Campeonato Brasileiro
[23/10 e 24/10] .::. Atlético-PR x Fluminense / Botafogo x Vitória / Vasco x Flamengo .::.

quarta-feira, 15 de julho de 2009

AH, EU TÔ MALUCO!

Fágner foi o autor do primeiro gol do Vasco diante do Vila Nova-GO
Foto: Estadão

Por: Diego Louzada

Amigos Vascaínos,

Que terça, torcida vascaína! Primeiro a assinatura do maior contrato de patrocínio da história do Club de Regatas Vasco da Gama. À noite, uma bela vitória, conquistada fora de casa na base da garra e que nos coloca de vez na briga pelo topo da Série B. Difícil imaginar que uma terça-feira, dia tão impróprio para o futebol, pudesse nos dar tantas alegrias.

Vamos primeiro ao jogo. Atacado no início, o Vasco se viu com um jogador a menos logo aos 7 minutos, em expulsão infantil de Robinho. O cenário parecia trágico para o Gigante da Colina, mas surpreendentemente, o time cresceu jogando com um a menos. Atuando com mais inteligência, pressionou a mercação sobre o Vila, tendo menos posse de bola, mas sendo bem mais perigoso quando atacava.

Alex Teixeira acordou, assim como Souza. O juiz não usava do mesmo rigor contra o Vila Nova. Thiago Carvalho fez falta dura, digna de amarelo, que seria o segundo. O juiz rateou. Aos 28, Élton, que lutava sozinho no ataque, sofreu falta duríssima de Cocito. Digna de expulsão, mas o juiz apenas amarelou. Na cobrança, Fágner cruzou no segundo pau, a bola encobriu o goleiro Juninho e entrou no ângulo. Golaço!!! Vascão 1x0!

Se já estava mal, o Vila piorou. A única jogada era chuveirar na área, mas sem perigo a Fernando Prass. O primeiro tempo terminou com uma justa vitória do Vasco.

Tentando pressionar, Vágner Benazzi sacou o brucutu Cocito para entrada do grandalhão Vanderlei. E apesar das limitações técnicas, foi ele o jogador mais perigoso no segundo tempo, já que o time goiano abusava dos cruzamentos.

No segundo tempo, até para se poupar fisicamente, o Vasco deu uma segurada no ritmo e o Vila veio pra cima. Aos poucos porém, o jogo foi ficando perigoso. Fernando Prass apareceu com defesas seguras e espetaculares. Aos 20, na melhor delas defendeu cabeçada a queima roupa de Vanderlei. No rebote, Leonardo cabeceou na trave.

Três minutos depois, o golpe final. Fágner lançou Paulo Sérgio, que havia entrado no lugar de Souza. O camisa 2 cruzou com perfeição na cabeça de Élton, que deslocou Juninho e ampliou. Vascão 2x0 e placar definido.
Daí até o final, o time jogou com paciência e soube conter as bolas cruzadas do adversário. E se não entramos ainda no G4, isso é questão de tempo. Reencontramos de vez nosso caminho no campeonato e sexta contra o ABC temos a grande chance de embalar.

Força Vascão!

O Vasco atuou com: Fernando Prass, Fagner (Magno, 28'/2°T), Vilson, Titi e Ernani; Amaral, Nilton, Souza (Paulo Sérgio, 19'/2°T) e Alex Teixeira (Enrico, 19'/2°T); Robinho e Elton.

E agora, o que dirá aquele tricolor que criticou o Fernando Prass? O cara agarra MUITO! Além disso, tem uma frieza enorme, passando segurança para todo o time e para a torcida. O adversário chuta, cabeceia e o cara pega sem reclamar da zaga. O que passa na cabeça do atacante? "Porra, eu não vou fazer gol nesse cara nunca."

Fágner foi destaque mais uma vez, participando dos dois gols. Se a lesão que sentiu na coxa, não atrapalhar, não sai mais do time. Paulo Sérgio entrou, primeiro no meio e depois na lateral e foi bem. Nada como jogar pressionado.

Antes ele jogava sem o Fágner sequer ficar no banco, o que causava um comodismo. Agora ele tem que mostrar serviço quando tem a chance.
Os zagueiros estiveram firmes na maior parte do tempo, com raros espaços. A evolução de Vilson fica clara jogo após jogo. Ernani, acostumado a sera ala ou volante, teve problemas na marcação, nada que comprometesse.

Os volantes fizeram bem sua função, ainda mais com a dificuldade natural de jogar com um a menos. Alex Teixeira foi sacrificado tendo que ser meia de criação e atacante. Cansou e foi substituído por Enrico, que pouco apareceu. Magno também teve pouco tempo.

Élton foi um brigador. Lutou sozinho, recebeu a falta do primeiro gol e marcou o segundo. No fim do jogo, estava acabado. Que siga marcando e seja o Élton do início do ano.

Quanto à expulsão infantil de Robinho, fica claro o deslumbre do jogador. Logo no início, podia ter passado a bola ao companheiro melhor posicionado, mas foi fominha. Fama e reconhecimento só virão com a sequência de jogos e ontem ele deu um passo para trás. E que abra o olho, pois Pimpão está voltando de olho na vaga.

Sobre a assinatura com a Eletrobrás, infelizmente não pude comparecer em São Januário ontem à tarde. A festa foi linda e o patrocínio sem dúvida é um passo importantíssimo no reerguimento financeiro do Clube. Nada de atraso de salários ou problemas similares.



Com essa renda, somada ao programa de sócios, poderemos montar times cada vez mais fortes. Com um patrocínio forte, uma diretoria comprometida e um bom comando em campo, o Vasco tem raízes fortes que o permitem chegar ao patamar que merece pela sua grandeza e história, nele se mantendo por anos.

Haverá investimento nos esportes olímpicos, em especial basquete, remo e natação. Como a Eletrobrás patrocina a Seleção Brasileira de Basquete podemos esperar um bom time nessa modalidade.

O novo uniforme ficou lindo. Sei que sou suspeito para falar, mas a faixa completa e sem enfeites na manga, me agrada muito. Como pretendo comprar uma de goleiro, vou torcer para a Penalty fabricar uma com as cores verde e vermelho, semelhante às que Fernando Prass vem usando.

A nova camisa já será utilizada na sexta-feira contra o ABC e a expectativa é que o Marketing saiba usar o bom momento vivido pelo Clube e já coloque as novas camisas à venda na Vasco Boutique.

Um comentário:

Sobre o Futebol Carioca disse...

o vasco começou a ganhar a gora!
sera quew arranca?