em São Januário, contra o Madureira.

Antes do jogo, o técnico do Resende, Marcelo Buarque, afirmara que sua equipe poderia tirar proveito de uma possível acomodação do Vasco com a boa fase. Não deu para vencer, mas o time de Marcelo ao menos escapou das goleadas que outros times sofreram.

A exemplo de outros jogos com início avassalador, o Vasco teve sua primeira grande chance logo aos 5 minutos. Dodô foi derrubado pelo atrapalhado Eduardo Teles dentro da área. Primeiro pênalti para o Vasco no ano, que o camisa 10 chutou na trave esquerda. Na volta, ainda tocou na bola, mas o lance seria ilegal.

Aos 11, Hiroshi chutou de fora da área e acertou a trave, no lance mais perigoso do Resende no jogo. Isso porque aos 16, Titi foi puxado após cruzamento na área, em novo pênalti que Dodô cobrou no mesmo canto, dessa vez balançando a rede. Vascão 1x0. O lance da penalidade foi daqueles marcados por preciosismo da arbitragem. Até foi pênalti, mas daqueles que só são marcados a favor do time grande.

Quatro minutos depois, Nailton recebeu o segundo amarelo e foi expulso. O Resende então teve apenas mais uma chance de gol, aos 37, com Elias chutando rente à trave.
O Vasco teve algumas boas chances, a maioria delas pela esquerda, onde Márcio Careca teve atuação fantástica, sua melhor no Vasco. Porém, faltava ao time um pouco daquela ambição matadora de outras oportunidades.

O segundo tempo não foi muito diferente. O Vasco jogava o básico e atacava de forma até natural, mas sem tanto ímpeto. O Resende preferia ficar na retranca a tentar o empate, o que estragou um pouco a partida. Aos 9, Coutinho fez linda jogada pela esquerda e rolou para Dodô. Com o goleiro batido, ele chutou, mas o zagueiro salvou

o gol certo. A curiosidade desse lance é que haviam uns 4 jogadores de defesa quase dentro do gol do Resende.

Outras boas chances em chutes de Carlos Alberto (tirou tinta da trave) e Márcio Careca (grande defesa do goleiro). Após o tempo técnico, Magno entrou em lugar de Léo Gago, em uma tentativa de dar mais ofensividade ao time. O camisa 17 não foi mal, mas o time parecia satisfeito com apenas a vitória.

Márcio Careca e Carlos Alberto forçaram o terceiro amarelo para entrarem limpos na semifinal.
Vinicius, do Resende, deu carrinho por trás e foi expulso. Aos 42, Magno deu lindo passe para Dodô, mas o artilheiro perdeu um gol que não costuma perder.

No fim, valeu pela vitória, manutenção dos 100% e pela artilharia de Dodô. Valeu também por mais uma atuação da segura da defesa, que a contrário de outros por aí, não dá sustos na torcida.

Agora é hora dos aprontos finais, para que o time entre em totais condições técnicas e psicológicas para o que realmente importa nesse campeonato, as semifinais. Sobre o adversário, Fla e Flu tem virtudes e hoje não faz diferença enfrentar um ou outro.

Aliás, se quisermos ser campeões, temos que vencer qualquer um.

O Vasco atuou com:
1-Fernando Prass; 2-Élder Granja, 4-Fernando (44-Thiago Martinelli), 13-Titi e 15-Márcio Careca; 8-Rafael Carioca, 14-Sousa, 27-Léo Gago (17-Magno) e 19-Carlos Alberto [cap] (41-Robinho); 30-Philippe Coutinho e 10-Dodô.

Sds vascaínas a todos!

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2010

ENGRENOU?

Nome do jogo, Caio comemora o segundo
Foto: Lancenet

Seguidores da Estrela Solitária,

O placar de 4 a 1 pode até iludir muita gente, mas o Botafogo ainda está aquém do que deve mostrar. O fato positivo é de que o time tem capacidade de mostrar força e hoje pudemos ver isso. Desde a entrada do Caio, o Botafogo foi diferente e conseguiu marcar os gols que permitiram a goleada, a saída do Lúcio Flávio também contribui para isso. Quando Lúcio resolve jogar, ele desequilibra, mas quando não joga, o time não anda e isso o faz ser criticado pela torcida. Quem pôde pelo menos tentar mudar sua imagem foi Fahel, que marcou o terceiro.

