Campeonato Brasileiro
[23/10 e 24/10] .::. Atlético-PR x Fluminense / Botafogo x Vitória / Vasco x Flamengo .::.

sexta-feira, 21 de maio de 2010

FIM DA LIBERTADORES

Vágner Love chora pela eliminação do Fla na Libertadores
Foto: O Globo


Torcedores do Mais Querido do Brasil!

O Flamengo caiu de pé na Taça Libertadores da América. A esperança de superação existia por se tratar justamente do clube que mais conseguiu reverter placares adversos na história do futebol mundial. Mas dessa vez não deu. (Veja abaixo o especial preparado momentos antes para a partida).

Produção: Renan Moura
Vozes: Rafael Souza e Renan Moura
Montagem: Heber Ferreira
Programa: Super Futebol Tupi (Rádio Tupi)


Assim como em 2007, contra o Defensor, do Uruguai, o Flamengo precisou de pelo menos um golzinho. Só que desta vez ao contrário de três anos atrás, um gol garantia a classificação direta sem a necessidade dos pênaltis para a semifinal da competição.

Todos os ingredientes de uma final estavam expostos nesta quinta-feira a noite. Declarações que mexeram com o brio dos jogadores do Flamengo, campo acanhado, torcida fungando no cangote, clima de hostilidade tanto para a delegação rubro-negra quanto para os jornalistas que sofreram para trabalhar no estádio Santa Laura, em Santiago.

Com a mesma escalação que enfrentou o Vitória, no último sábado, no Barradão, o técnico Rogério Lourenço prometeu pelo menos uma postura diferente por parte dos atletas. Na corrente antes da entrada ao gramado a união tomava conta não só dos jogadores como dos torcedores em todo o mundo que acompanhavam a partida.

Apesar de entrar em campo com três volantes, o Flamengo demonstrou algo que jamais foi visto ainda este ano. Todo mundo ajudando no apoio ao ataque, auxiliando a defesa... Mas se o "se" fosse algo concreto assim como a matemática, o Rubro-Negro teria garantido uma vaga entre os quatro melhores da Libertadores.

Se o chute do Léo Moura tivesse entrado, se o Pet tivesse acertado a pontaria na entrada da área, se o Vinicius Pacheco tivesse cruzado ou chutado ao invés de cair pedindo pênalti no último suspiro. Enfim.

O time do Flamengo conseguiu até então chegar ao máximo de suas limitações. Talvez se tivéssemos um treinador mais experiente como Joel Santana no comando, poderíamos ter modificado o panorama já na primeira partida diante do Corinthians. Rogério Lourenço pode ficar no cargo até quando Deus quiser ou a Patrícia Amorim achar que a convem, mas jamais será o treinador do gosto popular. Se Andrade acabou sucumbindo o que dirá do ex-zagueiro.

Críticas foram feitas ao goleiro Bruno com relação ao gol de empate da La U. É fato que ele estava adiantado e acabou sofrendo um golaço do meia Montillo, mas ao mesmo tempo o camisa 1 rubro-negro salvou a equipe em determinados momentos. Colocando na balança é difícil tirar uma conclusão quanto ao Bruno.

A zaga, por pior que ela possa ser, se comportou bem durante os noventa minutos. Angelim no fim da sua carreira e sem a agilidade que lhe era corriqueira não comprometeu assim como David, que apesar de jovem conteve o grandalhão Olivera e foi um guerreiro com disposição.

Toró que acabou barrando Maldonado teve uma atuação segura e cometendo poucas faltas. Willians, nervoso por si só, acabou sendo expulso de forma incorreta no fim do jogo e atrapalhou a equipe. Nas laterais, Juan cresceu de produção enquanto Léo Moura acabou deixando a desejar se não fosse a bomba no travessão no primeiro tempo.

Adriano, pesado, fora de forma, foi o destaque com a movimentação, chamando o jogo para ele já que Michael se omitia, e se o Fla conseguisse a classificação poderíamos colocar os créditos principalmente ao Imperador. Vágner Love também teve sua cota de contribuição. Sou um dos críticos mais ferrenhos ao jogodor, falo até mesmo que ele não passa de um produto da mídia, entretanto, se doou durante os noventa minutos e foi importante ao estar no local certo e na hora certa nos acréscimos da etapa inicial para abrir o placar de cabeça após passe de bicileta de Adriano.

Petkovic, que para muitos já se aposentou, continua desfilando categoria pelos gramados afora. No segundo tempo o camisa 7 ditou a categoria no meio-campo. Fato que ele não aguenta uma partida inteira, caso contrário, a vaga poderia estar no nosso colo neste momento.

Mas não adianta lamentar. O que passou, passou e agora é focar na disputa do Campeonato Brasileiro. Domingo temos um confronto importante em casa diante do Grêmio Prudente, e os três pontos serão importantes rumo ao inédito heptacampeonato.

A diretoria rubro-negra terá agora o período da Copa do Mundo para por a casa em ordem. Renovações, contratações, dispensas... Tudo isso é papo para já. Nomes como Emerson e Washington são cogitados. Gil e Bruno Mezenga devem ser liberados para negociar com outros clubes. Nesta possível barca, o timoneiro poderia se chamar Kléberson... Tomara que o seu rumo seja o Oriente Médio ou novamente a Europa e que a riqueza dos petrodólares ou do Euro possa ser revertida em contratações cirúrgicas para carências no elenco.

2011 estamos de volta a Libertadores. Desta vez conquistando o título!


VIDEOBLOG - MELHORES MOMENTOS

2 comentários:

Bicuda pro Gol disse...

Vagner Love produto da mídia? Que isso, ele pode até se atrapalhar em alguns lances e às vezes quer enfeitar demais, mas é um dos caras que mais se entrega dentro de campo. Nesse jogo contra a Universdad ele tava correndo pelo Kleberson e pelo Michael.

Aliás, quando será que esse encosto chamado Michael vai esquentar o banco??? Coitado do Pet que tem que aceitar ser reserva dele ou do Vinicius Pacheco, que é outro mala.

Renan de Moura disse...

O Petkovic infelizmente não aguenta mais jogar 90 minutos e o Vágner Love, não discuto quanto a sua entrega e vontade desde o momento que vestiu a camisa do Flamengo, mas tecnicamente não é nenhum jogador excepcional como muitos dizem, mas é essencial.