Assim como tem ocorrido nos jogos do Botafogo a equipe começou apática, sem brilho e com muita dificuldade. Isso permitiu com que o Madureira pudesse gostar do jogo e começasse a ter as melhores oportunidades da partida. O alvinegro equilibrou as ações mas ainda não demonstrava superioridade para sair na frente. Aos 15 minutos, Marcelo Cordeiro chegou em velocidade pelo lado esquerdo e cruzou para área, mas Edinho cortou antes da chegada de Herrera.

Sonolento, o jogo foi se arrastando sem qualquer oportunidade mais clara de gol, até que aos 42 minutos, Lúcio Flávio cobrou escanteio para a área, Antonio Carlos arrumou e Fábio Ferreira completou para o gol. Assim como contra o Tigres, a jogada aérea ensaiada deu certo. Botafogo 1 a 0 e assim ficou o primeiro tempo.

Para o segundo tempo, o time voltou ainda desligado e o Madura também tentou aproveitar as oportunidades, insatisfeita, a torcida pediu a entrada do jovem Caio. Joel no entanto começou a colocar em prática aquilo que havia colocado em sua prancheta e o Bota começou a se ajustar no campo tendo superioridade ofensiva. Com a falta de gols, as vaias começaram a ecoar e so pararam quando Caio entrou no lugar de Lúcio Flávio. No ataque seguinte, Marcelo Cordeiro tocou para Loco Abreu que se enrolou, Caio pegou o rebote e colocou pra rede, no primeiro toque na bola, o garoto já marcou. 2 a 0.

O placar que parecia assegurado chegou a ser ameaçado quando Valdir teve liberdade na área e finalizou com força no canto esquerdo de Jéfferson, a bola ainda tocou na trave antes de entrar. Porém, o Glorioso precisou de mais quatro minutos para consolidar a goleada com mais dois gols. Aos 41 minutos, num pênalti que virou falta, Marcelo Cordeiro jogou na área e Fahel subiu livre para marcar. Mais dois minutos passaram e quem marcou foi Loco Abreu, após passe de Caio. E assim ficou: Botafogo 4, Madureira 1. Na próxima partida o Bota encara o Resende, no Engenhão. Um empate garante o alvinegro na próxima fase.

Craque do time: Caio
Perna-de pau: Herrera

MADUREIRA 1 X 4 BOTAFOGO

Estádio: Maracanã, Rio de Janeiro (RJ)
Data/hora: 4/2/2010 - 19h30 (de Brasília)
Árbitro: Wagner do Nascimento Magalhães (RJ)
Auxiliares: Eduardo de Souza Couto (RJ) e Silbert Sisquim (RJ)
Cartões Amarelos: Valdir, Herrera, Bruno, Edinho, Alex Oliveira, Leandro Guerreiro, Antônio Carlos
Cartão Vermelho: Edinho (37'/2ºT)

GOLS: Fábio Ferreira, 39'/1ºT (0-1), Caio, 31'/2ºT (0-2) Valdir, 36'/2ºT (1-2), Fahel 38'/2ºT (1-3), Loco Abreu 42'/2ºT (1-4)

MADUREIRA: Renan; Valdir, Edinho, Leandrão e Baiano; Vagner, Rodrigo, Bruno (Fábio, 30'/2ºT) e Alex Oliveira; Marcelo Ramos e Eberson (Obina, 25'/2ºT). Técnico: Roy.

BOTAFOGO: Jefferson; Alessandro, Fahel, Fábio Ferreira e Antônio Carlos; Leandro Guerreiro, Eduardo, Lucio Flavio (Caio, 30'/2ºT) e Marcelo Cordeiro; Herrera (Somália, 40'/2ºT) e Loco Abreu. Técnico: Joel Santana

NA RAÇA!

Império do Amor salva Flamengo do vexame no Maracanã
Foto: O Globo



Torcedores do Mais Querido do Brasil!

Do meio-campo para a frente: avassalador. Do meio-campo para trás: desastroso. O Império do Amor novamente foi essencial para o Flamengo conseguir a vaga na semifinal da Taça Guanabara. Adriano com um gol e Vágner Love com outros dois decretaram o empate suado diante do Olaria por 3 a 3, ontem a noite, no Maracanã. O Rubro-Negro perdeu os 100% de aproveitamento na competição, mas manteve a liderança do Grupo A agora com 16 pontos e escapou de um vexame maior.

O adversário na última rodada será o Boavista, domingo, às 19h30m (de Brasília), em Volta Redonda. O Alvianil tem 11 pontos e enfrenta o Fluminense na última rodada. A partida será no Engenhão, às 19h30m, domingo.

O Olaria bem que poderia ter saído vencedor, porém o ataque do Flamengo ainda fala mais alto no momento crucial. Bruno ainda defendeu um penalti e o árbitro deixou de marcar outros dois para o time da Gávea.

Sem contar com Alvaro, suspenso, Deivid formou a zaga ao lado de Ronaldo Angelim. Willians acabou sendo vetado pelo Departamento Médico momentos antes da partida e Fernando foi mantido na equipe titular. Com um meio-campo formado por Toró, Fernando, Kléberson e Vinicius Pacheco, o Flamengo passou um sufoco durante os noventa minutos. O sistema defensivo desde o inicio do Estadual é a maior preocupação do técnico Andrade que ainda não achou uma solução para fechar o ferrolho da defesa rubro-negra.

Logo aos cinco minutos, o atacante Cacá com muita liberdade arriscou o chute da intermediaria e acertou o ângulo esquerdo de Bruno. 1 a 0. A pequena torcida do Fla não teve nem tempo de lamentar. Assim como na partida contra o Americano, na saída de bola, Vágner Love rolou para Juan. O lateral-esquerdo foi a linha de fundo e cruzou para Adriano empatar de cabeça. 1 a 1.

Apesar do empate, o Olaria permanecia melhor no jogo. Aos 19, Aleilson foi ao fundo e cruzou. Bruno tentou encaixar a bola, mas ela passou por baixo das pernas do goleiro que quase sofreu um frangaço daqueles, mas conseguiu se redimir e fazer a defesa.

Enquanto estava com a posse de bola, o Flamengo trocava passes e envolvia a zaga do Olaria. Adriano teve duas outras oportunidades de passar a frente no placar, entretanto, não obteve êxito. Aos 46, o Imperador por pouco não presenteou a todos com uma pintura. Após cruzamento de Kléberson, o atacante pegou de voleio, mas a bola encobriu a meta de Ângelo.

O segundo tempo voltou com o Olaria melhor. Na primeira chance, Deivid cometeu pênalti. Na cobrança, Cacá bateu no canto direito e Bruno saltou para defender.

A chance desperdiçada incendiou o Flamengo. Aos 11, Love marcou o segundo gol rubro-negro após cruzamento de Fierro que entrara na vaga do “grande marcador” Fernando. A vantagem durou pouco, já que Araruama, isso mesmo, Araruama empatou o jogo em chute forte da entrada da área. 2 a 2.


O Olaria se animou e conseguiu passar a frente no marcador novamente. Em contra-ataque rápido, a zaga falhou e Toró derrubou Aleilson dentro da área. O camisa 5 do Flamengo foi expulso e Cacá bateu bem para marcar o terceiro. 3 a 2.

Precisando apenas do empate para conseguir a classificação, o técnico Andrade substituiu Léo Moura por Everton Silva. A mudança deu mais mobilidade e fez o Flamengo pressionar o adversário até o empate. Aos 37, Juan cruzou da esquerda e Vagner Love, livre de marcação deixou tudo igual. 3 a 3.

O zagueiro do Olaria Thiago Eleutério foi expulso logo depois, mas a pressão do Fla não resultou em gol e a partida terminou assim. Andrade deve se dedicar ao máximo para corrigir as várias falhas no sistema defensivo. A cada partida podemos perceber a necessidade de outro cão-de-guarda na zaga. Alvaro, Ronaldo Angelim e Deivid não estão em plena forma e estão sendo facilmente envolvidos pelos adversários. Sem Willians, o time da Gávea também perde muito na marcação, já que Kléberson e Fernando não conseguem atuar com precisão na defesa.

FLAMENGO 3 x 3 OLARIA

Flamengo: Bruno; Léo Moura (Everton Silva), David, Ronaldo Angelim e Juan (Maicon); Toró, Fernando (Fierro), Kleberson e Vinícius Pacheco; Vagner Love e Adriano. Técnico: Andrade.

Olaria: Ângelo; Ivan, Amarildo, Thiago Eleutério e Diego; David, Romário, Waldir e Araruama; Aleílson e Cacá (Rafael Santos). Técnico: Dé.

Estádio: Maracanã
Data: 3/2/2010
Árbitro: Felipe Gomes da Silva (RJ)
Auxiliares: Wagner de Almeida Santos e Jackson Lourenço Massarra dos Santos
Público: 6.554 pagantes (7.772 presentes)
Renda: R$ 120.050,00

Cartões amarelos: Diego, Thiago Eleutério, Willian (Olaria), Ronaldo Angelim, David, Toró , Maicon(Flamengo)
Cartões vermelho: Toró (Flamengo) e Thiago Eleutério (Olaria)